O posto fronteiriço Águas Negras que une San Juan, na Argentina, e Coquimbo, no Chile, será financiado pelo BID e terá 13 quilômetros de comprimento.

O projeto binacional do Túnel de Águas Negras, que unirá a província de San Juan, na Argentina, com a região de Coquimbo, no Chile, executado por ambos os países, será sometido às condições do Banco Internacional de Desenvolvimento, que financiará o projeto. Segundo a revista do Ministério de Obras Públicas do Chile, a integração dos países da região tem sido um desejo do país durante anos.

Maqueta tunel agua negra

Finalmente, o Chile e a Argentina chegaram a um acordo de incluir o projeto como uma das iniciativas prioritárias da Unasur e no âmbito bilateral, priorizado por ambos os países como parte do Plano Mestre de Passos Priorizados. Por isso, foi assinado o Primeiro Protocolo Complementário referente à Constituição da Entidade Binacional para o projeto Túnel Internacional Passo de Água Negra, EBITAM. Em dezembro de 2014, foi assinado o Segundo Protocolo Complementário, no que ambos os Estados decidem realizar o projeto Túnel Internacional Passo de Água Negra e, no mesmo mês do ano seguinte, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anunciou o financiamento do projeto através de um empréstimo de US$1,5 bilhão, divididos proporcionalmente entre ambos os países.

O túnel será construído a uma altura aproximada de 4.000 metros sob o nível do mar. Atualmente, o tráfico pela passagem se realiza somente durante o verão. O projeto considera dois túneis de trânsito unidirecional paralelos de 13,9 km de comprimento.

As obras subterrâneas também abrangem uma galeria de ventilação entre o Chile e a Central de Ventilação Oeste de aproximadamente de 4,5 km de comprimento, além de um poço de ventilação vertical de cerca de 490 metros de altura, entre a Central de Ventilação Leste e a superfície, com chaminé e prédio técnico na cabeça do poço de ventilação e seu caminho de acesso.

O projeto binacional deve conformar grupos de diversos especialistas em Contratos Internacionais, segundo o padrão da Federação de Engenheiros Consultores (FIDIC), em aspectos fiduciários e de gestão de projetos de desenvolvimento, conhecer a experiência internacional e gerar cooperação e alianças com o Comitê de Túneis e Espaços Subterrâneos (CTES), e vincular-se com a International Tunnel Association (ITA).