Destaque de produto: Plataformas de acesso em baixa altura da JLG®

01 September 2022

Uma alternativa moderna a andaimes, escadas e estrados para trabalhar em altura

A segurança e a tecnologia evoluíram muito desde que as escadas foram inventadas. Desde o lançamento da primeira plataforma de lança do mundo pela JLG em 1969, os profissionais de construção vêm usando PEMTs (plataformas elevatórias móveis de trabalho), como plataformas de lança e tesouras, para acessar trabalhos em altura com mais segurança e eficiência.

Dito isso, mesmo as menores tesouras tradicionais do mercado (modelos de 5,79 m) nem sempre são a melhor opção para completar trabalhos internos de acesso em baixa altura. Elas frequentemente são grandes demais para caber em espaços reduzidos e serem reposicionadas de forma eficaz, e alguns modelos são pesados demais para uso em pisos delicados, e não cabem em elevadores para serem movimentados entre os andares.

Assim, apesar de haver outras alternativas disponíveis, a realidade é que muitos prestadores de serviços mecânicos e elétricos, encanadores, pintores, instaladores de divisórias de gesso e profissionais em instalações ainda costumam usar escadas para trabalhos em alturas abaixo de 5 m.

A elevação do acesso em baixa altura

Com menos espaço aberto e os prédios se tornando cada vez mais estreitos e mais altos, há uma maior necessidade de plataformas elevatórias móveis de trabalho compactas e mais leves, que possam ser movimentadas entre os andares. Isso levou ao advento das plataformas de acesso em baixa altura.

Assim como as plataformas elevatórias móveis de trabalho de maior porte, as plataformas de acesso em baixa altura são projetadas para colocar pessoas em altura, mesmo que a apenas alguns metros do solo. Entretanto, esses tipos de plataformas são projetadas com dimensões menores, proporcionando uma altura de trabalho máxima de 5,1 m e pesando menos de 907 kg. Isso significa que eles podem ser usados em muitas aplicações nas quais, historicamente, se usaria uma escada ou andaimes devido a restrições de peso ou espaço no local.

Por exemplo, plataformas de acesso em baixa altura são construídas especificamente para aplicações internas de construção, como instalar componentes mecânicos e elétricos, instalar aquecedores, ventilação e ar condicionado (HVAC) e trabalhar em dutos ou gesso. E como elas são menores e mais leves do que outros tipos de plataformas elevatórias móveis de trabalho, também são ótimas para trabalhos de acabamento, como instalar alarmes de incêndio ou sistemas de sprinklers, instalar (ou substituir) iluminação e colocar placas de teto.

Eles também têm o tamanho certo para uso em ambientes de varejo, para recolocar grandes displays de varejo e atualizar a decoração sazonal, assim como em ambientes de fabricação, para a manutenção de equipamentos de produção.

Essas plataformas menores também podem ser utilizados amplamente em aplicações de manutenção geral, como pintura e limpeza, em todos os tipos de prédios e instalações.

Eles são ideais para instalações de saúde (hospitais, clínicas e laboratórios), centros educacionais (escolas e universidades), ambientes esterilizados, data centers, depósitos e escritórios, assim como fábricas, aeroportos e arranha-céus.

E elas são construídas para serem empurradas até o local, ou entre áreas de trabalho, sem necessidade de montagem ou desmontagem. Isso permite que os trabalhadores acessem passarelas, plataformas e outras áreas de difícil acesso, algo que eles não poderiam fazer com plataformas de tamanho tradicional. Isso torna mais fácil e mais rápido realizar várias tarefas com uma única máquina em todo um prédio ou instalação.

Criando demanda

Além de seus recursos e benefícios de produtividade, as plataformas de acesso em baixa altura também são projetados para reduzir o esforço corporal e reduzir o risco de lesões musculoesqueléticas causadas por movimentos repetitivos, como subir e descer uma escada para apanhar ferramentas ou materiais. Esse pode ser um trabalho exaustivo e pode levar a lesões associadas à fadiga. As empresas conscientes da segurança, incluindo a “empresa mãe” da JLG, a Oshkosh, estão comprometidas em eliminar as escadas quando existir outra alternativa.

E muitas plataformas de acesso em baixa altura estão equipados com bandejas para guardar as ferramentas e os materiais necessários em altura, possibilitando realizar o trabalho com mais eficiência, ao reduzir os tempos dos ciclos de subida e descida.

Após estarem elevados em uma plataforma de acesso em baixa altura, os operadores podem usar confortavelmente ambas as mãos para trabalhar com segurança em altura, em 360 graus. Isso não ocorre com as escadas, onde os trabalhadores frequentemente têm que usar uma mão para se estabilizar em altura, deixando apenas uma mão livre para realizar uma tarefa.

Ofertas de produtos expandidas

Como o mercado latino-americano percebeu os benefícios do uso de equipamentos de acesso em baixa altura em novos projetos de construção e reforma predial, a JLG se concentrou em aumentar sua linha de produtos desses equipamentos na região para responder à crescente lista de trabalhos a serem realizados abaixo de 5 m.

Proporcionando aos clientes mais opções do que nunca, a JLG agora oferece toda a linha de acesso em baixa altura Power Towers na América Latina, que inclui cinco modelos das séries Pecolift e Ecolift, quatro modelos da série Nano e dois modelos da série Power Tower, acrescentando cinco novíssimos modelos à família de produtos já existente.

Essa linha expandida com 11 máquinas proporciona uma alternativa moderna a andaimes, escadas e estrados para trabalhar em altura (até 5,1 m), melhorando a eficiência e, ao mesmo tempo, reduzindo a fadiga e o risco de lesões decorrentes de subidas em locais altos, quedas, tentativas de alcançar locais distantes, curvar-se e/ou esticar-se em demasia.

Séries Pecolift e Ecolift

Ocupando pequenas áreas de trabalho, os cinco equipamentos das séries Pecolift e Ecolift Series da linha Power Towers da JLG são ideais para áreas de trabalho muito restritas. Os modelos Pecolift oferecem uma altura de trabalho de 3,5 m, e os modelos Ecolift têm uma altura de trabalho de 4,2 m.

Essas máquinas são ecológicas, já que não usam baterias ou sistemas hidráulicos. Basta empurrá-las até o local onde o trabalho precisa ser feito.

A Pecolift e a Ecolift têm capacidade apenas para uso interno. Projetada especificamente para uso externo, a Ecolift WR pode suportar ventos com velocidades de até 12 m/s. E os modelos Pecolift X e Ecolift X são certificados pela ATEX para áreas perigosas.

Série Nano

Não é preciso erguer, escalar e desmontar para atingir alturas de trabalho de 4,5 m com os quatro modelos da série Nano da linha Power Towers da JLG.

Ideal para aplicações nas quais um alcance extra a partir de dimensões muito reduzidas é necessário, o Nano SP e o SP Plus são modelos autopropulsionados com decks de trabalho extensíveis, para quando os operadores precisarem de mais espaço na plataforma. O Nano SP Zero ultracompacto e autopropelido cabe em plataformas padrão, pode ser transportado na maioria das vans pequenas e pode ser conduzido em pisos delicados. Esses modelos têm capacidade para uso interno e externo, podendo suportar ventos de até 12,5 m/s.

Série Power Tower

Uma solução com mastro móvel com alturas de trabalho de até 5,1 m, os dois modelos da série Power Tower oferecem uma forma eficiente de trabalhar em baixa altura. Os operadores podem empurrar a máquina até a posição no local de trabalho, entrar na plataforma e apertar o botão para elevá-la até a altura de trabalho desejada.

A Power Tower para um único ocupante possui uma plataforma de trabalho maior, o que a torna a solução para usuários que precisam de mais espaço para si próprios e para ferramentas na plataforma.

A Power Tower Duo, para dois ocupantes, ainda é uma máquina compacta, já que passa através de vãos de portas padrão, enquanto que a plataforma permite que dois operadores trabalhem ao mesmo tempo, ao lançar estabilizadores automaticamente.

Ambos os modelos da série Power Tower são feitas apenas para uso interno.

Uma solução para cada trabalho

Analisando o que é necessário para realizar trabalhos em baixas alturas e comparando isso com o quanto pode ser realizado com uma plataforma de acesso em baixa altura Power Towers da JLG, é possível substituir escadas por esses tipos de plataformas em uma grande variedade de aplicações.

E, por compreender como esses plataformas podem mitigar os riscos associados ao trabalho em altura e à fadiga dos trabalhadores enquanto promove posições de trabalho mais ergonômicas, as oportunidades de mercado para essas máquinas estão crescendo rapidamente.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
As 50 principais
Um crescimento substancial nunca antes visto foi notado pelas principais empresas de construção da América Latina
Os 200 principais
Lista exclusiva da International Construction dos 200 maiores empreiteiros do mundo por vendas revela que a indústria parece ter colocado o impacto da pandemia no passado
A evolução do manipulador telescópico da Skyjack
Skyjack produz uma linha completa de telehandlers com sete modelos
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL