Hugo Arce, presidente regional da Wacker Neuson para a América Latina, fala sobre o desenvolvimento da marca na região. 

No ano passado, a alemã Wacker Neuson se mostrou muito ativa no mundo e especialmente na América Latina, região onde investiu em uma forte estratégia de capacitação de distribuidores e de desenvolvimento de produtos especialmente para este mercado.

2

A BL77 é uma das retroescavadeiras fabricadas em parceria com a brasileira Randon.

Com mais de 165 anos de história, a gama de produtos da marca inclui, por exemplo, vibradores de concreto, compactador de solo de placa, equipamentos de demolição e máquinas cortadoras, torres de iluminação e geradores, como também equipamentos de transporte e manipulação de cargas.

Em entrevista para a CLA, Hugo Arce, presidente regional da Wacker Neuson para a América Latina, esclarece a visão da companhia para o desenvolvimento da marca na região.

Como foi 2017 para a Wacker Neuson?

 

O grupo teve um aumento significativo de mais de 13% no faturamento e no lucro em relação a 2016. Isso foi impulsionado pelo aumento da participação de mercado em um clima comercial favorável e uma retomada em quase todas as regiões mais importantes.

E na América Latina?

 

O ano passado foi muito bom para a empresa na região, com um crescimento de dois dígitos em faturamento em comparação com o ano anterior. Acreditamos firmemente que uma presença regional é essencial para desenvolver com sucesso estes mercados de rápido crescimento a longo prazo.

Quais são as expectativas para este ano?

 

Para 2018 somos otimistas. Mesmo prevendo que o mercado brasileiro deve passar por um período de baixa, que com sorte será breve, acreditamos em um novo crescimento de dois dígitos para a região.

O faturamento na América Latina representa cerca de 10% do total das Américas para a Wacker Neuson e, com crescimento constante, a região se torna cada vez mais importante. Estamos penetrando diferentes segmentos do mercado e o potencial existente é promissor.

Quais são os principais mercados?

 

Temos filiais no Brasil, México, Chile, Peru e Colômbia, e uma presença ativa no resto dos países com o apoio de um departamento especializado (LAD).

O crescimento potencial de todos estes países é muito importante para nós. Em diferentes níveis e, ano após ano, vários países mostraram um forte crescimento, enquanto outros tiveram redução ou se mantiveram estáveis. Isto é algo comum na região. Por exemplo, o Brasil teve um colapso há alguns anos e agora apresentou uma melhora no último trimestre. Enquanto isso, a Argentina está fazendo alguns ajustes com um futuro promissor; a Colômbia e o Peru demonstram grande potencial e grandes recursos, mas com problemas políticos; a América Central tem altos e baixos; o México está crescendo em alguns segmentos econômicos, mas sofre o impacto da influência dos Estados Unidos. Entender estes altos e baixos é o grande desafio.

Como você avalia os distribuidores?

 

Levando em consideração o comentário anterior sobre os altos e baixos, eles estão fazendo um bom trabalho e podemos ver grandes esforços e melhorias. O compromisso e as relações de longo prazo são muito importantes para nós. Precisamos entender e estar atentos às condições de mercado de cada lugar e tentar apoiar os distribuidores no que for possível. Impor objetivos agressivos sem entender os riscos para eles é provável que gere problemas e não é leal da nossa parte. Para nós, a palavra “distribuidor” significa “sócio” e estamos trabalhando de forma muito próxima com nossos sócios.

Na América Latina, queremos aumentar a penetração no mercado por meio da venda cruzada e ampliar ainda mais nossa posição como fornecedores de equipamentos leves e compactos. Ainda há muito potencial de crescimento para a Wacker Neuson em todos os países da região. Focamos nossos esforços onde podemos alcançar uma posição de mercado sustentável e onde podemos oferecer um pacote adequado de produtos e serviços.

Como foi a associação com a brasileira Randon?

 

Formamos uma aliança estratégia. As retroescavadeiras são fabricadas pela Randon na fábrica, em Caxias do Sul, e distribuídas pela rede de vendas da Wacker Neuson. Isto nos permite oferecer estes equipamentos nas categorias de peso de 6 a 7 toneladas, adaptadas especificamente às necessidades do mercado latino-americano.

É um produto muito importante para complementar a nossa carteira. Com este lançamento, a Wacker Neuson oferece a linha de produtos compactos mais completa do mundo, com mais de 100 modelos diferentes. Também é uma excelente oportunidade para que os nossos concessionários ofereçam as retroescavadeiras junto com outros produtos compactos como escavadeiras, dumpers, minicarregadeiras, carregadeiras compactas e os manipuladores telescópicos. Vemos um progresso contínuo aqui e estamos satisfeitos com o desenvolvimento.

Existem novidades previstas para 2018?

 

Claro. O grupo Wacker Neuson tem um forte investimento em pesquisa e desenvolvimento e estamos lançamento constantemente novos produtos e melhorias em todo o mundo.

Estamos particularmente interessados em aproveitar o potencial de crescimento nos campos comerciais centrais com tecnologia de compactação e concreto e produtos da linha de equipamentos compactos. Para a região, planejamentos apresentar em breve o quadro mediano de minicarregadeiras, a nova torre de iluminação (LTV) e a nova geração de compactadores de solo.