manitou mt x 1841

Há três anos o Grupo Manitou chegou ao Brasil com sua instalação fabril e de distribuição em Vinhedo, cidade do interior de São Paulo. Desde então, os progressos vêm sendo reais e a perspectiva é positiva.

Em essência, os avanços da Manitou no Brasil (e a partir daqui a toda a América Latina) têm tudo a ver com o nome da companhia francesa: de acordo com Laurent Bonnaure, novo vice-presidente executivo do grupo, Manitou é uma abreviação de “manipuler tout”, o que em português significa manipular tudo.

Aí reside o segredo do sucesso da Manitou na América Latina: sua oferta especialmente grande e versátil de manipuladores telescópicos. O modelo fabricado no Brasil, o MT-X 1841, vem ganhando espaço no país e na região sul-americana. Além disso, modelos que são importados da França estão conquistando seu espaço entre empresas locadoras de toda a região por suas características únicas, como a rotação total dos manipuladores da linha MRT.

Venda conceito

O sucesso de seus manipuladores na América Latina tem ainda mais significado se lemos com atenção o que diz o vice-presidente a respeito deste mercado: “Manipuladores telescópicos são a venda mais complexa. Há muitos mercados que ainda não sabem o que é um manipulador. Por isso o consideramos como uma venda conceitual”.

Laurent Bonnaure afirma que o desconhecimento sobre as possibilidades dos manipuladores telescópicos não é exclusividade da América Latina. Mesmo nos Estados Unidos, de acordo com o executivo, a Manitou teve que promover o produto com demonstrações a clientes potenciais, que só então perceberam a versatilidade intrínseca do equipamento.

“Um manipulador padrão tem os benefícios de uma carregadeira de rodas, mas com a vantagem adicional da extensão. Mas além de carregar material bruto, um manipulador pode receber muitas ferramentas. Um só manipulador por trabalhar com garfo pallet, gancho de guindaste, betoneira de concreto, carregador de pneus e cilindros, e muitos outros implementos. E, também, um manipulador pode se transformar em uma plataforma de elevação de pessoas”, diz.

Especificamente, a linha MRT, que gira 360° sobre seu eixo, se destaca porque pode até mesmo servir como um guindaste móvel até um certo limite de peso e altura. “Se pensamos que estamos sempre aumentando a altura de trabalho da linha MRT, entende-se por que cada vez mais pessoas estão substituindo os guindastes móveis por este modelo. Custa quatro ou cinco vezes menos, e vale a pena até que se necessite chegar a uma altura que realmente justifique um guindaste móvel”, diz o executivo.

O fabricante francês comprova com sua oferta atual a máxima sobre a necessidade de inovação constante na indústria contemporânea. A Manitou é conhecida por estar buscando sempre a inovação, seja em equipamentos ou nos serviços prestados. De acordo com Bonnaure, a emrpesa tem 350 engenheiros na França e nos Estados Unidos, dedicados a escutar os clientes e apresentar soluções. Esta prática se traduz no registro de dez novas patentes anualmente pela Manitou. E seguramente guarda relação com o sucesso comercial da marca, comprovado pelo crescimento de 40% do negócio nos últimos quatro anos. No ano passado, cresceu 19% frente o ano anterior.

Como define o vice-presidente Laurent Bonnaure: “vender o conceito é mais importante do que vender a máquina”.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters