BBA

Modelos BA150E D285 e BA180E D328 da BBA Pumps conseguiram retirar 46.000 m3 de águas residuais numa represa do Panamá.

As bombas de movimentação de fluidos e líquidos operam em muitas aplicações essenciais. Há aquelas em que as bombas são aplicadas porque há um serviço regular a fazer, como obras de infraestrutura, mineração e estações hídricas. No entanto, há casos nos quais as bombas são o instrumento de salvação em uma emergência, como nas situações de enchentes, transbordamento de rios ou chuvas fortes.

Seja como for, o setor de bombas mantém seu desenvolvimento tecnológico em marcha, para atender um mundo crescentemente abalado por desastres ambientais. Pode-se prever com razoabilidade que os eventos climáticos levarão a uma maior demanda por bombas, ao mesmo tempo que os necessários investimentos em infraestrutura igualmente continuarão demandando modelos de sucção de fluidos para realizar tarefas indispensáveis.

É por isso que uma variedade de fabricantes destes equipamentos continua lançando soluções, como é o caso da empresa BBA Pumps, dos Países Baixos, que recentemente aplicou seus equipamentos em um projeto de desaguamento numa obra no Panamá.

Um túnel de 4.250 metros precisava de reparações estruturais, e o projeto era sensível, visto que o túnel faz parte da hidrelétrica de Boca de Toro, que com duas turbinas gera 223MW de potência para os panamenhos. A primeira etapa da drenagem deste túnel foi feita por gravidade, usando tubulações providas pela própria BBA Pumps. Depois, faltava retirar 46 mil m3 de águas residuais, ação que foi concluída com um conjunto de motobombas BA150E D285 (de 7 polegadas) e BA180E D328 (de 8 polegadas).

Lançamentos

Thompson

A Thompson Pump lançou a 6RW, que tem capacidade de até 1.400 gpm e trabalha em alturas de até 24,3 metros.

Outros fabricantes que competem neste mercado vêm atualizando seus portfólios. É o caso da norte-americana Thompson Pump, empresa que está celebrando se quinquagésimo aniversário este ano. A empresa lançou na última ConExpo o modelo 6RW-DIS-4LE2T-X, que faz parte de sua série de bombas Wellpoint.

Esta série é fruto de uma invenção do fundador da companhia, George Thompson. Com escorva automática, a nova bomba 6RW da Thompson pode movimentar até 1,4 mil gpm (equivalente a quase 5,3 mil litros por minuto), trabalhando em alturas de até 24,3 metros e com velocidades de motor de até 2 mil rpm. Assim, a nova 6RW é ideal para desaguamento de águas residuais e drenagens, sendo possível que substitua uma bomba a vácuo ou pistão de 6 polegadas.

“A versão 6 deste modelo foi criada, em parte, devido à alta demanda por expandir as capacidades de desaguamento da família de bombas rotatórias”, disse o presidente da Thompson Pump, Chris Thompson.

Itu

Um conjunto de 18 bombas ITU1212S17 da Itubombas, parte da Atlas Copco, garantiu a segurança da gestão de rejeitos de mineração.

Outro fabricante dos Estados Unidos que lançou recentemente uma nova bomba é a Gorman Rupp. A empresa introduziu o modelo de bomba para lamas SludgeKat, equipamento hidraulicamente motorizado que pode movimentar 14,3 litros de lamas por segundo. Sua válvula esférica antiobstrução permite trabalhar com fluidos contendo rochas, rejeitos e escombros de até 2,4 polegadas de diâmetro. Por ter um motor de 197 litros de volume, a nova SludgeKat da Gorman Rupp pode trabalhar por até 25 horas sem necessidade de reabastecer de combustível. Além disso, o modelo vem montado sobre rodas e tem um marco de metal que oferece mais versatilidade para conexão de tubos de maior comprimento.

Com estas características, a SludgeKat da Gorman Rupp é idônea para aplicações de desativação de poços, limpeza de tanques, perfuração para o setor de petróleo e gás, lamas naturais, limpeza ambiental e uma variedade de outras aplicações em que o fluido seja similar à lama.

Da mesma forma, a também norte-americana Multiquip apresentou recentemente uma nova bomba para fluidos densos e contaminados com sólidos. A nova QP3THX Quiet Run é um modelo compacto que é apto para trabalhar com mangueiras de até três polegadas. Sua capacidade de sucção ascende aos 396 galões por minuto (ou cerca de 1.500 litros por minuto), e sua altura máxima de trabalho é de 29 metros.

De acordo com a Multiquip, esta nova bomba pode movimentar fluidos com até 25% de sólidos, cujas dimensões máximas podem ser de até 1,5 polegada sem gerar problemas de obstrução.

Mas a característica mais celebrada pela Multiquip em sua nova bomba é o silêncio. O modelo QP3THX emite ruídos de não mais do que 75 decibéis, o que de acordo com a empresa é o volume sonoro equivalente a um aspirador de pó doméstico.

Aplicação

Outro fabricante muito tradicional do mercado de bombas é o grupo sueco Atlas Copco, que na América Latina adquiriu a fabricante brasileira Itubombas. Em 2019, a empresa prestou um grande serviço de gestão de fluidos de mineração no estado de Minas Gerais.

O tema era sumamente sensível por tratar-se de evitar o tipo de situação que pode vir a resultar em acidentes com rompimento de barragens de rejeitos. A mineradora em questão precisava manter estável sua barragem de rejeitos durante o período de chuvas. Por isso, contratou a Itubombas para um serviço de seis meses, visando a estabilização dos volumes retidos, mediante a aplicação de 18 motobombas modelo ITU1212S17.

Gorman

A nova SludgeKat da Gorman Rupp pode movimentar até 14,3 litros de lamas por segundo.

O contrato de serviço previa a instalação das bombas, além de assistência técnica e de engenharia regularmente no local, tubulações de sucção de 18 polegadas e muitos outros acessórios necessários para retirar o excesso de água de chuva do depósito dos rejeitos de mineração.

Os modelos ITU1212S17 movimentam até 1.500 m3 por hora de trabalho. Entre outras características destas bombas, estão seu sistema de acionamento e monitoramento remoto, o que facilita a operação de longo prazo com total controle sobre a logística de combustível ao longo do serviço.

Diferente de muitos de seus competidores, a Itubombas é uma empresa jovem, fundada em 2003, que se especializou no desenvolvimento de soluções de engenharia e serviço, locação e instalação de motobombas a diesel ou elétricas. Seus modelos são autoescorvantes e têm taxa de fluxo de até 2.000 m3 por hora de operação, e pressão de até 40 bar.

A empresa atende clientes em todo o Brasil, e desde a sua aquisição pela Atlas Copco, seu portfólio de soluções aumentou em número e qualidade. Desde então, a Itubombas se tornou um representante das tecnologias da sueca em solo brasileiro, mas mantendo sua alma de empresa provedora de serviços especializados de bombeamento.

A realidade do mercado de bombas, como se nota, é ampla e variada. Por isso, continuará sendo uma oportunidade muito boa para fabricantes e uma saída técnica viável para um sem número de projetos e necessidades.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters