O “Sistema de Tratamento das Águas Residuais da bacia do Lago Titicaca” funciona com energias alternativas.

O “Sistema de Tratamento das Águas Residuais da Bacia do Lago Titicaca”, ganhou a 16° versão do “Prêmio ao Projeto do ano Latino-americano e do Caribe” na categoria “Melhor Projeto de Infraestrutura Sustentável de 2018”, galardão promovido pela Oracle Aconex.

titicaca

O reconhecimento é outorgado a cinco projetos ativos de infraestrutura em cinco categorias diferente que demostrem um compromisso importante em pós da humanidade, maximização da tecnologia, economia e cultura sustentável na região.

Nessa linha, o projeto Titicaca disputou a categoria “Melhor Projeto de Infraestrutura Sustentável de 2018” com outros projetos da região como Microrrredes Sigora, no Haíti; o Abastecimento de combustíveis do Caribe SeaOne, no México, a Central Hidroelétrica Ituango, na Colômbia e o PRASA Water Utility PPP, em Porto Rico.

O prêmio reconhece o projeto galardoando aquele que tenha maior impacto significativo na agenda ecológica de sua região, que utiliza energia solar, eólica e geotérmica e gás natural como fontes de combustível, entre outras.

Em relação ao projeto em particular, abrange o desenho, financiamento, construção, ampliação, reabilitação, operação e manutenção do sistema de tratamento de águas residuais de seis localidades peruanas :Puno, Juliaca, Ayaviri, Juli, llave e Moho; além da operação e manutenção das usinas localizadas em Azángaro, Huancané, Lampa e Yunguyo.

Tudo isso, demandará investimentos de cerca de US$257 milhões e beneficiaria a mais de 1 milhão 175 mil peruanos. A concretização do projeto contribuirá à melhoria da saúde pública, favorecerá à redução da contaminação do lago Titicaca e promoverá o aumento das atividades econômicas da região, como o turismo, por exemplo.

A cerimônia de premiação foi realizada em Miami durante o 16° “Fórum de Liderança de Infraestrutura Latino-americana e do Caribe”, realizada entre 24 e 26 de julho.