Palfinger Picture1

A Palfinger faturou 1,1 bilhão de euros nos primeiros três trimestres do ano, o que foi um resultado 15,2% menor do que o 1,3 bilhão que a empresa austríaca teve de receita no mesmo período do ano passado.

A queda nas vendas da marca de guindautos e plataformas de acesso foi atribuída ao coronavírus. Mas a recuperação no terceiro trimestre teve um efeito positivo na receita e no lucro da empresa. Os mercados da Europa, Rússia, China e América Latina se estabilizaram entre julho e setembro. Os níveis de pedido atuais coincidem com os do final de 2019.

O EBITDA de 140,3 milhões de euros foi 19,9% inferior aos 175,1 milhões de euros dos três primeiros quartos do ano passado.

“A Palfinger administrou bem a primeira fase da crise, e demonstrou um alto grau de estabilidade. Neste sentido, quero reconhecer especialmente os nossos funcionários”, afirmou Andreas Klauser, CEO da marca austríaca.

Para 2020, a empresa prevê que a receite fique acima de 1,5 bilhão de euros, e que o EBIT seja de 100 milhões de euros. O objetivo de receita anual de 2 bilhões de euros “com margem EBIT de 10% e um ROCE médio de 10% durante o ciclo econômico continua sendo o mesmo, mas o adiamos para 2024, dois anos mais tarde”.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters