Gasoducto Sur Peruano

Gasoducto Sur Peruano

O governo peruano pôs um freio às intenções de venda de 55% da participação da Odebrecht no consórcio do Gasoduto Sul Peruano a um outro consórcio, integrado pelas empresas Techint e Sempra. O projeto tem investimento previsto de US$ 7,5 bilhões.

Isto porque a autoridade peruana comunicou às empresas interessadas em entrar no projeto que não vai suprimir a cláusula anti-corrupção contemplada no contrato do Gasoduto. Antes, o consórcio Techint Sempra havia condicionado a compra das ações da Odebrecht no projeto à eliminação desta cláusula contratual, relacionada a pagamentos indevidos no processo de licitação.

Esta solicitação tem relação com que a cláusula poderia anular o contrato, já que a Odebrecht passa pelas investigações no Brasil por formação de cartel e corrupção. A Techint e a Sempra temem que estes pagamentos possam ter incluído funcionários do governo peruano.

O consórcio deverá agora decidir se entra no projeto como co-proprietário ou se desiste da intenção de compra, dado o risco de anulação do contrato. Se isso acontecer, a concessão pode voltar à propriedade do Estado.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters