Trecho subterrâneo do primeiro trem de alta velocidade da América Latina será de 9,5 km.

bitren

O titular da Secretaria de Comunicações e Transportes (SCT) do governo mexicano, Gerardo Ruiz Esparza, testemunhou as últimas perfurações da máquina TBM batizada de La Mexiquense, que em conjunto com outra TBM batizada de La Marquesa, escavaram cerca de 9,5 km de comprimento.

A ferrovia total terá 58 quilômetros, segundo a SCT. Este será o primeiro trem de alta velocidade da América Latina, e comunicará as cidades de México e Toluca com dois terminais (Zinacantepec e Observatorio) e quatro estações no meio do caminho. O trem deverá iniciar operação em meados de 2019, com algum atraso em relação ao que havia sido prometido, que era até o final deste ano.

Enquanto perfuravam, as TBMs também instalavam 6.312 aduelas que formam os túneis. Os equipamentos trabalharam sem parar por um ano inteiro, a fim de entregar agora os túneis.

Por serem TBMs com tecnologia de Earth Pressure Balance, as máquinas usadas no México permitiram melhorar a estabilidade do solo e gerar menos impactos ambientais. Cada uma delas extraiu cerca de 285 mil metros cúbicos de material.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters