As vendas líquidas da Manitowoc tiveram uma queda de 20,6% no terceiro trimestre do ano. A fabricante de guindastes obteve receitas por US$355,6 milhões, em comparação aos US$ 448 milhões do mesmo período em 2019.

A empresa informou também um prejuízo de US$ 400 mil para o trimestre. O EBITDA ajustado foi de US$ 24,8 milhões, ou 7% das vendas, uma redução de US$ 18 milhões em relação ao terceiro trimestre de 2019.

Por sua vez, os pedidos no terceiro trimestre foram de US$ 389,9 milhões, 10,5% maiores do que o período de julho a setembro do ano passado. Ao fina de setembro, a carteira era de US$ 464,8 milhões, quase o mesmo do ano anterior, mas 8% acima do trimestre anterior (fins de junho de 2020).

“Nossos resultados do terceiro trimestre mostram pedidos mais fortes do que antecipamos. Continuamos administrando nossos custos e programas de produção de maneira estrita, e estou muito satisfeito com nossa execução operacional e geração de caixa neste período. Agradeço a nossa equipe por seu extraordinário esforço para continuar gerindo o vento contra da pandemia, e ao mesmo tempo superando nossas expectativas financeiras”, disse Aaron Ravencroft, presidente e diretor executivo da Manitowoc.

“Terminamos o trimestre com quase US$ 400 milhões de liquidez. Apesar do ambiente negativo, continuamos investindo no futuro. O desenvolvimento de novos produtos continua e começamos estratégias orgânicas para aumentar as vendas. Nosso balanço é sólido e estamos preparados para realizar aquisições uma vez que o ambiente se estabilize. Confio em nossas oportunidades a longo prazo e nossa capacidade para aumentar o valor para acionistas”, disse o executivo.

A empresa prevê receitas para o quarto trimestre de entre US$ 425 milhões e US$ 450 milhões.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters