Co-processamento de resíduos pela maior cimenteira do mundo foi recorde. 

geocycle

Separação de resíduos na Geocycle.

A maior cimenteira do mundo, a LafargeHolcim, divulgou que em 2017 conseguiu tratar 10 milhões de toneladas de resíduos sólidos em suas plantas de produção de cimento, 13% a mais do que em 2016.

Sua divisão Geocycle, responsável pelo co-processamento de resíduos em fornos de produção de cimento, utilizou em operações ao redor do mundo resíduos como lixo residencial, pneus descartados, resíduos de óleos, solos contaminados, restos de demolição e outros materiais.

De acordo com Jan Jenisch, CEO global da LafargeHolcim, a empresa “é uma líder global no mercado de materiais de construção. A sustentabilidade da construção é essencial para o futuro, e nós queremos ter um papel importante nisto. Nós oferecemos soluções que facilitam a simultânea recuperação e reciclagem de resíduos. Temos planos ambiciosos nesta área de atuação em todo o mundo”.

Nas diferentes regiões do planeta, a Geocycle adotou diferentes materiais para os fornos da LafargeHolcim. Na América do Norte e Europa, os resíduos industriais foram os mais usados, enquanto na África foi a biomassa, e na América Latina e Ásia os principais materiais foram os lixos residenciais.

O co-processamento é a queima de materiais descartados em fornos de clínquer, etapa fundamental para a produção de cimento. Suas cinzas são incorporadas ao próprio clínquer, o que significa que o CO2 gerado pela queima não é emitido para o ambiente.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters