Los robots de demolición evitan lesiones en los operadores.

Em certas atividades, fazer “à mão” implica ter um resultado de maior qualidade. Mas em setores como a reparação de concreto e limpeza industrial, fazer um trabalho à mão frequentemente significa maior risco para os trabalhadores e resultados menos precisos. Nestes casos, o uso por exemplo de jatos manuais de alta pressão em geral leva à fadiga, podendo produzir lesões, com seus consequentes custos jurídicos e financeiros.

Muitos já descobrem que a solução para aumentar a produtividade é aproveitar-se das novas tecnologias. A hidrodemolição compacta melhora a utilização da força de trabalho e a produtividade, ao mesmo tempo que dá a segurança ao trabalhador de operar a uma distância segura. O sistema permite que um projeto se complete em até 10 vezes menos tempo do que com jatos manuais.

O custo do cansaço

Trabalhadores cansados geram perdas significativas de produtividade no trabalho. O Conselho Nacional de Segurança dos Estados Unidos calcula que um rendimento reduzido devido à fadiga possa custar às empresas até US$ 3,1 mil por empregado por ano.

Dado que os jatos manuais requerem que os trabalhadores resistam à força para trás enquanto operam a água sob alta pressão, aumenta-se o cansaço. Um trabalhador que usa um jato manual de 30 mil psi deve lutar constantemente contra uma força de cerca de 24,5 kgf em uma operação normal. O esgotamento físico se traduz em menor produtividade e maior custo para a empresa.

Os sistemas de hidrodemolição robótivos compactos são uma forma de combater a fadiga do trabalhador com tecnologia. Os controles ergonômicos montados à altura da cintura permitem trabalhar por horas sem cansaço, melhorando a produtividade.

Produtividad a partir da segurança

Pela combinação de jatos de água em alta pressão e a possibilidade de erro humano, os jatos manuais são intrinsecamente perigosos. A água pressurizada ameaça mesmo aqueles que estão usando os devidos EPIs.

Os sistemas de hidrodemolição permitem aos operadores ficarem distantes da área de trabalho, mantendo-os a salvo dos escombros, da poeira e de materiais perigosos. E diferentemente dos jatos manuais, estes robôs evitam que os trabalhadores absorvam o impacto do processo de extração do concreto, assim eliminando as lesões de mão, pulso, ombro e costas, que são comuns na operação de ferramentas manuais.

Como os robôs de hidrodemolição podem ser montados em andaimes padrão e trabalhar em espaços reduzidos, pode-se economizar o tempo de montagem dos sistemas de eliminação de quedas. Os operadores podem permanecer a uma distância segura das áreas de risco de queda, o que elimina a necessidade de montar e desmontar estes sistemas, que em geral consomem muito tempo

Precisão robótica

Aquajet_ERGO_6

Os sistemas de hidrodemolição compacta podem funcionar mais rápido, de maneira mais eficiente e com mais precisão que uma pessoa operando um jato manual.

Os robôs também podem se programar para manter uma profundidade de extração específica, uma façanha impossível com as ferramentas de jato manual. O controle constante da profundidade de ataque elimina o imprevisto no rendimento do trabalho.

Descanso para os estressados

Em um setor que muda constantemente, a adoção de máquinas de alta tecnologia ajuda aqueles que são inovadores a ter mais eficiência e produtividade. Um terno feito à mão pode justificar tempo e esforço adicionais, mas quem trabalha com reparação de estruturas de concreto e em limpeza industrial não pode se permitir perda de tempo ou de produtividade, assim como os maiores riscos associados à prática manual.

Sobre o Autor

Keith Armishaw e gerente de desenvolvimento comercial para América do Norte da Aquajet Systems

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters

Temas