Kristalina Georgieva

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou que a pandemia do Covid-19 arrastará o mundo para uma recessão que será igual ou pior do que a experimentada em 2009.

“Revisamos nossas previsões para 2020 e 2021, e hoje está claro que o mundo entrou em uma nova recessão, que esperamos que será tão má ou pior do que a crise financeira de 2009”, afirmou em conferência virtual a diretora do FMI Kristalina Georgieva, ao avaliar o impacto da expansão global do Coronavírus.

Segundo ela, uma possível recuperação em 2021 dependerá do que se conseguir em termos de controle do vírus em todas as partes do mundo, e de evitar que os problemas de liquidez se transformem em uma crise de solvência.

“Desde o início da crise, os investidores já retiraram cerca de US$ 83 bilhões dos mercados emergentes, a maior saída de capitais jamais registrada. Nos preocupa especialmente a situação dos países de menor renda que estão endividados, uma questão sobre a qual estamos trabalhando estreitamente com o Banco Mundial”.

Cerca de 80 países já abordaram o FMI na busca por assistência ou ajuda financeira de emergência. O órgão tem atualmente um fundo de emergência de cerca de US$ 50 bilhões.

“Os custos humanos da pandemia já são imensuráveis, e é preciso que todos os países trabalhem em colaboração para proteger o povo e o dano econômico. Este é o momento de atuar com solidariedade, um tema central na reunião que tiveram ontem os ministros de economia e presidentes de bancos centrais do G-20”, afirmou Georgieva.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters