Obra poderia economizar 30% do custo de transporte naval da Argentina ao usar porto de Copiapó.

Belgrano Norte

Sistema Belgrano Norte

Os navios que saem da Argentina com destino ao Pacífico chegam ao outro lado através do Estreito de Magalhães, ao sul, ou pelo Canal do Panamá, pelo norte. A viagem dura ao menos 40 dias, gerando assim altos custos logísticos que afetam a competitividade do país.

Por isso, o governador da província de La Rioja, Sergio Casas, está levando adiante o projeto de construção de um corredor interoceânico que reduza estes custos, dando aos produtos argentinos a possibilidade de escoar à Ásia através de portos chilenos.

O projeto é construir uma ferrovia que conecte o sistema Belgrano Norte, no norte da Argentina, com Copiapó, norte do Chile, onde fica o porto de águas profundas Punta Caleta, pertencente à empresa Puerto Caldera SA.

O traçado incluiria duas estações de transferência de carga em Chamical e Recreo, chegando ao Chile através da passagem San Francisco, que termina em Copiapó. Desta maneira, a ecomomia no transporte de cargas seria de 30% em relação às opções atuais por Magalhães ou Panamá.

O Porto de Caldera é capaz de receber os navios Valemax, cuja capacidade chega a 400 mil toneladas, quase dez veses mais do que os navios que hoje saem da Argentina pelo Rio de la Plata e pelo rio Paraná.

Para concretizar o projeto, é fundamental intervir nas ferrovias do sistema Belgrano Norte e construir cerca de 400 km de ferrovias para o Chile. O investimento necessário seria de US$ 1,8 bilhão, o que inclui também obras rodoviárias para criar acessos a pontos de carga na ferrovia e obras na zona portuária em solo chileno.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters