Um estudo realizado pela empresa internacional de pesquisas de mercado Freedonia calcula que a demanda global por cimento vai crescer em média 9,3% ao ano até 2017, quando alcançará um valor de US$ 21,2 bilhões.

A região Ásia Pacífico continuará sendo a principal demandante do insumo de construção. O estudo prevê que o consumo de cimento nos países asiáticos vai crescer a uma média de 9,2% ao ano e chegar ao valor de US$ 10,6 bilhões em 2017.

O crescimento médio mais forte que o estudo espera registrar entre os anos de 2012 e 2017 é na África e no Oriente Médio. Nessas regiões, está previsto que o consumo cresça a uma taxa de 10,6% ao ano e chegue ao valor de US$ 1,37 bilhões ao final do período.

As Américas do Sul e Central também terão crescimento forte no consumo de cimento, de acordo com o estudo. O consumo crescerá na média 10,3%, mas o valor da demanda agregada por cimento em 2017 será de US$ 633 milhões, muito inferior ao que se calcula para outras regiões.

Na América do Norte, por exemplo, a recuperação econômica recente fará com que a demanda pelo insumo cresça na média 10% ao ano, mas com horizonte de chegar a valer US$ 4,2 bilhões em 2017.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters