Dois projetos de concessão para operação somam quase US$ 30 milhões.

Através da Agência Nacional de Infraestrutura da Colômbia (ANI), foi licitado um contrato com o Consórcio Ibines, por um valor próximo a US$ 29 milhões para a manutenção, conservação, administração, vigilância, sinalização, controle de tráfego e operação de corredores ferroviários entre Bogotá e Belencito, e entre La Dorada e Chiriguaná.

O contrato será de 12 meses e serão investidos US$ 13,6 milhões no corredor que começa em Bogotá, e US$ 15,7 milhões no outro trecho. A licitação começou em março pasado, quando quatro consórcios participaram. Neles, havia empresas espanholas, chinesas, portuguesas e da própria Colômbia. O vencedor, Ibines, é formado por Iberovias (40%), Espina y Delfín Colombia (10%), INfraestructura Nacional Ltd. (25%) e Ingeral Compañía (25%).

O presidente da ANI, Louis Klein, afirmou que “com esta licitação mostramos o interesse e o propósito do governo em continuar construindo infraestrutura a serviço das regiões, e a competitividade do país. Os objetivos do nosso Plano Nacional de Desenvolvimento continuam avançando a fim de entregar infraestrutura moderna, que impulsione o desenvolvimento do país e melhore a qualidade de vida dos colombianos”.

A estrada de ferro Bogotá-Belencito tem uma capacidade anual de três milhões de toneladas transportadas, enquanto o corredor que se inicia em La Dorada a capacidade de transporte chega a 5 milhões de toneladas ano.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters