inka

A empresa peruana de cimento Inka iniciará nos próximos meses as obras de sua nova planta de produção na cidade de Pisco, a um custo de US$ 20 milhões.

Segundo o gerente de marketing da empresa, Carlos Alberto Choy, a construção da moenda deverá demorar um ano, e deverá entrar em operação no segundo semestre do ano que vem.

As obras deverão começar nos próximos meses. “A estratégia que buscamos é alcançar maior capacidade de atender clientes na parte sul do país, com a finalidade de chegar a cidades como Ayacucho ou Apurímac. Todos os equipamentos e instalações de Pisco já estão chegando para a obra, e uma vez em operação, a unidade terá a capacidade de produzir 700 mil toneladas de cimento por ano”, disse Choy.

Além disso, o executivo da cimenteira afirmou que está sendo ampliada uma outra planta na cidade de Huachipa, a leste de Lima, onde se produzem 500 mil toneladas de cimento por ano. A partir de julho, começarão ali as obras para abrir ali uma linha de produção de artefatos de concreto. “Esperamos que no quarto trimestre de 2019 possamos entrar em operação para atender a demanda da construção e a grande indústria”, disse o executivo da empresa.

Choy, além disso, disse que a Inka tem expectativa de crescer 10% este ano. Ao mesmo tempo, espera-se que, no ano que vem, tenha 10% de participação do mercado nacional de cimento, com produção de 1,2 milhão de toneladas anuais. “O mercado local consome cerca de 11 milhões de toneladas anualmente”, disse ele.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters