CCHC

A Câmara Chilena da Construção (CChC) apresentou uma proposta para reativar o setor no país, considerando investimentos de US$ 22,6 bilhões nos próximos três anos, e a criação de 600 postos de trabalho.

“O país está vivendo uma séria crise econômica e uma acelerada perda de empregos, diante do que nosso setor pode ter um papel de contenção e reativação muito importante. De fato, nesta proposta identificamos medidas e projetos concretos – de rápida execução, tanto na área de moradia como na de infraestrutura – que sem dúvida ajudarão a materializar o Plano de Emergência que foi acordado no último fim de semana pelo mundo político. É disso que hoje se necessita e é com o que precisamente queremos contribuir neste Plano”, afirmou o presidente da associação, Patricio Donoso.

O “Plano de Emergência e Reativação” contempla para o triênio 2020-2022 um investimento total de US$ 22,6 bilhões, considerando US$ 10,29 bilhões de investimentos públicos e US$ 12,31 bilhões de investimentos privados, e a criação de 600 mil empregos (240 mil em 2020, e 360 mil em 2021 e 2022).

A proposta reivindica dois outros objetivos prioritários: satisfazer demandas sociais associadas à moradia, mobiliário urbano e infraestrutura básica, e abordar problemáticas urgentes, como a crise hídrica que afeta o país. Tudo isso através de um impulso ao investimento e um estreito trabalho colaborativo entre o setor público e o privado.

Donoso disse, também, que embora se coloque ênfase no curto prazo, decidiu-se considerar um horizonte de três anos dada a experiência de crises anteriores. “Por exemplo, após a crise de 1981, foram precisos quatro anos para voltar a alcançar os níveis de emprego que havia antes, e três anos no caso da crise de 1999. Ou seja, será necessário, mais do que um impulso inicial, um esforço sustentado para deixar para trás a atual situação que estamos vivendo”.

Foco Chile

Propostas em Moradia e Cidades

A CChC propõe a criação de 495 mil empregos diretos e indiretos (200 mil este ano e outros 295 mil no período 2021-2022) e mitigar os problemas do déficit habitacional, com proliferação de favelas, mediante:

- A construção em condições especiais de 90 mil moradias de integração social e territorial associadas ao Programa DS 19, para ativar de imediato a oferta já disponível.

- A resolução de incertezas que afetam 45 mil moradias já autorizadas, mas cujas obras não começaram.

- A construção de 5 mil moradias de um plano piloto de “Aluguel Social” em terras públicas.

- A entrega em condições especiais de 20 mil novos subsídios para melhoramento de moradias e bairros.

- A construção em condições especiais de 10 mil moradias para setores vulneráveis e áreas de maior déficit habitacional.

A proposta considera um investimento total de US$ 9,6 bilhões, com US$ 7,5 bilhões de investimento privado e US$ 2,1 bilhões de investimentos públicos.

Propostas em Infraestrutura

Com o objetivo de gerar 104.200 empregos diretos e indiretos (42.600 este ano e outros 61.600 entre 2021 e 2022), a proposta da câmara considera:

- A construção de 331 projetos para melhorar a mobilidade urbana e interurbana.

- A construção de 224 projetos para aumentar a disponibilidade de água no país.

- A construção de cinco projetos nas áreas de mineração e energia.

- Incorporar 423 novos leitos ao sistema hospitalar mediante a execução de 105 projetos relacionados com reparação e construção de consultórios e serviços de saúde.

A proposta de infraestrutura prevê um investimento total de US$ 13 bilhões, com US$ 4,81 bilhões de investimento privado e US$ 8,19 bilhões de investimentos públicos.

Chile

Requisitos estruturais

Na apresentação do “Plano de Emprego e Reativação” da CChC, o presidente da associação das construtoras afirmou que para realizar estes objetivos há que se atender uma série de requisitos estruturais. Entre eles, destacou a importância da política pública para reduzir a insolvência das empresas, o aperfeiçoamento das relações contratuais, a segurança jurídica para o desenvolvimento de investimentos, a eliminação de travas regulatórias e burocráticas, uma política de estímulos ao investimento privado, a elaboração de uma “Agenda Digital” e um plano de retorno para iniciar a reativação baseada em protocolos sanitários, como o que já está em ação no setor de construção.

Para conhecer a proposta completa da CChC, clique aqui.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters