Ecebol vai prover cimento para a maioria das obras no país, criando um ciclo de fortalecimento industrial. 

Ecebol

A Empresa Pública Produtiva de Cimento da Bolívia (Ecebol) realizou investimentos de US$ 306 milhões para inaugurar aquela que eles consideram a fábrica de cimento mais moderna da América do Sul. O local, que fica em Oruro, tem capacidade de produção de 1,3 milhão de toneladas de cimento por ano.

“A fábrica produzirá muita matéria prima usada em diversas obras, como projetos rodoviários, megaprojetos hidroelétricos, moradias, escolas e hospitais. Junto com os profissionais do país, são obras que contribuirão para o desenvolvimento”, disse o presidente da Sociedade de Engenheiros da Bolívia, Carlos Ballón.

No mês passado, a Bolívia promulgou a lei 1203, que declara de interesse público o uso de cimento Portland e/ou puzolânico com clínquer 100% de origem boliviana para obras de infraestrutura civil, produtiva ou social, assim como a infraestrutura complementar e sua correspondente manutenção, “com o objetivo de fortalecer a indústria nacional”, complementou Ballón.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters