Panama canal

A construtora espanhola Sacyr sofreu uma perda de mais de 20% no valor de suas ações no início desta semana, depois que o mercado conheceu a notícia de que a empresa deverá pagar 85 milhões de euros à Autoridade do Canal do Panamá. A condenação é a parte da Sacyr numa indenização imposta pela Câmara Internacional de Comércio sobre o consórcio Grupo Unidos pelo Canal (GUPC), que construiu um terceiro jogo de eclusas no canal. O total da indenização é de 206 milhões de euros.

A Sacyr é proprietária de 41,6% do consórcio, que é integrado também pela italiana Impregilo, a belga Jan de Nul e a panamenha CUSA.

Sobre a decisão, a Sacyr declarou que “respeita, mas não concorda, da decisão do tribunal de arbitragem da Câmara Internacional de Comércio”. A empresa afirmou também que “tem uma posição financeira estável e positiva, o que lhe permitirá atender o resultado desta decisão sem comprometer sua solvência financeira nem os projetos em curso”.

Segundo comunicado da empresa, o GUPC continuará defendendo nas diferentes instâncias (ICC, Unictral) seus argumentos em relação às reclamações justas que está fazendo contra a Autoridade do Canal do Panamá.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters