ASSINE GRATUITAMENTE A NEWSLETTER DA CONSTRUÇÃO LATINO-AMERICANA CLICANDO AQUI.

Edições digitais de todas as revistas da KHL

No caso de que a chegada de suas revistas do Grupo KHL em versão impressa seja um problema, lembre-se que pode se cadastrar para receber sem qualquer custo algumas edições digitais. Visite aqui para ampliar sua assinatura com produtos digitais, ou assine pela primeira vez.  

 

Entrevista com Luciano Rocha, da Komatsu (19 de junho)

Fausto Oliveira, correspondente no Brasil do grupo KHL, entrevistou Luciano Rocha, vice-presidente da divisão de equipamentos de construção da Komatsu Brasil International. Veja o vídeo aqui.  

Vinci Construction registra 90% de nível de atividade (18 de junho)

A Vinci, empresa de engenharia, construção e operação de infraestrutura da França, afirmou que 90% de suas atividades de construção já foram retomadas, mas que os níveis de produtividade estão prejudicados pelas medidas de cuidado sanitário. Leia mais em inglês aqui.

Câmara do Chile apresenta plano de reativação (16 de junho)

A Câmara Chilena da Construção (CChC) apresentou uma proposta para reativar o setor no país, considerando investimentos de US$ 22,6 bilhões nos próximos três anos, e a criação de 600 postos de trabalho. Leia mais aqui.

Randon participa do esforço de produção de ventiladores (15 de junho)

As Empresas Randon, conglomerado brasileiro que atua em diversos segmentos industriais, estão participando do esforço coletivo para a produção em caráter de urgência dos ventiladores pulmonares que podem salvar vidas durante a pandemia de Covid-19. Leia mais aqui

Mercado de implementos rodoviários cai 20% (15 de junho)

O setor de implementos rodoviários experimentou uma queda de 20% nas vendas de janeiro a maio de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado. O dado foi divulgado pela Anfir, a associação que representa as empresas do setor, que participa de maneira significativa do setor de transporte de cargas no país. Leia mais aqui.

Licenças para obra caem forte na Colômbia (15 de junho)

Os licenciamentos para novas obras na Colômbia apresentaram uma queda de 80,9% em abril. Segundo o Departamento Administrativo Nacional de Estatísticas (Dane), no país foram licenciados 311.675 m2 no mês, o que representa cerca de 19% dos 1.633.586 m2 licenciados em março, o que mostra o forte impacto que o Covid-19 passou a ter sobre o setor naquele país.

Para o mercado imobiliário, foram licenciados 257.919 m2 no mês, o que foi uma redução de 80,3% frente o mesmo mês de 2019. Por outro lado, foram aprovados 53.756 m2 para a construção de destinação não residencial, o que foi também uma redução de 83,4% em comparação com o mês de abril do ano passado. 

Construção mexicana pode cair até 12% (12 de junho)

As notícias que chegam da construção mexicana parecem não melhorar conforme passa o tempo, e as projeções da Câmara Mexicana da Indústria da Construção (CMIC) são cada vez mais negativas. Segundo o presidente da entidade, o PIB do setor poderia cair mais de 12% este ano, aprofundando assim a queda de 5% percebida em 2019. Leia mais aqui.

Entrevista com José Alfredo Sánchez, da Construtora MECO (12 de junho)

Fortemente impactada em várias de suas operações na América Latina, a empresa costarriquenha tem visão otimista para o futuro. Veja o vídeo aqui

Construção dos EUA se recuperam em maio (11 de junho)

O emprego na construção dos Estados Unidos se recuperou em maio, com criação de 464 mil postos de trabalho, mas o total de 596 mil ainda está abaixo do pico alcançado em fevereiro, e a taxa de desemprego de 12,7% no setor foi a mais alta desde maio de 2012. Os dados são da associação AGC, que reúne empreiteiras do país, a partir de informações estatísticas oficiais. Leia mais em inglês aqui

Índice de inatividade da América do Norte vê melhoras (11 de junho)

A semana de 1 a 5 de junho viu uma queda de 7,5% na utilização das máquinas de construção, de acordo com o índice de tempo de inatividade de equipamentos da Trackunit, que caiu de 90 para 84. Leia mais em inglês aqui

As demandas construtivas do pós-pandemia

Vivemos tempos difíceis. Em muitos aspectos, tivemos que nos adaptar. Talvez nós precisássemos deste choque de realidade. No setor de construção, vínhamos pensando há tempos sobre como realizar obras mais confortáveis e seguras, tanto para os nossos trabalhadores como para os usuários. Mas a pandemia nos empurrou da reflexão para a ação. Leia mais aqui.

Região Ásia Pacífico preparada para o investimento em infraestrutura (10 de junho)

Analistas consideram que a região Ásia Pacífico (APAC), particularmente Vietnã e Filipinas, estão em uma posição favorável para investir em infraestrutura com vistas a impulsionar o crescimento econômico após a crise do Covid-19. Leia mais em inglês aqui.

 

IAPA é adiado para março de 2021 (10 de junho)

Os Prêmios Internacionais para o Acesso Motorizado (IAPA) e a Cúpula da IPAF, que antes tinham data marcada em 8 de outubro, agora passam a ter agenda em 2021, de acordo com os organizadores, em função das contínuas restrições causadas pela pandemia. O local se mantém o mesmo, em Londres. A nova data é 18 de março de 2021. Leia mais em inglês aqui.

 

Ritchie Bros. México fará leilão 100% online (9 de junho)

Devido à situação da pandemia, a Ritchie Bros. Auctioneers conduzirá seu próximo leilão em Polotitlán, no México, no dia 2 de julho, exclusivamente por via online. Centenas de produtos foram colocadas em lotes para venda, incluindo modelos recentes de escavadeiras, carregadeiras, caminhões e outros. Leia mais aqui

Entrevista com Thomas Bauer, novo presidente da FIEC (8 de junho)

Mike Hayes, editor da Construction Europe, entrevista Thomas Bauer, economista, presidente da Bauer e novo presidente da Federação Europeia da Indústria da Construção. Veja a entrevista aqui

Alo Lift opera com protocolos de sanitização (8 de junho)

A empresa chilena ALO Group manteve o funcionamento de suas operações com os resguardos necessários para garantir a higienização em cada uma das entregas de equipamentos de acesso aéreo, realizados por sua divisão ALO Lift. Leia mais aqui.

Webinar: transformação digital da construção

Um painel de especialistas em tecnologia da construção da Skanska, McKinsey e AEM vai ser o centro de um seminário online gratuito sobre a transformação digital do setor, tal como já vinha acontecendo, e agora sob o contexto da pandemia. Leia mais aqui

Genie compartilha protocolo de limpeza e desinfecção

Com base nas diretrizes do Centro para Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC), a Genie oferece novos procedimentos e protocolos para limpeza e desinfecção de equipamentos de acesso aéreo em locais de trabalho e impedir a propagação do novo Coronavírus. Leia mais aqui

Construção deve cair 11% no Brasil

A construção brasileira teve uma retração de 2,4% no primeiro trimestre, na comparação com o último trimestre de 2019. Na comparação com o primeiro trimestre do ano passado a queda foi de 1%. Leia mais aqui

Gravação do webinar Acesso e o Caminho da Recuperação (2 de junho)

Veja como foi o webinar promovido pela KHL para o setor de plataformas elevatórias. Clique aqui para ver.  

Construção mexicana vive drama (2 de junho)

Segundo dados do Centro de Estudos Econômicos do Setor da Construção daquele país (CEESCO), em março de 2020 a produção das empresas construtoras do México foi de US$ 1,62 bilhão, número que representa uma fortíssima retração de 16,7% em relação ao mesmo mês de 2019, e uma queda de 3% em relação ao mês imediatamente anterior. Leia mais aqui

Panorama complicado para a construção do Chile (2 de junho)

O Índice de Atividade Econômica Mensal do Chile (Imacec) caiu 14,1% em abril na comparação com o mesmo mês do ano passado (leia mais aqui). “Os dados do Imacec de abril mostram que o impacto econômico da pandemia será muito pior no segundo trimestre de 2020, especialmente para setores como construção e mineração, que até abril haviam disso menos afetados do que outros setores, como educação, transporte, restaurantes e hotéis”, afirmou Dariana Tani, economista GlobalData, consultoria especializada em dados e análises. Leia mais aqui 

Economia do Chile desaba em abril (1 de junho)

O Indicador Mensal de Atividade Econômica do Chile (Imacec) do quarto mês do ano mostrou uma depressão da economia do país, com um PIB mensal de -14,1% em comparação a março, segundo o Banco Central. Uma contração histórica puxada pela paralisação das atividades produtivas do país em função da pandemia. Leia mais aqui.

Receita da chilena Sigdo Koppers cai 9,8% no 1T (1 de junho)

A receita do grupo chileno Sigdo Koppers caiu 9,8% no primeiro trimestre do ano, totalizando vendas por US$ 512,9 milhões, fruto das operações reduzidas ou paralisadas em todas as suas divisões. Em função disto, o Ebitda caiu 18,6%, ficando em US$ 66,8 milhões. Leia mais aqui.

Entrevista com Giovanni Borgonovo, da New Holland (27 de maio) 

CLA conversou com o gerente de marketing da New Holland Construction para a América do Sul, Giovanni Borgonovo, a respeito de como a marca responde à contingência e o que espera do futuro próximo no Brasil e no restante da região. Veja a entrevista aqui.

ExpoHormigón 2020 será apenas online (27 de maio)

A Expo Hormigón, maior evento de concreto e cimento no Chile, terá este ano uma edição totalmente digital, devido ao surto de Covid-19. O evento tem datas já definidas, para 26 e 27 de novembro, e as pré-inscrições já estão abertas no site do Instituto Chileno do Cimento e do Concreto (ICH). Leia mais aqui.

FinningCat abre curso online sobre Covid (26 de maio)

A FinningCat colocou à disposição de seus clientes, fornecedores e público em geral um curso que tem por objetivo dar ferramentas para prevenir o contágio com o novo Coronavírus. O curso conta com cinco etapas nas quais se explica o que é o vírus, e quais são as medidas de prevenção em casa e no trabalho. Também se provê informação sobre o que se deve fazer em caso de contrair o vírus. Do mesmo modo, o curso informa o público com relação as medidas que a empresa tomou para garantir um local de trabalho sadio para todos. Leia mais aqui.

John Deere registra queda forte nas vendas (26 de maio)

A John Deere, terceiro maior fabricante de equipamentos originais (OEM) do mundo de acordo com a Yellow Table (que será publicada na próxima edição da CLA), viu suas vendas se reduzirem em 25% no segundo trimestre de 2020. O número se refere à divisão de Construção e Florestal. De acordo com os resultados financeiros da companhia, as vendas líquidas do segundo trimestre do ano caíram de US$ 2,99 bilhões em 2019 para US$ 2,25 bilhões este ano. E o lucro operacional da divisão caiu 72%. Leia mais aqui.

Covid-19 aprofunda crise da construção mexicana (25 de maio)

A atividade de construção no México já vinha percebendo un cenário negativo antes da pandemia, e a chegada da crise sanitária não fez mais do que aprofundar o mal momento. Em março deste ano, a construção mexicana se contraiu 2% em relação a fevereiro, registrando assim 12 meses consecutivos de números negativos e chegando aos piores níveis de produção desde 2006. Em termos anuais, a construção do país registrou em março um nível negativo histórico, com queda de 17,1% em relação ao mesmo mês do ano passado. Leia mais aqui.

Entrevista con Gustavo Faria, de Genie (25 de mayo)

O gerente geral da marca de plataformas elevatórias aborda os impactos da pandemia no estado geral do mercado. Veja a entrevista aqui

Entrevista com Octavio Perdomo: adaptação é fundamental (22 de maio

Como indica o título desta entrevista, a adaptação é fundamental para fazer frente à atual sanitária do mundo. Ao menos é o que considera Octavio Perdomo, gerente regional da Schwing-Stetter para a América do Sul, que conversou com a CLA sobre como reagiu a empresa diante da pandemia. Leia mais aqui

Venda mundial de equipamentos cairá 19% (22 de maio)

Espera-se que as vendas mundiais de equipamentos de construção caiam 19% este ano, saindo do pico de 1,1 milhão de máquinas registrado de 2018 para 2019 para 891 mil unidades, segundo os prognósticos revisados pela empresa especializada em pesquisa de mercados e previsões Off-Highway Research. Leia mais aqui.

Komatsu se associa a Feeding America em resposta à pandemia (21 de maio)

As unidades de negócio norte-americanas da Komatsu estão se associando à organização Feeding America, a maior ONG de ajuda contra a fome nos Estados Unidos. A empresa japonesa doará US$ 250 mil para apoiar o trabalho, no momento em que o Covid-19 empurra 17 milhões de cidadãos daquele país para a insegurança alimentar. Leia mais em inglês aqui.

Seminário online da KHL discutirá demolição (20 de maio)

Em mais um painel organizado pelo Grupo KHL nesta pandemia, o webinar da revista Demolition & Recycing International (D&Ri) vai receber no dia 3 de junho especialistas nestes setores. O encontro será transmitido pela internet e gratuito, e acontecerá às 15h do Reino Unido, ou seja, 11h de Brasília. Leia mais aqui

Construção norte-americana cairá 6,6% este ano (19 de maio)

A construção nos Estados Unidos deverá se contrair 6,6% em 2020, gerando um valor próximo a US$ 122,4 bilhões, devido à rápida diminuição na demanda por novos projetos e regulações de segurança relacionadas com a pandemia da Covid-19. Leia mais aqui.

Construção peruana deve cair 4% no ano (18 de maio)

Espera-se que a construção no Peru se contraia 4% em 2020, o que seria uma queda brutal em relação à previsão de crescimento de 5,5% para o ano, e seria muito menor do número obtido em 2019, que foi de crescimento de 1,5%. O resultado será resultado das medidas adotadas pelo governo do país para conter o Coronavírus. Leia mais aqui

Setor de materiais de construção cai 4,7% em abril (18 de maio)

A Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção) informou que as vendas de todos os fabricantes associados caíram 4,7% em abril, comparando com o mesmo mês de 2019. Leia mais aqui.

Construção é chave para recuperação alemã (18 de mayo)

Os números oficiais do órgão federal de estatísticas da Alemanha mostram que a economia alemã se contraiu 2,2% nos primeiros três meses do ano. A queda sucede uma queda de 0,1% no último trimestre de 2019. Leia mais aqui.

Construção na América Latina deve cair 5,5% em 2020 (15 de maio)

Com a aparição do Coronavírus e sua propagação pela América Latina, espera-se que a produção do setor de construção na região sofra uma contração de 5,5% este ano, segundo a atualização de abril da consultoria GlobalData. Antes, a empresa havia previsto queda de 4,1% para o setor na região. Leia mais aqui.

Downtime Index mostra melhora na utilização de equipamentos (15 de maio)

O Downtime Index (índice de tempo de inatividade), a nova medida de uso de máquinas de construção na América do Norte e Europa, mostrou uma melhora significativa na semana passada, com números de crescimento no uso em todas as regiões analisadas, tendência que foi liderada pela Espanha e a Itália. Leia mais aqui.

Cristián Galaz, da Manitowoc, analisa a contingência na região (15 de maio)

Para saber mais sobre como a Manitowoc está enfrentando a situação destes tempos de pandemia, a Construção Latino-Americana entrevistou Cristián Galaz, vice-presidente para a América do Sul da companhia. Leia mais aqui

Chile terá 778 obras paradas com quarentena (14 de maio)

As medidas de confinamento anunciadas pelo governo chileno, que começam a vigorar a partir de noite do dia 15 de maio, implicarão que neste período 778 projetos de obra residencial serão paralisados em todo o país (747 deles na região metropolitana de Santiago e 31 nas demais regiões), segundo a Câmara Chilena da Construção. Leia mais aqui.

Como o Covid-19 afetou a construção na América Latina? (14 de maio)

A Construção Latino-Americana entrevistou Sergio Toretti, presidente da Federação Interamericana da Indústria da Construção (FIIC) para saber mais sobre o alcance da pandemia do Covid-19 no setor nos diferentes países da América Latina. Leia a entrevista completa aqui.

Manitou espera ano de zero crescimento (13 de maio)

A Construção Latino-Americana conversou com Marcelo Bracco, diretor executivo da Manitou para a América Latina, que comentou a situação atual do mundo e da economia, e como a empresa francesa está se posicionando. Leia mais aqui.

Construtora chilena fatura 45% menos por pandemia (13 de maio)

A construtora chilena Salfacorp, uma das dez maiores da América Latina, sentiu com muita força o impacto do Covid-19. A empresa percebeu retrocesso de 45,3% no seu faturamento, que entre janeiro e março ficou em torno de US$ 132,7 milhões. Além disso, o lucro da empresa no trimestre se reduziu em 45,2%, para cerca de US$ 2,1 milhões. Leia mais aqui

Efeitos da pandemia nos fabricantes de máquinas de construção (12 de maio)

Com a pandemia do Covid-19 ainda afetando fortemente a indústria da construção no mundo inteiro, os fabricantes de equipamentos estão vendo como as vendas diminuem consideravelmente em todas as áreas do setor.

Mike Brezonick, vice-presidente da divisão editorial de Energia do Grupo KHL, conversa com Chuck Yengst, da Yengst Associates, para obter uma visão de como estão sendo afetadas as empresas fabricantes de equipamentos, e sobre o que se pode esperar do futuro. Escute o podcast aqui.

Seminário gratuito: acesso e o caminho da recuperação (12 de maio)

Um painel com líderes do setor de acesso motorizado discutirá os efeitos do Covid-19 sobre o setor, agora e no futuro. O evento será organizado em forma de seminário por internet pela revista Access International. Leia mais aqui.

Construção argentina desaba em março (12 de maio)

As medidas de quarentena e distanciamento social para evitar a propagação do Covid-19 tiveram um forte impacto no setor de construção na Argentina. O setor percebeu uma contração de 46,8% em março passado, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Leia mais aqui.

Colômbia retoma 68% das edificações (12 de maio)

A construção colombiana não perdeu tempo, e desde a reabertura do setor, 1.723 projetos de edificações retomaram as atividades, o que representa 68% do total de obras em andamento. A informação é da Câmara Colombiana da Construção (Camacol), em seu relatório periódico Coordenada Urbana. Leia mais aqui.

Peru edita norma para retorno da construção (8 de maio)

O Ministério da Moradia, Construção e saneamento do Peru aprovou uma resolução ministerial que estabelece protocolos sanitários e critérios de focalização territorial para a retomada gradual de projetos imobiliários e de saneamento no país. Leia mais aqui

Haulotte retoma totalmente suas operações (8 de maio)

O grupo francês Haulotte confirmou que suas seis fábricas e 21 filiais estão inteiramente operacionais, em todas as áreas de negócio. Leia mais aqui.

Downtime Index analisa tempo de utilização de máquinas (7 de maio)

Os dados de mais de 150 mil máquinas de construção fora de estrada na América do Norte e na Europa revelam que os níveis de utilização de equipamentos caíram na semana passada depois de várias semanas de recuperação na taxa de utilização.

Os dados, que mostram tanto a produção de máquinas em funcionamento como seus níveis de utilização, provêm do Downtime Index (Índice de Tempo de Atividade), uma iniciativa da Trackunit e outros associados para publicar anonimamente informação de telemática dos equipamentos, para ajudar a indústria a rastrear o impacto do Covid-19. O Grupo KHL é media partner exclusivo desta iniciativa e publicará atualizações semanais do índice. Leia a notícia completa em espanhol aqui.

Vírus é ameaça existencial para a União Europeia (7 de maio)

A comissário econômico da União Europoeia (EU), Paolo Gentiloni, disse que uma recuperação desigual da crise do Covid-19 pode ser uma ameaça para a existência da própria união de países. Segundo ele, a futura solidariedade dos 19 estados membros poderia depender da “velocidade com que se podem levantar os bloqueios… e dos recursos financeiros de cada país”. Ele também acrescentou que “essa diferença representa uma ameaça para o mercado único e a zona do euro. Entretanto, pode-se mitigar isto mediante uma ação europeia conjunta e decisiva”. Leia mais em espanhol aqui.

Infraestrutura perto de retomar na Colômbia (6 de maio)

“O setor de infraestrutura é um dos setores econômicos que pode continuar ativo durante esta crise da pandemia do Covid-19, executando seus trabalhos de maneira segura e cumprindo com os mais altos requisitos de proteção à saúde dos trabalhadores e da população em geral”, afirmou Manuel Felipe Gutiérrez, presidente da Agência Nacional de Infraestrutura da Colômbia. Segundo ele, já foram aprovados 37 protocolos de biossegurança para a reativação de obras civis. E até agora 34 projetos de concessão em diferentes regiões da Colômbia já começaram a retomada de obras. Leia mais aqui.

Informe revela queda recorde na construção britânica (6 de maio)

A produção do setor de construção no Reino Unido caiu mais rapidamente do que nunca nos últimos 23 anos, segundo um novo informe realizado pela consultoria especializada IHS Markit. Segundo o relatório produzido pelos especialistas, a pandemia reduziu os negócios de 86% dos entrevistados a partir de março. Leia mais em espanhol aqui.

 Peru retomará 27 atividades para reduzir dano econômico (5 de maio)

Embora o Peru seja o segundo país mais afetado pela pandemia da Covid-19 na América do Sul, um decreto presidencial decidiu suavizar as restrições a alguns setores da economia, em função de uma previsão para o PIB do país de queda de 14% este ano. A construção está incluída nessa lista. Leia mais aqui.

Reino Unido precisa de “investimento em infraestrutura transformadora” (5 de maio)

As Câmaras de Comércio britânicas enviaram ao primeiro ministro inglês Boris Johnson que a indústria da construção do país precisará de apoio no longo prazo, após o relaxamento de seu atual estado de bloqueio. Leia mais em espanhol aqui.

 

Covid-19 afunda construção na Rússia (5 de maio)

Um informe da Associação de Prognósticos de Construção do Leste Europeu (EECFA, na sigla em inglês) revelou que, à medida que os casos de Covid-19 disparam na Rússia, o governo insiste em que os projetos de construção continuem para evitar um colapso. Leia mais em espanhol aqui.

Caem as vendas da Genie (5 de maio)

A Terex AWP, que inclui as marcas Genie e Terex Utilities, informou uma queda de 29,7% nas vendas líquidas no primeiro trimestre de seu ano financeiro 2020, tendo gerado US$ 511,7 milhões. Leia mais aqui.

Caterpillar anuncia demissões por pandemia (4 de maio)

A Caterpillar anunciou que vários de seus empregados foram demitidos em 30 de abril, como parte das decisões mundiais que estão se tomando para reduzir os custos em resposta à pandemia de Covid-19. Leia mais aqui

Covid-19 impacta negócios da Manitou (30 de abril)

O faturamento do primeiro trimestre do Manitou Group caiu 25%, ficando em € 421 milhões, em função da menor demanda provocada pela pandemia. A divisão de Manterial Handling & Access (MHA) registrou vendas no primeiro trimestre de € 283 milhões, uma redução de 29% em comparação com o mesmo período do ano passado. “Sob uma combinação de fatores que conjuga a indecisão de locadoras que ainda não haviam decidido seus investimentos para o ano, mais a crise do Covid-19, o negócio da divisão se reduziu drasticamente no primeiro trimestre”, disse a fabricante. Leia mais aqui.

Cummins tem menores vendas (30 de abril)

A Cummins informou que a sua receita no primeiro trimestre de 2019 foi de US$ 5 bilhões, 17% menor do que no mesmo período do ano passado. A menor produção de caminhões na América do Norte e a menor demanda nos mercados mundiais de construção, mineração e geração de energia foram os motivos pelos quais a queda aconteceu. Leia mais aqui.

Vendas da JLG caem no trimestre (30 de abril)

As vendas líquidas do segundo trimestre do ano fiscal de 2020 da JLG caíram 29,8%, ficando em US$ 693 milhões, segundo a própria companhia. As vendas de plataformas experimentaram a maior queda, diminuindo 40,9% e rendendo apenas US$ 273,7 milhões, enquanto as vendas de manipuladores telescópicos se reduziram em 31,8%, ficando em US$ 217,6 milhões. Leia mais aqui

CASE fortalece compromisso diante da crise (30 de abril)

Diante da complexa situação com a pandemia, e a fim de colaborar com os esforços coletivos de prevenção, a CASE Construction Equipment, marca do grupo CNH Industrial, continua oferecendo seus serviços a distribuidores e clientes, mesmo que a portas fechadas em algumas localidades. Leia mais aqui.

Peru vai transformar Vila Panamericana em hospital (29 de abril)

O governo peruano anunciou a destinação de recursos para converter duas torres de apartamentos da Vila Panamericana (que foram construídas para os Jogos Panamericanos de Lima 2019), em atendimento de saúde. Serão cerca de US$ 8,3 milhões para a adequação e habilitação dos edifícios, aprontando-os para receber os pacientes contaminados com o Covid-19. O trabalho prevê a transformação dos apartamentos em unidades capazes de receber os doentes e recuperá-los, com equipamentos médicos instalados e contratação de profissionais de saúde.

Tecverde levanta anexo de hospital em 40 dias (29 de abril)

A filial brasileira da startup chilena E2E, a Tecverde Engenharia, levantou em 40 dias um anexo ao hospital M’Boi Mirim, em São Paulo, que passará a integrar a estrutura permanente da unidade. O local tem 100 leitos dedicados ao atendimento de pacientes contaminados com o Covid-19. Atualmente, o anexo já tem sua estrutura feita, e só precisa de acabamentos que ainda deverão demorar cerca de 10 dias. Leia mais aqui.

Vendas da Caterpillar caem 21% (28 de abril)

As vendas de máquinas de construção da Caterpillar tiveram queda de nada menos que 21% no primeiro trimestre, contribuindo para uma queda de 41% no lucro obtido pela divisão neste período, de acordo com informe da empresa. A norte-americana anunciou que as vendas e receitas totais do primeiro trimestre de 2020 ficaram em US$ 10,6 bilhões, frente os US$ 13,5 bilhões do mesmo período do ano passado. Leia mais aqui.

Queda forte do mercado de máquinas no Reino Unido (28 de abril)

As vendas de equipamentos de construção e movimentação de terra registraram uma significativa queda no primeiro trimestre de 2020 no Reino Unido, segundo a Associação de Equipamentos de Construção (CEA). A organização informou uma queda de 21,8% em comparação com o mesmo período do ano passado, dando assim um testemunho do drama da crise sobre os negócios. Leia mais aqui (em espanhol).

Cemex implementa 50 novas regras contra o vírus (27 de abril)

A multinacional mexicana de cimento, concreto usinado e agregados Cemex anunciou que as regras internas para cuidados com o surto de Covid-19 estarão mais severas em suas unidades. De acordo com novo comunicado à imprensa, a empresa divulgou que haverá um conjunto de 50 novas orientações para controle da pandemia em seus espaços de trabalho. Leia mais aqui.

Tadano Demag oferece capacitação gratuita (27 de abril)

A fabricante de guindastes Tadano Demag está oferecendo capacitação gratuita on line durante a pandemia do Coronavírus. Há uma variedade de cursos oferecidos, incluindo os que cobrem o Lift Plan e os sistemas remotos IC-1. O Lift Plan é uma ferramenta online gratuita de planejamento de trabalhos de içamento, e o IC-1 Remote é um sistema telemático de controle para guindastes. A marca planejou uma série de dez cursos, dois dos quais estavam completos e anunciados no momento da redação, entre 28 de abril e 6 de maio. Saiba como fazer os treinamentos aqui.

Podcast: impactos do Covid-19 na economia global (27 de abril)

A economia mundial está em recessão pelos efeitos da pandemia, e os países mais afetados experimentarão “recessões abruptas e profundas”, segundo Scott Hazelton, diretor da empresa de informação e análise IHS Markit. Ouça o podcast em inglês aqui.

Grupo CNH Industrial retoma atividades gradualmente (24 de abril)

As fábricas do Grupo CNH Industrial no Brasil, localizadas em Contagem (MG), Curitiba (PR), Piracicaba (SP), Sete Lagoas (MG) e Sorocaba (SP), e também a fábrica na Argentina, começam a voltar gradualmente ao funcionamento. Leia mais aqui.

Construção colombiana próxima a voltar (24 de abril)

A previsão para término da quarentena decretada pelo presidente colombiano Iván Duque é o dia 27 de abril, e com isso a construção deverá ser um dos primeiros setores a se reativar. A notícia tem especial relevância na Colômbia, dado que segundo o Departamento Nacional de Estatísticas (Dane), a construção é responsável por cerca de 7% do emprego e 8% do PIB do país. Leia mais aqui.

Carmix lança campanha 1% + 1% (24 de abril)

A Carmix, fabricante italiana de autoconcreteiras, lançou a campanha 1% + 1% WORLD CHARITY CAMPAIGN, que pretende arrecadar fundos para ajudar organizações de caridade dos países onde sejam vendidas as máquinas da marca. O projeto, que já se iniciou e durará até o final do ano, tem como lema o slogan “Carmix Family Together: all for one, one for all” (família Carmix unida: um por todos e todos por um). Leia mais aqui.

Webinar gratuito sobre rental e o Covid-19 (24 de abril)

Em 4 de maio, às 15h do Reino Unido, será realizado um webinar gratuito sobre as implicações do Covid-19 para o setor de locação. O evento, organizado pela revista International Rental News, contará com a participação de destacados executivos do setor, entre eles. Leia mais aqui

Vídeo: a resposta da Europa ao Covid-19 (24 de abril)

Domenico Campogrande, director geral da Federação Europeia da Indústria da Construção (FIEC) conversou com Mike Hayes, da Construction Europe, sobre o impacto que o coronavírus teve sobre as empresas do setor no velho continente. Veja o vídeo aqui.

SMOPYC é adiada para 2021 (23 de abril) 

A 18ª edição do Salão Internacional de Maquinário de Obras Públicas, Construção e Mineração da Espanha (SMOPYC) foi adiado novamente, agora de 26 para 29 de maio de 2021. A feira inicialmente seria feita em abril deste ano, e foi adiada para setembro. Mas a organização avaliou as circunstâncias e decidiu dar uma resposta melhor ao setor. Leia mais aqui.

FPT oferece suporte via Whatsapp (23 de abril)

A marca de motores FPT Industrial, que pertence ao Grupo CNH Industrial, abriu um novo canal de comunicação com os clientes de diferentes setores econômicos que usam seus motores no país. A partir de agora, a marca atende também por Whatsapp. Leia mais aqui.

Construção europeia se abala pelo Covid-19 (23 de abril)

Segundo o mais recente informe da GlobalData, está prognosticado um decrescimento da construção na Europa da ordem de 1,4% em 2020. O informe segue as decisões de muitas das principais nações industriais da Europa, que é a de estender as medidas de bloqueio para conter a propagação do Coronavírus. Leia mais em espanhol aqui.

Vendas da Volvo caem 17% no primeiro trimestre (23 de abril)

As medidas para deter a propagação da pandemia do Covid-19 afetaram a demanda por equipamentos de construção, e apesar da recuperação do mercado chinês em março, as vendas da Volvo Construction Equipment diminuíram 17%, e a entrada de novos pedidos se reduziu em 7% no período. Leia mais aqui.

Novas iniciativas da Votorantim para enfrentar a crise (22 de abril)

A Votorantim Cimentos está adotando novas iniciativas para conter os danos provocados pela crise do Covid-19. Uma das novas decisões tem a ver com os varejistas de construção, e a outra com seus próprios empregados. A empresa criou uma plataforma de apoio ao comércio varejista de construção de pequeno porte, chamada VCajuda. Além disso, aderiu ao movimento Não Demita, e se compromete a manter o emprego de todos os seus colaboradores pelo menos até julho. Leia mais aqui

Case mantém serviços e venda de peças (22 de abril)

A Case Construction Equipment Brasil anunciou a manutenção da venda de peças e serviços de assistência técnica aos clientes. O principal meio de contato entre os clientes e a marca é através do CASE Assistance, que funciona 24 horas por dia através de um telefone de chamada gratuita, o 0800-727-2273. Além disso, as empresas distribuidoras de seus equipamentos no país continuam funcionando para orientar os clientes em caso de necessidade.

A marca também mantém um e-commerce no site Mercado Livre, que pode realizar a venda de peças de reposição e inclusive de novas máquinas.

Multitel reinicia produção (22 de abril)

A fabricante italiana de plataformas montadas sobre caminhão Multitel Pagliero retomou a produção nas suas oito fábricas no país, assim como as atividades de seus dois centros de serviço, em Milão e Turim.

Wacker Neuson retira a orientação fiscal (22 de abril)

A fabricante alemã de equipamentos compactos disse que o Coronavírus tornou impossível prever a demanda que terá este ano. As projeções haviam sido publicadas em março, mas uma combinação de deterioração econômica em alguns mercados, e as menores receitas e pedidos na primeira metade de abril, fizeram com que a empresa decidisse retirar as projeções.

Os números preliminares não auditados para o primeiro trimestre do ano sugerem uma queda de 6% no faturamento em comparação a 2019, para € 411 milhões. O lucro no período teria caído muito, para € 6 milhões, contra os € 21 milhões registrados no mesmo período de 2019.

Ritchie Bros informa aumento nas ofertas online (22 de abril)

A casa de leilão de máquinas usadas Ritchie Bros informou que a participação online em seus leilões cresceu de maneira inédita, o que corresponde ao fato de que os leilões presenciais foram totalmente substituídos por encontros virtuais em função da pandemia. Três de seus leilões europeus em março, na França, Reino Unido e Alemanha, foram realizados como “leilões cronometrados”, com vários dias de oferta, e o fechamento dos lances com hora e dia pré-determinados. Foram vendidos nestes leilões mais de 5,3 mil equipamentos para 460 compradores, tendo havido 6,2 mil participantes registrados.

O leilão em Meppen, na Alemanha, bateu o recorde de participantes online, com aumento de 40% na comparação com o evento anterior em março de 2019, com 2.920 participantes. “Os leilões de março mostraram uma participação massiva no online de todo o mundo, e conseguiram fortes preços de venda”, disse Jeroen Rijk, diretor geral da Ritchie Bros.

2,4 mil construtoras em risco de falir no México (21 de abril)

O México ampliou até 30 de maio as medidas de distanciamento social para mitigar a epidemia do Coronavírus, o que não é boa notícia para o setor de construção do país. De acordo com a Câmara Mexicana da Indústria da Construção (CMIC), cerca de 20% de suas 12 mil empresas filiadas estão em risco de fechar as portas para sempre devido à paralisação da economia. São principalmente micro, pequenas e médias empresas localizadas em sua maioria nos estados de Nuevo León, Quintana Roo, Baja California Sur, Yucatán e na Cidade do México. Leia mais aqui.

Italiana Airo confina na recuperação do mercado (21 de abril)

A fabricante italiana de equipamentos de acesso Airo confia no futuro da Europa, e que os bloqueios sociais e econômicos darão passagem a um ambiente empresarial de rápido movimento.

O diretor de vendas da empresa, Oscar Prigione, disse esperar um entorno comercial forte após a crise, com aumento da produção nas fábricas em todo o país. “Com a previsão de abertura iminente das atividades de construção, estamos certos de que em cada país europeu prevalecerá o desejo de se recuperar o tempo perdido com a crise. Estamos nos preparando para uma recuperação da demanda, em que a entrega rápida será o aspecto predominante da venda”.

Apesar do bloqueio das últimas semanas a Airo disse que continuou apoiando seus clientes, mantendo ativo o departamento de pós-venda, serviços e peças, junto a um departamento de vendas adaptado ao “trabalho inteligente”.

Fábricas da Manitou abrem parcialmente (21 de abril)

O Manitou Group retomou parcialmente a atividade em seus locais de produção na França e na Itália, enquanto a fábrica da Índia permanece fechada.

A reabertura limitada é a primeira fase para ajudar o grupo a reiniciar gradualmente toda a cadeia de suprimentos e produção, à luz da grande crise do Covid-19 que é ainda motivo de preocupação.

Foram implementadas medidas nestes locais para proteger a saúde dos empregados e prestadores de serviços. Michel Denys, presidente e CEO da Manitou, afirmou que “no contexto da crise sanitária, implementamos, junto com nossos grupos de interesse, medidas muito estritas de prevenção e proteção para garantir que nossos empregados voltem a trabalhar em condições ótimas de segurança. As medidas foram publicadas internamente e os trabalhadores recebem capacitação assim que retornam ao local”.

Deutz retoma produção gradual (21 de abril)

A fabricante alemã de motores Deutz anunciou uma retomada gradual das atividades de produção na Alemanha e na Espanha.

A empresa reabriu sua planta em Zafira, Espanha, em 14 de abril, e suas fábricas alemãs reabriram ontem. A Deutz fechou a maioria das instalações na Europa em 1 de abril.

A empresa disse a todos que os locais de trabalho operarão com “medidas de segurança estendidas para proteger a saúde da força de trabalho”.

“Estamos retomando a produção para satisfazer a demanda dos clientes. A saúde dos nossos empregados continua sendo o foco dos nossos esforços, e estamos atentos à situação para o caso de que tenhamos que reagir aos acontecimentos com prazo curto”, disse Frank Hiller, presidente do Conselho de Administração da Deutz.

Covid-19 impacta locação na França (21 de abril)

A associação de locadoras da França, a DLR, realizou uma pesquisa entre seus membros que apontou que quase metade deles fecharam filiais devido à crise do Coronavírus, e que 4% estão considerando fechar os negócios definitivamente.

A pesquisa foi realizada pela Lugaxis em nome do Conselho de Comércio Francês, o CdCF, e os dados das locadoras foram passados à DLR. Quase 80 empresas de locação, que representam 15% dos membros da DLR, preencheram a pesquisa.

Daquelas que responderam, 72% ainda têm ao menos parte de seu pessoal trabalhando, e quase todas as pesquisadas conseguiram continuar com seus processos administrativos durante a pandemia. Em geral, informaram que o governo lhes permitiu postergar o pagamento de impostos e que os bancos também aceitaram postergação, mas que vêm tendo problemas com seguros e com adiamentos dos pagamentos de clientes.

41% das empresas acreditam que o setor levará pelo menos seis meses para se recuperar. 

Podcast com executivo de locadora chilena

Pablo Lam, diretor geral da SK Rental, uma das maiores locadoras do Chile e que tem operações na Bolívia, Brasil, Colômbia e Peru, conversou com Murray Pollock, editor geral da revista International Rental News, sobre como está sendo impactado o setor de locação pelo Covid-19.

Escute a entrevista aqui

Empreiteiras japonesas paralisam obras (20 de abril)

As principais empreiteiras japonesas, a Kajima Corporation, Obayashi Corporation e a Taisei Corporation, revelaram que planejam deter a construção em todo o país até o início de maio, em resposta ao estado de emergência ampliado que foi decretado pelo governo do país.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, expandiu recentemente o estado de emergência de Tóquio, Osaka e outros cinco distritos, para apresentar uma solicitação a toda a nação.

Segundo o Japan Times, a Kajima e a Obayashi planejam deter o trabalho até 6 de maio, e a Taisei até 10 de maio.

A Kajima, que tem cerca de 700 canteiros de obra no país, disse que alguns projetos podem continuar como de costume, se forem urgentes.

Manitou suspende pagamento de dividendos (20 de abril)

O Manitou Group decidiu suspender o pagamento de dividendos aos acionistas. A empresa havia anunciado um pagamento de € 0,78 por ação quando foram publicados os resultados anuais de 2019 no início de março.

O conselho da companhia disse que poderia se realizar um pagamento em outubro (ou mais tardar no ano que vem) para substituir o dividendo, o que estaria sujeito à situação de momento, e que nesta ocasião será chamada uma reunião especial de acionistas para deliberar.

Em função da suspensão de viagens e do distanciamento social imposto pelo governo francês, uma Junta Geral Combinada (ordinária e extraordinária) será feita em 18 de junho a portas fechadas, à qual os acionistas poderão ter acesso apenas por via remota.

CAF analisa respostas econômicas à crise na América Latina (17 de abril)

Com o objetivo de apresentar e analisar as medidas que vêm sendo tomadas pelos governos latino-americanos para lidar com a pandemia de Covid-19, o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) fez uma videoconferência com a participação de ministros da Economia e Fazenda e membros do Diretório da CAF, além de convidados especiais como Augusto de la Torre, ex-economista chefe para América Latina e Caribe do Banco Mundial, e Andrés Velasco, ex-ministro da Fazenda do Chile e atual Decano da Escola de Políticas Públicas da London School of Economics. Leia mais aqui.

El Salvador suspende investimentos em 2020 (17 de abril)

Em uma medida para liberar recursos e torná-los disponíveis para o combate ao Covid-19, o governo do Equador suspendeu todos os projetos de investimento público programados para 2020. Detalhou-se que os recursos não comprometidos, mas designados, a estes projetos, serão congelados e o Ministério da Fazenda fará uma burocracia para reorientá-los “ao atendimento das necessidades e prioridades derivadas da emergência sanitária”. Leia mais aqui.

New Holland mantém canais de atendimento remoto

A New Holland Construction anunciou que seus canais de venda e serviço remotos continuam em plena operação no Brasil. A marca tem à disposição de seus clientes variados pontos de contato para serviço, pós-venda e inclusive venda de novos equipamentos e peças de reposição. A empresa tem um telefone de chamada grátis, número 0800-777-6423, e também um canal de vendas no site Mercado Livre. A entrega das compras feitas por este meio são responsabilidade da rede de concessionárias no país.

Construção é incluída na “reabertura” de Trump (16 de abril)

O presidente Donald Trump anunciou uma lista de setores econômicos para o que chamou de “Grande renascimento econômico americano”, incluindo na lista o setor de construção dos Estados Unidos. Ele afirmou que vai se aconselhar dentro da Casa Branca para planejar a reativação de setores que ficaram paralisados pela pandemia. Leia mais em inglês aqui.

Construção italiana pode cair 22,6% em 2020 (16 de abril)

O CRESME, órgão estatístico italiano que divulga dados econômicos, disse que a atividade de construção este ano naquele país pode se contrair em quase 23%, o que seria mais do que o dobro da queda verificada em 2009, o pior ano da grande crise financeira. Isto representaria uma perda econômica de 34 bilhões de euros em investimentos para a construção na Itália em 2020.

Algeco continua na resistência (16 de abril)

A empresa de locação de espaços modulares do Reino Unido expressou sua confiança em que pode resistir à crise do Coronavírus, já que percebeu um crescimento de 2,2% no seu faturamento para o ano de 2019. 

Bolívia: mais de 90% das construtoras podem falir

As construtoras bolivianas estão sentindo o impacto do Covid-19 de maneira especialmente forte, e segundo a imprensa local, a paralisação das atividades no país poderia representar uma perda econômica de pelo menos 3 bilhões de Bolivianos (cerca de US$ 436 milhões) para o setor. Segundo a Câmara da Construção de Santa Cruz (Cadecocruz), esta situação põe em risco de falência mais de 90% das empresas construtoras, a maioria de pequeno porte. Leia mais aqui.  

Recorde de vendas de escavadeira na China em março (15 de abril)

As vendas de escavadeiras realizadas por fabricantes chineses alcançaram nível recorde em março, com 49.408 unidades vendidas, o que foi equivalente a 11,6%a mais do que em março de 2019. Os dados são da CCMA, Associação de Maquinário de Construção da China.

Deste total, a grande maioria foi de vendas nacionais, com 46.610 unidades. As exportações foram de apenas 2.798 unidades. Apesar de pequeno, o número de exportações também foi positivo, ao representar um crescimento de 17,7% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Leia mais em inglês aqui.

Podcast: fechamento de fábricas de equipamentos de construção (15 de abril)

Andy Brown, editor da revista International Construction, entrevista Chris Sleight, diretor administrativo da Off-Highway Research, sobre o provável impacto do Covid-19 nos números de produção de máquinas de construção. Mais aqui.

Haulotte registra menor faturamento devido à crise

A Haulotte registrou faturamento de 132,9 milhões de euros no primeiro trimestre de 2020, um decréscimo em relação ao primeiro trimestre de 2019, que havia sido recorde para o período, com 163,2 milhões de euros. A queda é de 19% entre os dois períodos e marca um retorno ao nível de 2018. Leia mais aqui.

Metrô de Bogotá deve atrasar em seis meses (14 de abril)

A primeira linha do metrô da capital colombiana vai ter um atraso de pelo menos seis meses devido à implementação de políticas de isolamento social para conter a propagação do Coronvírus. Leia mais aqui.

 Panamá autoriza reinício de obra de ponte

O Ministério da Saúde do Panamá autorizou em 13 de abril a reativação da construção da ponte binacional sobre o rio Sixaola, que ligará o país com a Costa Rica.A obra havia sido suspensa em 26 de março pelo decreto 506, o mesmo que paralisou toda a atividade de construção em território panamenho, devido ao Coronavírus. No Panamá, a doença já contaminou 3.472 pessoas e provocou 94 mortes. Leia mais aqui.

 

Se aprofundam problemas na construção em Dubai (14 de abril)

Os cortes nos gastos públicos como resultado da pandemia do Coronavírus estão atrasando os projetos de construção em Dubai, e já se comenta que a medida pode agregar mais estresse a uma indústria que já vem abalada numa região tradicionalmente próspera. Leia mais em inglés aqui.

NFDC vê o futuro com esperança (14 de abril)

A pesquisa com prestadores de serviços de demolição britânicos mostrou que a maioria dos canteiros de trabalho deste subsetor estão fechados, mas já há confirmação de datas para reinício destes projetos. Leia a história em inglês aqui.

ASEAMAC da Espanha dá assessoria contratual a locadoras (14 de abril)

A associação espanhola de locadoras criou um documento de 10 páginas que aborda as perguntas mais frequentes sobre o impacto do Covid-19 nas atividades de locação. Leia o documento aqui.

Metso mantém operação (13 de abril)

A Metso Brasil implementou uma série de medidas de segurança de nível hospitalar, com a finalidade de não suspender totalmente a operação de sua fábrica em Sorocaba, mas sem deixar seus colaboradores expostos a situações de risco pelo novo Coronavírus. Leia mais aqui.

Como a Itália abordou o Covid-19? (13 de abril)

O primeiro contágio na Itália foi em 20 de fevereiro, e desde então a escalada de contágio e mortes foi bem rápida. O vírus se propagou intensamente, afetando principalmente as zonas do norte do país, que são as mais industrializadas e produtivas. A rápida taxa de contágio significou que a Itália se tornou o primeiro país mais afetado na Europa e por algumas semanas foi um dos três países mais afetados no mundo, em número oficial de casos. Leia mais aqui, em espanhol.

ARA prevê forte queda na receita de locação (13 de abril)

O último prognóstico da American Rental Association projeta uma redução de 16,6% no faturamento do setor nos Estados Unidos em 2020, o que representa menos US$ 9,3 bilhões nas empresas. Mas, modelos econômicos montados pela consultoria IHS Markit mostram uma ligeira melhora prevista para o terceiro e o quarto trimestres de 2020. Leia mais em inglês aqui.

Construção espanhola volta a funcionar (13 de abril)

Muitos dos canteiros de obra e indústrias na Espanha reabriram hoje, após o governo relaxar as restrições às empresas, permitindo que alguns setores não essenciais voltem ao trabalho. O fechamento geral das comunidades e do comercio local continua vigente. Leia mais em inglês aqui.

FIEC resume o impacto na construção europeia (13 de abril)

A organização europeia de empreiteiras, a FIEC, publicou um resumo muito detalhado a respeito do impacto do Covid-19 nos mercados de construção em cada país da região. Para cada país, estabelece as medidas gerais promulgadas pelos governos e as ações particulares na construção, incluindo os links para vários recursos úteis, como os protocolos de saúde e segurança. Leia mais em inglês aqui.

Hyva do Brasil apoia campanha contra o vírus

A Hyva do Brasil se juntou à campanha “Caxias contra a Covid-19”. A empresa doou dinheiro e esta semana entrega também 1,6 mil máscaras que recebeu de sua filial chinesa. Segundo o vice-presidente da Hyva para as Américas, Rogério de Antoni, “na semana que vem doaremos outras 1,2 mil máscaras e 100 óculos médicos para o Brasil. No ano que marca seus 25 anos de operação no Brasil, queremos destacar principalmente a responsabilidade da Hyva do Brasil para com sua comunidade”.

A campanha Caxias contra o Covid-19 é uma iniciativa do CIC Caxias, de sindicatos e empresas da cidade rio-grandense para a arrecadação de fundos que se designarão aos sistemas públicos e privados de Caxias do Sul para combater o vírus. Quem fará a gestão a distribuição dos insumos será a secretaria de saúde do município, de acordo com as necessidades de cada hospital ou unidade de saúde. Para ajudar ou conhecer a campanha, acesse o site https://caxiascontracovid19.com.br

Trimble oferece recursos (9 de abril)

A Trimble proporciona às empreiteiras uma ampla seleção de recursos relacionados com o Covid-19. Eles incluem assessoramento sobre seus próprios serviços para acesso remoto a canteiros de obra, assim como uma seleção de fontes externas para informação, orientação e comentários. Os recursos podem ser vistos aqui

Recuperação da Haulotte na China (8 de abril)

Com o retorno do setor de construção chinês aos níveis anteriores aos da crise do Covid-19, a Haulotte informou que sua filial no país está cada vez mais ocupada com entregas de máquinas novas aos clientes. A companhia enviou recentemente quatro HA26 RTJ O e uma HA20 RTJ para o projeto da Xinjiang PetroChina.

MCS oferece sistema E-Sign para ajudar com o distanciamento social (8 de abril)

A provedora de softwares para gestão de locadoras MCS Rental Software oferece sua solução de assinatura eletrônica de documentos E-Sign gratuitamente por seis meses, àqueles clientes que estiverem sob efeitos da pandemia de Coronavírus. Leia mais em inglês aqui.

Classificação da Vinci sugere problemas no longo prazo (8 de abril)

Em sua última revisão pela agência classificadora de risco Fitch Ratings, a construtora e operadora de concessões Vinci, da França, teve sua nota rebaixada de Positiva para Estável. Como já havia sido informado pela KHL, a Vinci informou aos acionistas que em 2020 não poderia cumprir com seus objetivos de geração de receita, em consequência da pandemia do Coronavírus. Leia mais em inglês aqui.

Cemex retoma atividades no México (8 de abril)

A produtora de cimento e concreto mexicana Cemex anunciou a retomada de suas atividades no país, em conformidade com as novas determinações publicadas pelo governo do México para lidar com a crise do Covid-19. Leia mais aqui.

Hitachi anuncia medidas em fábricas no Japão (7 de abril)

A Hitachi Construction Machinery Group informou que ajustará gradualmente a produção em suas quatro fábricas no Japão entre os meses de abril e maio, devido à queda na demanda em todo o mundo pela propagação do Covid-19. Leia mais, em inglês, aqui.

Câmara Chilena da Construção prevê cenário sombrio (7 de abril)

Com o passar do tempo, o cenário no Chile devido ao surto de Coronavírus se torna mais desesperançoso. A Câmara Chilena da Construção (CChC) soltou um relatório nada otimista sobre o setor. “Um cenário que, embora tenha se originado após a crise social de 18 de outubro, foi agravado pela contingência da pandemia e seu impacto sobre a continuidade das obras em execução, na confiança empresarial e no acesso a crédito para o financiamento”, afirma a entidade. Leia mais aqui.

Covid-10 reduzirá produção de máquinas em 4% (6 de abril)

A consultoria especializada Off-Highway Research estimou o impacto dos fechamentos de fábricas e dos bloqueios nacionais à produção no mercado mundial de equipamentos este ano. Segundo a companhia de pesquisa de mercado, a nova situação provocada pela pandemia do Coronavírus custará à indústria global de equipamentos de construção uma produção de 43 mil unidades menos neste ano, o que equivale a 4% da produção total do ano passado, que ficou acima de 1 milhão de equipamentos. Leia mais aqui.

Começam as demissões na construção dos EUA (6 de abril)

Mais de um quarto das empresas construtoras dos Estados Unidos tiveram que demitir trabalhadores de canteiro de obras, devido aos efeitos da pandemia do Coronavírus, segundo pesquisa realizada pela associação de empreiteiras dos EUA, a AGC, publicada em 3 de abril.

Quase 2 mil obras paradas na Colômbia (6 de abril)

A presidente de Câmara Colombiana da Construção (Camacol), Sandra Forero, afirmou que o número de empreendimentos imobiliários que paralisaram as obras devido ao Coronavírus passa de 1,9 mil. “Apoiamos de maneira contundente as medidas do governo, porque o primeiro a se preservar é a saúde dos colombianos e de nossos trabalhadores em especial. Suspendemos 1.901 projetos que estavam em obras, e com isso falamos em cerca de 18,9 milhões de metros quadrados de construção detidos”, disse ela. Leia mais aqui.

MC Bauchemie mantém operação normal no Brasil (6 de abril)

A fabricante alemã de aditivos para concreto MC Bauchemie divulgou que mantém suas operações normais no Brasil. Suas duas unidades no país, uma no estado de São Paulo e outra em Pernambuco, continuam produzindo e dando atendimento comercial a clientes. Mas a empresa implementou medidas de segurança para conter o avanço do Coronavírus em suas instalações.

A MC Bauchemie é um dos mais importantes provedores de químicos para a construção, entre eles aditivos para concreto, selantes e impermeabilizantes.

Grupo CNH fecha fábricas no Brasil (3 de abril)

O Grupo CNH Industrial anunciou a suspensão das atividades de todas as suas fábricas no Brasil. Isto inclui a fábrica de Contagem, Minas Gerais, onde são fabricadas retroescavadeiras, escavadeiras, tratores de esteiras e carregadeiras das marcas Case e New Holland. Leia mais aqui.

JCB paralisa produção em Sorocaba

A JCB decidiu paralisar temporariamente a produção na sua fábrica de Sorocaba, devido à pandemia do Coronavírus, segundo a Revista MT, da Sobratema. Leia mais aqui.

Fecham fábricas de turbinas eólicas na Espanha (3 de abril)

A Vestas, empresa dinamarquesa que é a maior fabricante mundial de turbinas eólicas, fechou suas duas fábricas na Espanha. Enquanto isso a Siemens Gamesa, com sede na Espanha, fechou seis unidades, deixando quatro parcialmente abertas. Um terceiro fabricante de energia eólica, a alemã Nordex, também suspendeu temporariamente todas as suas atividades na Espanha. Leia mais em espanhol aqui.

Hitachi atualiza sobre suas fábricas (3 de abril)

A Hitachi Construction Machinery informou que o surto de Covid-19 afetou suas atividades de produção em nível mundial, embora sete plantas no Japão estejam ainda funcionando normalmente. Leia mais em espanhol aqui.

GlobalData reduz expectativas para a construção (3 de abril)

A consultoria internacional GlobalData revisou sua expectativa de crescimento para a construção mundial em 2020. Se antes a empresa havia afirmado esperar crescimento de 3,1% para o setor em todo o mundo, agora devido à crise da pandemia essa expectativa baixou para um crescimento de apenas 0,5%. Leia mais aqui

Testemunha ocular: setores de construção e locação da Austrália (2 de abril)

Tim Nuttall, Diretor Gerente da Access Hire, da Austrália, escreveu um relato muito interessante sobre o que está acontecendo com a construção e a locação de equipamentos em seu país desde o surto do Covid-19. Leia o artigo em inglês aqui.

Espanhola GAM apoia setores críticos (2 de abril)

A locadora de máquinas e equipamentos GAM, da Espanha, está trabalhando para atender setores econômicos críticos para o país, que é altamente afetado pela pandemia. Entre outros, a locadora atende hospitais e empresas farmacêuticas. Leia mais em inglês aqui.

CCA: canteiros de obra canadenses devem continuar abertos (1 de abril)

A Associação Canadense da Construção (CCA) emitiu em 26 de março uma declaração estabelecendo que os canteiros de obra que estiverem em dia com as obrigações sanitárias relativas à crise deverão permanecer funcionando durante a pandemia.

BAM reabre canteiros considerados críticos no Reino Unido (1 de abril)

A construtora holandesa BAM anunciou que reiniciará as obras em vários canteiros do Reino Unido. A empresa enfatizou que os canteiros escolhidos são considerados críticos na luta contra a propagação do Coronavírus. Em sua declaração, a BAM afirmou que a retomada dos trabalhos foi decidida apenas após “extensos controles e acordos com nossas equipes de projeto”.

Trump pressiona por um pacote de infraestrutura de US$ 2 trilhões (1 de abril)

O último pacote de ajuda econômica dos Estados Unidos em resposta à pandemia poderá incluir US$ 2 trilhões para a infraestrutura.

Planejamento na SSAB (1 de abril)

A siderúrgica sueca SSAB implementou uma série de ações em resposta ao impacto da Covid-19. Principalmente, medidas para reduzir a propagação do vírus e proteger a força de trabalho, segundo a empresa. A companhia sueca de aços especiais que são usados na fabricação de guindastes descreveu as medidas como de curto prazo. Também estão se adaptando uma demanda reduzida, o que deverá levar a SSAB a implementar reduções de custos. A empresa prevê cortes de cerca de US$ 91,5 milhões.

Continuam as vendas da Palazzani (1 de abril)

A Palazzani, fabricante italiana de plataformas de elevação sobre esteiras, continua funcionando e vendendo. Por exemplo, anunciou a venda de um modelo TSJ 25 de 25 metros de altura à empresa Blu Garden, de Monticello Brianza, norte da Itália. Enquanto isso, a empresa trabalha com sua comunidade local para ajudar os mais afetados pela pandemia, ajudando na campanha de financiamento coletivo AiutiAMObrescia (WeHelpBrescia).

John Deere suspende a produção na fábrica de Dubuque nos EUA para realizar limpeza profunda (1 de abril)

A John Deere suspendeu a produção de equipamentos de construção e florestais da sua fábrica de Dubuque, estado de Iowa, em 30 de março. A medida foi tomada após a confirmação de que um empregado foi diagnosticado com a Covid-19. A marca fará uma limpeza profunda e desinfecção da unidade. Até aqui, a John Deere segue em operação moderada, como negócio “essencial”.

Chile construirá hospitais modulares (31 de março)

Seguindo o exemplo da China, o Chile poderá erguer hospitais modulares que poderiam ser montados em diversas regiões, a fim de dar combate à expansão do Coronavírus. Leia mais aqui.

Carmix fecha fábrica, mas mantém atendimento (31 de março)

A Carmix, empresa italiana fabricante de autoconcreteiras e centrais móveis de concreto, anunciou o fechamento da planta de produção de Noventa di Piave, em cumprimento das novas normas do governo italiano que bloquearam todas as atividades produtivas não essenciais no país. Apesar disso, em comunicado enviado aos clientes e à imprensa especializada a empresa afirma que manterá o atendimento aos usuários, distribuidores e interessados, através de sua rede comercial e de comunicação online. “Agora mais do que nunca, a empresa dirigida pela família Galante reforça o conceito de Carmix Family, convidando todos os membros a continuar em contato e unidos”, diz o comunicado. Leia mais aqui.

Exclusivo: Como se recupera a construção chinesa (31 de março)

O KHL Group solicitou a SHI Yang, diretor de pesquisa de mercado da Off-Highway Research China, com sede em Beijing, que descrevesse como o mercado de equipamentos de construção da China está se recuperando do surto de Covid-19. 

Manitou mantém fechamento na França, Itália e Índia (31 de março)

Sob o efeito da grave crise sanitária causada pelo Covid-19, e em acordo com as recomendações locais ou obrigações regulatórias, o grupo Manitou continuará com o fechamento de suas atividades de fabricação na França, Itália e Índia.  

Votorantim doa R$ 50 milhões para combater o vírus

O grupo Votorantim anunciou uma doação no valor de R$ 50 milhões para ajudar nos esforços de combate à pandemia do Coronavírus. Segundo comunicado da empresa, o Instituto Votorantim será o encarregado de enviar o montante a instituições de saúde, autoridades municipais e organizações sociais. A intenção é que se utilize na aquisição de equipamentos hospitalares e de proteção individual para médicos e enfermeiros. Leia mais aqui.

Concreteiras ajudam na lavagem de espaços públicos

Empresas da indústria do concreto da América Central e norte da América do Sul estão se somando ao esforço contra o Coronavírus ao participar de operações de lavagem de espaços públicos. Leia mais aqui.

Construção europeia pede medidas urgentes (30 de março)

O setor de construção da Europa emitiu uma declaração conjunta que pede medidas urgentes para proteger a saúde dos trabalhadores, apoiar a atividade econômica e ajudar o setor a se recuperar, em função da pandemia. 

JCB fabricará ventiladores (30 de março)

A JCB está pronta para reiniciar a produção em uma fábrica fechada em função da crise do Coronavírus, para se juntar ao esforço nacional do Reino Unido para fabricar ventiladores. Leia mais aqui.

Liebherr se refere ao Coronavírus (30 de março)

A fabricante de equipamentos de construção, mineração e guindastes Liebherr emitiu um comunicado em resposta ao impacto da pandemia do Coronavírus. “Todas as empresas da Liebherr em todo o mundo estão reagindo de maneira flexível de acordo com a situação, para proteger seus empregados enquanto mantêm processos comerciais essenciais da maneira mais efetiva possível. Estão tomando diversas medidas, que incluem levar a cabo uma gestão exaustiva da higiene, reorganização das áreas de produção para evitar a propagação da infecção, emitir pautas para trabalhar de casa e, em geral, utilizar formas remotas de trabalho em lugar de reuniões presenciais”. Leia mais aqui.

Atualização da Manitowoc sobre o Covid-19 (30 de março)

A Manitowoc emitiu uma atualização comercial e financeira em resposta ao impacto contínuo do Coronavírus. Embora sua fábrica de guinidastes na China fechou tenha fechado por várias semanas, desde então retomou seu funcionamento real, segundo a empresa. Não obstante, a empresa disse que o Covid-19 começou a afetar suas operações globais e a cadeia de suprimento fora da China. Leia mais aqui.

Três semanas de quarentena na Italia (30 de março)

Roberta Prandi, editora associada da divisão de Energia da KHL, que publica revistas como Diesel Progress e New Power Progress, escreveu este artigo a respeito do Norte da Itália, onde vive. Leia-o em inglês aqui.

FMI confirma recessão mundial este ano (27 de março)

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou que a pandemia do Covid-19 arrastará o mundo para uma recessão igual ou pior do que aquela vivida em 2009. Leia a nota completa aqui.

Máscaras faciais gratuitas da ZMGLIFT (27 de março)

A fabricante chinesa ZMGLIFT oferece máscaras faciais a qualquer pessoa em todo o mundo e as enviará gratuitamente. A empresa preparou 2 milhões de máscaras faciais para combater a propagação do Covid-19. “Contatamos milhares de empresas desde a semana passada e organizamos pacotes para serem entregues em mais de 80 países”, disse a empresa em mensagem à KHL. “Para ajudar mais empresas, se alguém precisar de máscaras, pode nos contatar e enviaremos grátis”.

A informação de contato é a seguinte:

www.zmglift.com

yuan@zmglift.com

Sinoboom oferece equipamentos de proteção (27 de março)

A fabricante chinesa oferece máscaras faciais e outros equipamentos de proteção individual (EPI) a seus sócios e amigos na indústria em todo o mundo, para ajudar a enfrentar a propagação do Covid-19. “Durante a crise, pudemos apoiar os hospitais e o pessoal de saúde de Wuhan com fornecimento de EPI, incluindo máscaras faciais, aventais e luvas. Agora queremos pôr estes equipamentos à disposição de qualquer um dos nossos amigos que precisem”, disse Susan Xu, presidenta da Hunan Sinoboom Intelligent Equipment. Leia mais aqui.

LafargeHolcim vê recuperação na China (27 de março)

A produtora suíça de materiais LafargeHolcim disse que está presenciando recuperação do setor de construção na China. Todas as suas plantas fora da província de Hubei agora estão operando depois do surto de Covid-19. “Atualmente, a pandemia e suas implicações para o negócio são voláteis e muito diferentes de um país a outro”, diz empresa. Leia mais aqui.

FIHP orienta setor concreteiro a operar na crise (26 de março)

A Federação Iberoamericana do Concreto Usinado (FIHP, na sigla em espanhol) lançou um guia completo com orientações para a operação do setor concreteiro durante a crise do COVID-19. Leia mais aqui.

Caterpillar anuncia resposta à crise (26 de março)

A Caterpillar informou em 26 de março que a pandemia de COVID-19 começou a afetar sua cadeia de suprimento, embora a maioria das operações nos EUA e outras partes do mundo estão ativas (sempre onde a permissão de funcionamento continua). Apesar disso, a empresa advertiu que a produção parou em algumas unidades, “devido às condições econômicas incertas que resultam em uma demanda mais fraca, possíveis restrições de fornecimento e a propagação da pandemia e ações governamentais relacionadas. A Caterpillar suspende temporariamente as operações em certas instalações. A companhia continuará monitorando a situação e p ode suspender as operações em outras unidades conforme a situação”. Leia mais aqui.

JCB suspende a produção no Reino Unido até fim de abril (26 de março)

A fabricante britânica de máquinas de construção suspenderá a produção no Reino Unido ao menos até o fim de abril devido à crise do Coronavírus, e continuará pagando seus funcionários que não puderem trabalhar.

Construção alemã continua apesar da crise (25 de março)

As três maiores associações de empreiteiras da Alemanha, ZDB, HDB e BVMB, acolheram conjuntamente uma decisão do governo alemão de continuar com a construção apesar da crise do COVID-19. Leia mais aqui.

China ‘acelera’ a construção (25 de março)

A China retomou a construção de cerca de 90% dos “projetos essenciais”, segundo um funcionário da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC) afirmou ao site China.org. Leia mais aqui.

Por Coronavírus, MRV digitaliza vendas

A MRV anunciou que em resposta à crise do Coronavírus está digitalizando sua operação de vendas de apartamentos. A ferramenta já havia sido lançada em janeiro para Belo Horizonte, apenas. Mas com a chegada da pandemia ao Brasil, o processo de expansão se acelerou e agora já está disponível para as cerca de 160 cidades onde a MRV tem projetos à venda. Leia mais aqui.

RCB se ajusta aos desafios do mercado

A locadora brasileira RCB Plataformas está percebendo uma relação mista com os clientes, no enfrentamento da pandemia do COVID-19 no país. Leia mais aqui.

John Deere Brasil fecha suas fábricas (25 de março)

A John Deere Brasil anunciou fortes medidas para enfrentar a crise do Coronavírus. A partir de 25 de março (data de publicação desta notícia), ficam fechadas as fábricas da Ciber Equipamentos Rodoviários em Porto Alegre e a fábrica de máquinas agrícolas na cidade de Horizontina, também no Rio Grande do Sul. Leia mais aqui.

Notícias do setor de locação (24 de março)

Há esperanças no fato de que a vida está começando a voltar à normalidade na China, e as empresas de locação como Shanghai Horizon estão percebendo recuperação nos seus níveis de atividade. Porém, muitos países estão atravessando a crise do Coronavírus. Pode-se ler aqui em inglês um compilado de notícias relacionadas às locadoras de várias partes do mundo. 

Construção segue normal nos Emirados Árabes Unidos (24 de março)

O setor de construção nos Emirados Árabes Unidos (EAU) continua funcionando como sempre, apesar do impacto do Coronavírus, segundo a empresa de dados e análises GlobalData. 

FIEC pede apoio urgente para a construção (24 de março)

A Federação Europeia da Indústria da Construção (FIEC) pediu uma ação imediata da Comissão Europeia para apoiar o setor durante a crise do COVID-19. A federação, cujos integrantes são 32 associações de construção de 28 países, disse que a EU deve considerar o COVID-19 como motivo de força maior, de maneira que se eliminem sanções para empresas que tenham que suspender seus trabalhos. Também existe o pedido de que os fundos europeus sejam usados e aumentados a fim de cobrir os maiores custos do trabalho.

APEX e International Rental Exhibition foram adiados para setembro (24 de março)

A feira e exposição de plataformas de acesso APEX e a feira e conferência de locação internacional IRE, que tinham programação simultânea para acontecer de 9 a 11 de junho em Maastricht, Países Baixos, foram adiados. Acontecerão de 8 a 10 de setembro. A razão é o Coronavírus. Leia mais aqui.

O dilema da construção no Reino Unido (24 de março)

O BuildUK, um dos órgãos comerciais mais representativos do setor de construção no Reino Unido, disse que o setor está sob um forte dilema após o anúncio de fortes restrições sobre viagens e negócios no país, a fim de combater o surto do vírus. Leia mais aqui

Notícias do setor de locação (24 de março)

Há esperanças no fato de que a vida está começando a voltar à normalidade na China, e as empresas de locação como Shanghai Horizon estão percebendo recuperação nos seus níveis de atividade. Porém, muitos países estão atravessando a crise do Coronavírus. Pode-se ler aqui em inglês um compilado de notícias relacionadas às locadoras de várias partes do mundo. 

Construção segue normal nos Emirados Árabes Unidos (24 de março)

O setor de construção nos Emirados Árabes Unidos (EAU) continua funcionando como sempre, apesar do impacto do Coronavírus, segundo a empresa de dados e análises GlobalData. 

FIEC pede apoio urgente para a construção (24 de março)

A Federação Europeia da Indústria da Construção (FIEC) pediu uma ação imediata da Comissão Europeia para apoiar o setor durante a crise do COVID-19. A federação, cujos integrantes são 32 associações de construção de 28 países, disse que a EU deve considerar o COVID-19 como motivo de força maior, de maneira que se eliminem sanções para empresas que tenham que suspender seus trabalhos. Também existe o pedido de que os fundos europeus sejam usados e aumentados a fim de cobrir os maiores custos do trabalho.

APEX e International Rental Exhibition foram adiados para setembro (24 de março)

A feira e exposição de plataformas de acesso APEX e a feira e conferência de locação internacional IRE, que tinham programação simultânea para acontecer de 9 a 11 de junho em Maastricht, Países Baixos, foram adiados. Acontecerão de 8 a 10 de setembro. A razão é o Coronavírus. Leia mais aqui.

O dilema da construção no Reino Unido (24 de março)

O BuildUK, um dos órgãos comerciais mais representativos do setor de construção no Reino Unido, disse que o setor está sob um forte dilema após o anúncio de fortes restrições sobre viagens e negócios no país, a fim de combater o surto do vírus. Leia mais aqui

JLG paralisa produção nos EUA e na Europa

A JLG anunciou a suspensão da produção na América do Norte e na Europa, mas ao mesmo tempo aumentou a produção na China. A empresa disse que planeja fechar as operações de fabricação nos Estados Unidos e no México de 30 de março a 10 de abril, com planos de reabrir em 13 de abril. Na França, as operações da fabricante serão suspensas até o dia 6 de abril. Leia mais aqui.

Wacker Neuson adianta paradas programadas

O Grupo Wacker Neuson tomou a decisão de reduzir seus programas de produção desde o fim da semana passada. “A propagação global do COVID-19 está demonstrando consequências significativas na vida pública, assim como na economia mundial. Os estados e as instituições estão impondo medidas de proteção cada vez mais drásticas. Tudo isto trouxe consigo crescentes impactos nas cadeias de suprimentos do Grupo”, afirmou a empresa em comunicado. Leia mais aqui.

Setor de infraestrutura envia pauta ao governo da Colômbia

A Câmara Colombiana de Infraestrutura (CCI) fez um chamado ao governo do país para que a atividade seja excetuada, ou ao menos bem regulada, nas normas excepcionais expedidas diante da conjuntura da crise do Coronavírus. “A atual conjuntura poderia derivar na declaração de eventos de força maior nos contratos, com a consequente afetação na dinâmica da execução dos projetos”, advertiu a entidade em comunicado. Leia mais aqui

Ammann adota fabricação ‘flexível’ (23 de março)

A Ammann anunciou que suas entregas de peças e produtos até agora se mantiveram em curso, apesar do surto mundial do Coronavírus. Afirmando que “continua aberta para os negócios”, a empresa disse que sua fábrica em Xangai, China, voltou às operações depois de ter ficado fechada por semanas em resposta à pandemia. Não obstante, a fabricante com sede na Suíça disse que sua experiência não é diferente de outras empresas que estão enfrentando obstáculos na produção.

Aggreko toma precauções (23 de março)

A Aggreko informou que não fechou seus escritórios e armazéns ao redor do mundo, mesmo que um número crescente de seus funcionários esteja trabalhando de casa. A empresa afirma que está em posição financeira sólida, com liquidez imediata de cerca de US$ 703 milhões, e vem tomando medidas de precaução econômica, como redução de custos, congelamento de contratações, restrições de viagem e limitação o gasto de capital da frota aos pedidos garantidos, de maneira a satisfazer a demanda conhecida. Leia mais aqui.

Vinci diz que projetos na França estão suspensos (23 de março)

O Grupo Vinci, matriz da Vinci Construction, informou que uma grande quantidade de projetos na França estão paralisados desde o dia 16 de março, devido às precauções contra o Coronavírus. Leia mais aqui

Putzmeister Brasil mantém operação remota

A Putzmeister Brasil anunciou que continua trabalhando com seu departamento comercial e fornecimento de peças de reposição, mesmo em meio à crise do Coronavírus. No entanto, a empresa afirma que os atendimentos estão sendo feitos exclusivamente por vias remotas. Leia mais aqui

Epiroc Chile envia comunicado sobre crise (20 de março)

A Epiroc Chile enviou um comunicado referente às medidas que está tomando para enfrentar a crise do Coronavírus. “Nossa principal prioridade é salvaguardar a disponibilidade e a cadeia de suprimentos, e para isso nosso Centro de Distribuição e a área comercial estão funcionando normalmente para atender as solicitações”, disse a empresa. Leia mais aqui

Construção considerada essencial em muitas regiões dos Estados Unidos (20 de março)

Em meio às precauções com relação ao Coronavírus, a construção nos EUA continua por enquanto na maioria do país, e pode continuar assim indefinidamente, se os funcionários do setor conseguirem persuadir o governo para incluí-la entre os negócios considerados “essenciais” nacionalmente. Leia mais aqui.  

Declaração do Grupo KHL sobre o Coronavírus (20 de março)

A KHL se compromete a produzir e entregar notícias continuamente sobre os eventos à medida que se desenvolvam, e apresenta um boletim de frequência diária, Construction & Coronavírus, para cobrir o surto e seu impacto na construção. Para receber a newsletter clique aqui. Para ler o comunicado completo, clique aqui.

Juntos nos recuperaremos (20 de março)

A Vinci Construction afirmou que todas as suas empresas estão tomando medidas para conter a pandemia de Covid-19. Em um comunicado publicado em sua página nas redes sociais, a empresa disse que “nos países onde se decretou o bloqueio, nossas empresas implementaram imediatamente o trabalho remoto para os empregados cuja atividade pode ser realizada assim”.

Além disso, a empresa assegurou que “junto com nossos empregados, clientes, sócios e subcontratados, demonstraremos nossa capacidade de recuperação”.

A gigante da construção disse que a saúde e a segurança de todos estão entre suas principais prioridades, e que suas subsidiárias cumprirão estritamente as recomendações do governo.

Wirtgen adia seus Technology Days (20 de março)

Originalmente programados pata acontecer em 24 e 25 de setembro de 2020, os Technology Days do Grupo Wirtgen passarão para 15 e 16 de abril de 2021, nas instalações da marca Benninghoven em Wittlich, Alemanha.

Em um comunicado, a empresa disse que “o Grupo Wirtgen está monitorando de perto os desenvolvimentos atuais em relação ao Coronavírus. A saúde de nossos clientes, sócios e empregados é nossa principal prioridade, pelo que é extremamente importante para nós que manejemos essa situação de maneira responsável”.

Palfinger aberta para negócios (20 de março)

A Palfinger North America permanecerá “aberta para negócios” durante o surto de Coronavírus, mas tomou medidas para ajudar a proteger a saúde de seu pessoal e dos clientes, assim como para garantir o funcionamento contínuo de suas operações.

Bechtel diz que não há um enfoque único para a segurança (20 de março)

A empreiteira global com sede nos EUA Bechtel enviou a seguinte declaração à KHL: “Nossa máxima prioridade é a segurança de nossos colegas. Tomamos uma série de precauções prescritas pela Organização Mundial de Saúde, dos Centros de Controle de Doenças e Enfermidades dos EUA e as agências locais próximas aos locais de trabalho e escritórios nossos. Nossos colegas trabalham em diferentes ambientes do mundo, em edifícios corporativos e canteiros de obras, e nenhuma solução única garantirá a segurança de todos. Este é um desafio global que muda rapidamente, e estamos trabalhando com nossos clientes para monitorar cuidadosamente nossos projetos em busca de possíveis impactos. À medida que mudem as condições, não hesitaremos em tomar medidas adicionais para proteger nossos colegas”.

Palazzani fecha fábrica (20 de março)

A Palazzani, fabricante italiana de plataforma de elevação sobre esteiras, seguiu o exemplo de outros fabricantes de fechar suas operações. A empresa disse que três ou quatro empregados estão no local para terminar alguns produtos de exportação, mas os demais já estão em casa. Também há problemas com os fornecedores locais, que se encontram na mesma situação, e portanto, não podem entregar componentes.

“Tempos difíceis para os fornecedores de construção” (20 de março)

O diretor gerente da empresa inglesas O’Donovan Waste Control admite que “os grandes desafios” estão por vir para os proprietários de pequenas e médias empresas, devido ao Coronavírus. Instou as empresas do Reino a aproveitar ao máximo qualquer apoio financeiro que seja disponibilizado durante a crise. Leia mais aqui.

Medidas de resiliência empresarial da SNC-Lavalin (20 de março)

A empreiteira canadense SNC-Lavalin Group atualizou a posição da empresa com as medidas que vem tomando num grande “programa de resiliência empresarial” relativo ao Coronavírus. Leia mais aqui.

Fábrica da Volvo em Curitiba fechará por quatro semanas.

A fábrica da Volvo em Curitiba estará fechada por quatro semanas a partir de 30 de março, devido ao Coronavírus. A medida anunciada pela empresa sueca vale para todas as divisões produtivas que aí operam: caminhões, ônibus, motores, caixas de câmbio e cabines. A produção de equipamentos de construção funciona em outra unidade. Leia mais aqui

JLG continua a produção (19 de março)

“Durante este tempo de incerteza, a segurança e o bem estar dos membros de nossa equipe continua sendo nossa principal prioridade. Como organização, tomamos muitas medidas preventivas para proteger o pessoal e as instalações, limitar a potencial propagação do vírus e mitigar o impacto em nosso negócio durante essa situação de rápida evolução. Neste momento, a produção continua avançando em nossas instalações. Continuaremos monitorando a situação para que possamos tomar decisões informadas no melhor interesse dos integrantes da nossa equipe, negócios e comunidades”.  

FIIC adia Assembleia Geral (19 de março)

A Federação Interamericana da Indústria da Construção (FIIC), que congrega todas as câmaras da construção da América Latina, lançou um comunicado anunciando que “devido à complexa situação sanitária que estamos vivendo em nível internacional, informamos que, tendo em consideração a saúde de nossos associados e a progressão do vírus COVID-19, o Comitê Executivo da FIIC decidiu, em conjunto com a Câmara Mexicana da Indústria da Construção (CMIC), anfitriã do evento, adiar a Assembleia Geral Ordinária e o LXXXII Conselho Diretivo da FIIC, que aconteceriam de 22 a 25 de abril na cidade de Guadalajara, México”.

Argentina construirá oito hospitais de emergência (18 de marzo)

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou a construção de oito hospitais modulares de emergência para poder fazer frente à propagação do Coronavírus no país. A doença já infectou mais de 80 pessoas e já deixou duas mortes. Leia mais aqui

Ritchie Bros digitaliza operações devido ao vírus (19 de março)

A empresa de leilões de máquinas Ritchie Bros espera um aumento na participação de leilões online devido às preocupações com aglomerações de pessoas em todo o mundo. Como resultado, está realizando alterações na sua plataforma de leilão digital. Leia a notícia completa aqui.

Haulotte paralisa produção na França (18 de março)

A Haulotte anunciou o fechamento temporário de suas três instalações de fabricação na França, em L’Horme, Loire; Creusot, Saona e Loira e Reims, Marne. Mas disse que as atividades de distribuição e serviço continuarão. Leia a notícia completa aqui.

Teck anuncia suspensão de obra na mina de Quebrada Blanca 2 (18 de março)

A mineradora canadense Teck Resources anunciou a suspensão temporária das atividades de construção de seu projeto Quebrada Blanca 2, como medida preventiva ante a propagação do Coronavírus na região chilena de Tarapacá, no norte do Chile. Leia mais aqui.

JCB detém a produção no Reino Unido (18 de março)

JCB Loadall Business Unit 5

A JCB parou de produzir em todas as suas fábricas no Reino Unido, em resposta à pandemia de Covid19. Segundo a empresa, há “uma redução sem precedentes na demanda mundial”. Leia mais aqui.

Cancelada conferência anual da SC&RA (18 de março)

A direção da Associação de Transportistas Especializados e Riggers dos EUA (SC&RA) votou pelo cancelamento de sua Conferência Anual, que ia ser realizada de 14 a 18 de abril em Amelia Island, Flórida.

“Com base nos acontecimentos das últimas semanas, e antevendo o que mais pode acontecer, nossa principal prioridade é a saúde e a segurança de nossos membros e nosso pessoal”, disse Joel Dandrea, diretor executivo da associação.

A recuperação econômica pós-pandemia pode ser “robusta” (18 de março)

A recuperação econômica dos efeitos negativos da pandemia de Coronavírus pode ser sólida, segundo o Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento (BERD), que já lançou um pacote de solidariedade emergencial de US$ 1,1 bilhão para apoiar empresas nos países onde tem operação. Leia mais aqui.

Terex emite declaración sobre o COVID-19 (18 de março)

A Terex emitiu um comunicado com relação ao COVID-19, indicando que a produção ainda continua, mas que foram tomadas atitudes para garantir a segurança de todos os membros da equipe, clientes e comunidades.

“Na Terex, nossa principal prioridade é a segurança. Como organização global, temos fábricas e suporte em muitas partes do mundo, incluindo alguns muito afetados pelo surto, como China, Itália e locais no estado de Washington nos EUA. Sabemos que nossos clientes e fornecedores também estão monitorando de perto o provável impacto do vírus sobre seus negócios. Embora o ritmo de mudança da situação esteja acelerado, continuamos produzindo os equipamentos e atendendo as necessidades dos nossos clientes, fornecedores e as comunidades onde vivemos e trabalhamos”.

A declaração completa pode ser lida aqui

O governo dos Estados Unidos cogita um plano de estímulos econômicos sem precedentes (17-18 de março)

O surto de Coronavírus continua piorando nos EUA, o que levou o Congresso e a Casa Branca a considerar o pacote de estímulo mais significativo na história moderna do país, a fim de dar resposta aos efeitos econômicos da pandemia em indivíduos e setores econômicos, incluído aí a construção.

Leia mais aqui.

A associação de empreiteiras francesas pede uma paralisação de 10 dias (17-18 de março)

A Federation Française du Bâtiment solicitou uma paralisação do setor de construção no país, para permitir que o setor prepare medidas de segurança para seus trabalhadores.

Comentário da Off-Highwy Research sobre a China (18 de março)

“A China está lentamente voltando à normalidade. As fábricas estão voltando à produção total e existe a expectativa de que as restrições de viagem começarão a diminuir em breve. O governo já está dando muitos passos para estimular a economia, como relaxar as regras de crédito e permitir que os governos provinciais emitam mais títulos de dívida”.

Edições digitais de todas as revistas da KHL

No caso de que a chegada de suas revistas do Grupo KHL em versão impressa seja um problema, lembre-se que pode se cadastrar para receber sem qualquer custo algumas edições digitais. Visite aqui para ampliar sua assinatura com produtos digitais, ou assine pela primeira vez.

Comentário da Loxam sobre o COVID-19 (17 de março)

Em seus resultados anuais publicados no dia 17 de março, a Loxam disse que administrará a situação com uma “distribuição inusual no inverno”.

Resumo dos eventos de construção afetados (18 de março)

Smopyc

Os seguintes eventos relacionados com a construção foram já afetados pela crise de saúde. Verifique os detalhes no site de cada evento: Norwegian Offshore Lifting Conference, Prêmios ESTA (adiado para outubro), prêmios IAPA e Cúpula da IPAF (adiados para 8 de outubro), SmopyC (adiada para 23 e 26 de setembro), Samoter (adiada para 21 -25 de outubro), Boecker Crane Days, Hannover Messe, Hire20 Expo e conferência na Austrália, os prêmios à excelência de locação do Reino Unido (adiado para setembro), a AGM da Federação Nacional de Empresas de Demolição do Reino Unido e o almoço de entrega de prêmios.

Vendas da Komatsu na China (18 de março)

A Komatsu revelou que as vendas de escavadeiras (classe 6t ou maiores) na China caíram 35% interanuais em janeiro, e 67% em fevereiro.

Volvo destaca o impacto financeiro (17 de março)

Volvo

Declaração do Grupo Volvo: “As consequências do surto de Covid-19 estão afetando o Grupo Volvo, e existe um risco considerável de um impacto financeiro importante a partir de meados de março”. Leia mais aqui

Manitou fecha operação na França (17 de março)

A fabricante francesa de manipuladores telescópicos e plataformas aéreas disse que suas operações na França foram fechadas no dia 17 de março e assim ficarão até o fim do mês. Continuam funcionando as áreas de peças de reposição, atendimento ao cliente e algumas funções centrais. Leia mais aqui.

Paralisada a construção do metrô de Quito (17 de março)

O trabalho de construção subterrânea do metrô de Quito, no Equador, foi suspenso até que se tomem medidas para garantir a segurança dos 2 mil trabalhadores do projeto. Leia mais aqui.

Câmara Chilena da Construção orienta precauções (17 de março)

Chilean Construction Chamber Logo

“Diante da rápida propagação do vírus Covid-19, a associação chama todos os chilenos a serem particularmente responsáveis com o cuidado, e assim evitar colocar em risco a saúde de outras pessoas, em especial aqueles que são parte de grupos de risco”, disse a CChC em comunicado dirigido às empresas associadas. Leia mais aqui.

Durante Rentals fecha instalações por uma semana (17 de março)

A locadora de equipamentos com sede em Nova York fechará suas 10 instalações como medida de precaução contra a propagação do vírus.

Canteiros de obra afetados pelo surto de Coronavírus (17 de março)

O setor de construção se vê cada dia mais afetado pelo Coronavírus Covid-19, mas os projetos ainda estão sendo executados na maioria dos países do mundo, embora isso possa mudar.

Um panorama geral dos efeitos do Coronavírus no setor

Na Itália, a associação de empreiteiras ANCE pediu o fechamento de todos os canteiros de obra, e as duas principais organizações de construtoras do Reino Unido disseram que a construção provavelmente será afetada “dramática e gravemente”, e que os canteiros de obra terão que se fechar.

As locadoras da Europa, particularmente na Itália e na França, estão começando a enfrentar problemas com os equipamentos que permaneceram nos canteiros de obra já fechados.

Uma locadora dos EUA disse à KHL que havia começado a ver algumas suspensões de projetos a curto prazo, por uma semana ou duas, e que antecipava que os projetos seriam desacelerados, mas não totalmente fechados.

A construção continua na maior parte dos EUA, mas não em Boston, Massachussets, a primeira cidade importante a suspender o trabalho devido às preocupações sobre o surto de Coronavírus.

Segundo um informe da NBCBoston.com, o prefeito de Boston, Marty Walsh, ordenou a suspensão de todos os trabalhos de construção na cidade, a partir de terça dia 17 de março. Espera-se que isto dure por pelo menos 14 dias. “Queremos ter a certeza de que esses trabalhadores estejam seguros”, afirmou Walsh.

Segundo ele, há dezenas de milhares de projetos de construção em andamento na cidade, e acrescentou: “Estamos em meio a um boom neste momento… A construção é o núcleo da nossa economia aqui em Boston”. Não obstante, continuou dizendo que “o Coronavírus é um dos maiores desafios de saúde pública que nossa cidade já enfrentou”.

New Rochelle, um subúrbio da cidade de Nova York, é atualmente o único outro lugar que tem uma suspensão da construção. As autoridades ali têm um movimento limitado entre os cidadãos como medida de precaução contra a propagação do vírus.

No Reino Unido, a Associação de Empresas da Engenharia Civil e o Build UK emitiram uma declaração conjunta, afirmando que “embora a prioridade na semana passada foi a de manter abertos e operacionais os projetos de construção críticos do negócio, sempre que seja possível, é provável que isso mude nas próximas semanas”.

O comunicado acrescenta que se o governo decidir pôr o país em bloqueio e restringir o movimento de cidadãos britânicos, as decisões serão tomadas pelas empresas individualmente mas os canteiros terão que fechar.

Um porta-voz da Willmott Dixon, uma empresa de serviços imobiliários e de construção do Reino Unido, disse: “Estamos preparando nosso pessoal para o trabalho flexível, tanto no canteiro como em suas casas, e assegurando que sigamos operando como um negócio eficaz ao mesmo tempo que apoiamos os integrantes da cadeia de fornecedores”. As ações, diz a empresa, incluem cancelamento de todos os eventos críticos não comerciais e as reuniões de pessoas, e sempre que for possível serão preferidas as videoconferências em lugar de reuniões presenciais.

Ricardo Viaggi, secretário geral da associação europeia de fabricantes de equipamentos de construção, CECE, disse que “pessoalmente, acredito que os canteiros de obra serão severamente afetados, sobretudo porque o distanciamento e outras precauções são muito difíceis de implementar em lugares onde as interações e a cooperação entre pessoas é regular e fundamentalmente importante”.

“Esta é a razão”, diz o CECE, “pela qual demos crédito ao chamado dos empresários do país até aqui mais afetado, a Itália, para que as atividades de construção sejam incluídas nas medidas de mitigação, como flexibilizar prazos de entrega e garantia salarial de trabalhadores”.

Guarantee your FREE digital subscription Construction Latin America!

 

Simply CLICK HERE to subscribe and access your free digital issue.

 

To make changes to your address, e-mail circulation@khl.com

 

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters