ASSINE GRATUITAMENTE A NEWSLETTER DA CONSTRUÇÃO LATINO-AMERICANA CLICANDO AQUI.

Edições digitais de todas as revistas da KHL

No caso de que a chegada de suas revistas do Grupo KHL em versão impressa seja um problema, lembre-se que pode se cadastrar para receber sem qualquer custo algumas edições digitais. Visite aqui para ampliar sua assinatura com produtos digitais, ou assine pela primeira vez.  

Grupo CNH fecha fábricas no Brasil (3 de abril)

O Grupo CNH Industrial anunciou a suspensão das atividades de todas as suas fábricas no Brasil. Isto inclui a fábrica de Contagem, Minas Gerais, onde são fabricadas retroescavadeiras, escavadeiras, tratores de esteiras e carregadeiras das marcas Case e New Holland. Leia mais aqui.

JCB paralisa produção em Sorocaba

A JCB decidiu paralisar temporariamente a produção na sua fábrica de Sorocaba, devido à pandemia do Coronavírus, segundo a Revista MT, da Sobratema. Leia mais aqui.

Fecham fábricas de turbinas eólicas na Espanha (3 de abril)

A Vestas, empresa dinamarquesa que é a maior fabricante mundial de turbinas eólicas, fechou suas duas fábricas na Espanha. Enquanto isso a Siemens Gamesa, com sede na Espanha, fechou seis unidades, deixando quatro parcialmente abertas. Um terceiro fabricante de energia eólica, a alemã Nordex, também suspendeu temporariamente todas as suas atividades na Espanha. Leia mais em espanhol aqui.

Hitachi atualiza sobre suas fábricas (3 de abril)

A Hitachi Construction Machinery informou que o surto de Covid-19 afetou suas atividades de produção em nível mundial, embora sete plantas no Japão estejam ainda funcionando normalmente. Leia mais em espanhol aqui.

GlobalData reduz expectativas para a construção (3 de abril)

A consultoria internacional GlobalData revisou sua expectativa de crescimento para a construção mundial em 2020. Se antes a empresa havia afirmado esperar crescimento de 3,1% para o setor em todo o mundo, agora devido à crise da pandemia essa expectativa baixou para um crescimento de apenas 0,5%. Leia mais aqui

Testemunha ocular: setores de construção e locação da Austrália (2 de abril)

Tim Nuttall, Diretor Gerente da Access Hire, da Austrália, escreveu um relato muito interessante sobre o que está acontecendo com a construção e a locação de equipamentos em seu país desde o surto do Covid-19. Leia o artigo em inglês aqui.

Espanhola GAM apoia setores críticos (2 de abril)

A locadora de máquinas e equipamentos GAM, da Espanha, está trabalhando para atender setores econômicos críticos para o país, que é altamente afetado pela pandemia. Entre outros, a locadora atende hospitais e empresas farmacêuticas. Leia mais em inglês aqui.

CCA: canteiros de obra canadenses devem continuar abertos (1 de abril)

A Associação Canadense da Construção (CCA) emitiu em 26 de março uma declaração estabelecendo que os canteiros de obra que estiverem em dia com as obrigações sanitárias relativas à crise deverão permanecer funcionando durante a pandemia.

BAM reabre canteiros considerados críticos no Reino Unido (1 de abril)

A construtora holandesa BAM anunciou que reiniciará as obras em vários canteiros do Reino Unido. A empresa enfatizou que os canteiros escolhidos são considerados críticos na luta contra a propagação do Coronavírus. Em sua declaração, a BAM afirmou que a retomada dos trabalhos foi decidida apenas após “extensos controles e acordos com nossas equipes de projeto”.

Trump pressiona por um pacote de infraestrutura de US$ 2 trilhões (1 de abril)

O último pacote de ajuda econômica dos Estados Unidos em resposta à pandemia poderá incluir US$ 2 trilhões para a infraestrutura.

Planejamento na SSAB (1 de abril)

A siderúrgica sueca SSAB implementou uma série de ações em resposta ao impacto da Covid-19. Principalmente, medidas para reduzir a propagação do vírus e proteger a força de trabalho, segundo a empresa. A companhia sueca de aços especiais que são usados na fabricação de guindastes descreveu as medidas como de curto prazo. Também estão se adaptando uma demanda reduzida, o que deverá levar a SSAB a implementar reduções de custos. A empresa prevê cortes de cerca de US$ 91,5 milhões.

Continuam as vendas da Palazzani (1 de abril)

A Palazzani, fabricante italiana de plataformas de elevação sobre esteiras, continua funcionando e vendendo. Por exemplo, anunciou a venda de um modelo TSJ 25 de 25 metros de altura à empresa Blu Garden, de Monticello Brianza, norte da Itália. Enquanto isso, a empresa trabalha com sua comunidade local para ajudar os mais afetados pela pandemia, ajudando na campanha de financiamento coletivo AiutiAMObrescia (WeHelpBrescia).

John Deere suspende a produção na fábrica de Dubuque nos EUA para realizar limpeza profunda (1 de abril)

A John Deere suspendeu a produção de equipamentos de construção e florestais da sua fábrica de Dubuque, estado de Iowa, em 30 de março. A medida foi tomada após a confirmação de que um empregado foi diagnosticado com a Covid-19. A marca fará uma limpeza profunda e desinfecção da unidade. Até aqui, a John Deere segue em operação moderada, como negócio “essencial”.

Chile construirá hospitais modulares (31 de março)

Seguindo o exemplo da China, o Chile poderá erguer hospitais modulares que poderiam ser montados em diversas regiões, a fim de dar combate à expansão do Coronavírus. Leia mais aqui.

Carmix fecha fábrica, mas mantém atendimento (31 de março)

A Carmix, empresa italiana fabricante de autoconcreteiras e centrais móveis de concreto, anunciou o fechamento da planta de produção de Noventa di Piave, em cumprimento das novas normas do governo italiano que bloquearam todas as atividades produtivas não essenciais no país. Apesar disso, em comunicado enviado aos clientes e à imprensa especializada a empresa afirma que manterá o atendimento aos usuários, distribuidores e interessados, através de sua rede comercial e de comunicação online. “Agora mais do que nunca, a empresa dirigida pela família Galante reforça o conceito de Carmix Family, convidando todos os membros a continuar em contato e unidos”, diz o comunicado. Leia mais aqui.

Exclusivo: Como se recupera a construção chinesa (31 de março)

O KHL Group solicitou a SHI Yang, diretor de pesquisa de mercado da Off-Highway Research China, com sede em Beijing, que descrevesse como o mercado de equipamentos de construção da China está se recuperando do surto de Covid-19. 

Manitou mantém fechamento na França, Itália e Índia (31 de março)

Sob o efeito da grave crise sanitária causada pelo Covid-19, e em acordo com as recomendações locais ou obrigações regulatórias, o grupo Manitou continuará com o fechamento de suas atividades de fabricação na França, Itália e Índia.  

Votorantim doa R$ 50 milhões para combater o vírus

O grupo Votorantim anunciou uma doação no valor de R$ 50 milhões para ajudar nos esforços de combate à pandemia do Coronavírus. Segundo comunicado da empresa, o Instituto Votorantim será o encarregado de enviar o montante a instituições de saúde, autoridades municipais e organizações sociais. A intenção é que se utilize na aquisição de equipamentos hospitalares e de proteção individual para médicos e enfermeiros. Leia mais aqui.

Concreteiras ajudam na lavagem de espaços públicos

Empresas da indústria do concreto da América Central e norte da América do Sul estão se somando ao esforço contra o Coronavírus ao participar de operações de lavagem de espaços públicos. Leia mais aqui.

Construção europeia pede medidas urgentes (30 de março)

O setor de construção da Europa emitiu uma declaração conjunta que pede medidas urgentes para proteger a saúde dos trabalhadores, apoiar a atividade econômica e ajudar o setor a se recuperar, em função da pandemia. 

JCB fabricará ventiladores (30 de março)

A JCB está pronta para reiniciar a produção em uma fábrica fechada em função da crise do Coronavírus, para se juntar ao esforço nacional do Reino Unido para fabricar ventiladores. Leia mais aqui.

Liebherr se refere ao Coronavírus (30 de março)

A fabricante de equipamentos de construção, mineração e guindastes Liebherr emitiu um comunicado em resposta ao impacto da pandemia do Coronavírus. “Todas as empresas da Liebherr em todo o mundo estão reagindo de maneira flexível de acordo com a situação, para proteger seus empregados enquanto mantêm processos comerciais essenciais da maneira mais efetiva possível. Estão tomando diversas medidas, que incluem levar a cabo uma gestão exaustiva da higiene, reorganização das áreas de produção para evitar a propagação da infecção, emitir pautas para trabalhar de casa e, em geral, utilizar formas remotas de trabalho em lugar de reuniões presenciais”. Leia mais aqui.

Atualização da Manitowoc sobre o Covid-19 (30 de março)

A Manitowoc emitiu uma atualização comercial e financeira em resposta ao impacto contínuo do Coronavírus. Embora sua fábrica de guinidastes na China fechou tenha fechado por várias semanas, desde então retomou seu funcionamento real, segundo a empresa. Não obstante, a empresa disse que o Covid-19 começou a afetar suas operações globais e a cadeia de suprimento fora da China. Leia mais aqui.

Três semanas de quarentena na Italia (30 de março)

Roberta Prandi, editora associada da divisão de Energia da KHL, que publica revistas como Diesel Progress e New Power Progress, escreveu este artigo a respeito do Norte da Itália, onde vive. Leia-o em inglês aqui.

FMI confirma recessão mundial este ano (27 de março)

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou que a pandemia do Covid-19 arrastará o mundo para uma recessão igual ou pior do que aquela vivida em 2009. Leia a nota completa aqui.

Máscaras faciais gratuitas da ZMGLIFT (27 de março)

A fabricante chinesa ZMGLIFT oferece máscaras faciais a qualquer pessoa em todo o mundo e as enviará gratuitamente. A empresa preparou 2 milhões de máscaras faciais para combater a propagação do Covid-19. “Contatamos milhares de empresas desde a semana passada e organizamos pacotes para serem entregues em mais de 80 países”, disse a empresa em mensagem à KHL. “Para ajudar mais empresas, se alguém precisar de máscaras, pode nos contatar e enviaremos grátis”.

A informação de contato é a seguinte:

www.zmglift.com

yuan@zmglift.com

Sinoboom oferece equipamentos de proteção (27 de março)

A fabricante chinesa oferece máscaras faciais e outros equipamentos de proteção individual (EPI) a seus sócios e amigos na indústria em todo o mundo, para ajudar a enfrentar a propagação do Covid-19. “Durante a crise, pudemos apoiar os hospitais e o pessoal de saúde de Wuhan com fornecimento de EPI, incluindo máscaras faciais, aventais e luvas. Agora queremos pôr estes equipamentos à disposição de qualquer um dos nossos amigos que precisem”, disse Susan Xu, presidenta da Hunan Sinoboom Intelligent Equipment. Leia mais aqui.

LafargeHolcim vê recuperação na China (27 de março)

A produtora suíça de materiais LafargeHolcim disse que está presenciando recuperação do setor de construção na China. Todas as suas plantas fora da província de Hubei agora estão operando depois do surto de Covid-19. “Atualmente, a pandemia e suas implicações para o negócio são voláteis e muito diferentes de um país a outro”, diz empresa. Leia mais aqui.

FIHP orienta setor concreteiro a operar na crise (26 de março)

A Federação Iberoamericana do Concreto Usinado (FIHP, na sigla em espanhol) lançou um guia completo com orientações para a operação do setor concreteiro durante a crise do COVID-19. Leia mais aqui.

Caterpillar anuncia resposta à crise (26 de março)

A Caterpillar informou em 26 de março que a pandemia de COVID-19 começou a afetar sua cadeia de suprimento, embora a maioria das operações nos EUA e outras partes do mundo estão ativas (sempre onde a permissão de funcionamento continua). Apesar disso, a empresa advertiu que a produção parou em algumas unidades, “devido às condições econômicas incertas que resultam em uma demanda mais fraca, possíveis restrições de fornecimento e a propagação da pandemia e ações governamentais relacionadas. A Caterpillar suspende temporariamente as operações em certas instalações. A companhia continuará monitorando a situação e p ode suspender as operações em outras unidades conforme a situação”. Leia mais aqui.

JCB suspende a produção no Reino Unido até fim de abril (26 de março)

A fabricante britânica de máquinas de construção suspenderá a produção no Reino Unido ao menos até o fim de abril devido à crise do Coronavírus, e continuará pagando seus funcionários que não puderem trabalhar.

Construção alemã continua apesar da crise (25 de março)

As três maiores associações de empreiteiras da Alemanha, ZDB, HDB e BVMB, acolheram conjuntamente uma decisão do governo alemão de continuar com a construção apesar da crise do COVID-19. Leia mais aqui.

China ‘acelera’ a construção (25 de março)

A China retomou a construção de cerca de 90% dos “projetos essenciais”, segundo um funcionário da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC) afirmou ao site China.org. Leia mais aqui.

Por Coronavírus, MRV digitaliza vendas

A MRV anunciou que em resposta à crise do Coronavírus está digitalizando sua operação de vendas de apartamentos. A ferramenta já havia sido lançada em janeiro para Belo Horizonte, apenas. Mas com a chegada da pandemia ao Brasil, o processo de expansão se acelerou e agora já está disponível para as cerca de 160 cidades onde a MRV tem projetos à venda. Leia mais aqui.

RCB se ajusta aos desafios do mercado

A locadora brasileira RCB Plataformas está percebendo uma relação mista com os clientes, no enfrentamento da pandemia do COVID-19 no país. Leia mais aqui.

John Deere Brasil fecha suas fábricas (25 de março)

A John Deere Brasil anunciou fortes medidas para enfrentar a crise do Coronavírus. A partir de 25 de março (data de publicação desta notícia), ficam fechadas as fábricas da Ciber Equipamentos Rodoviários em Porto Alegre e a fábrica de máquinas agrícolas na cidade de Horizontina, também no Rio Grande do Sul. Leia mais aqui.

Notícias do setor de locação (24 de março)

Há esperanças no fato de que a vida está começando a voltar à normalidade na China, e as empresas de locação como Shanghai Horizon estão percebendo recuperação nos seus níveis de atividade. Porém, muitos países estão atravessando a crise do Coronavírus. Pode-se ler aqui em inglês um compilado de notícias relacionadas às locadoras de várias partes do mundo. 

Construção segue normal nos Emirados Árabes Unidos (24 de março)

O setor de construção nos Emirados Árabes Unidos (EAU) continua funcionando como sempre, apesar do impacto do Coronavírus, segundo a empresa de dados e análises GlobalData. 

FIEC pede apoio urgente para a construção (24 de março)

A Federação Europeia da Indústria da Construção (FIEC) pediu uma ação imediata da Comissão Europeia para apoiar o setor durante a crise do COVID-19. A federação, cujos integrantes são 32 associações de construção de 28 países, disse que a EU deve considerar o COVID-19 como motivo de força maior, de maneira que se eliminem sanções para empresas que tenham que suspender seus trabalhos. Também existe o pedido de que os fundos europeus sejam usados e aumentados a fim de cobrir os maiores custos do trabalho.

APEX e International Rental Exhibition foram adiados para setembro (24 de março)

A feira e exposição de plataformas de acesso APEX e a feira e conferência de locação internacional IRE, que tinham programação simultânea para acontecer de 9 a 11 de junho em Maastricht, Países Baixos, foram adiados. Acontecerão de 8 a 10 de setembro. A razão é o Coronavírus. Leia mais aqui.

O dilema da construção no Reino Unido (24 de março)

O BuildUK, um dos órgãos comerciais mais representativos do setor de construção no Reino Unido, disse que o setor está sob um forte dilema após o anúncio de fortes restrições sobre viagens e negócios no país, a fim de combater o surto do vírus. Leia mais aqui

Notícias do setor de locação (24 de março)

Há esperanças no fato de que a vida está começando a voltar à normalidade na China, e as empresas de locação como Shanghai Horizon estão percebendo recuperação nos seus níveis de atividade. Porém, muitos países estão atravessando a crise do Coronavírus. Pode-se ler aqui em inglês um compilado de notícias relacionadas às locadoras de várias partes do mundo. 

Construção segue normal nos Emirados Árabes Unidos (24 de março)

O setor de construção nos Emirados Árabes Unidos (EAU) continua funcionando como sempre, apesar do impacto do Coronavírus, segundo a empresa de dados e análises GlobalData. 

FIEC pede apoio urgente para a construção (24 de março)

A Federação Europeia da Indústria da Construção (FIEC) pediu uma ação imediata da Comissão Europeia para apoiar o setor durante a crise do COVID-19. A federação, cujos integrantes são 32 associações de construção de 28 países, disse que a EU deve considerar o COVID-19 como motivo de força maior, de maneira que se eliminem sanções para empresas que tenham que suspender seus trabalhos. Também existe o pedido de que os fundos europeus sejam usados e aumentados a fim de cobrir os maiores custos do trabalho.

APEX e International Rental Exhibition foram adiados para setembro (24 de março)

A feira e exposição de plataformas de acesso APEX e a feira e conferência de locação internacional IRE, que tinham programação simultânea para acontecer de 9 a 11 de junho em Maastricht, Países Baixos, foram adiados. Acontecerão de 8 a 10 de setembro. A razão é o Coronavírus. Leia mais aqui.

O dilema da construção no Reino Unido (24 de março)

O BuildUK, um dos órgãos comerciais mais representativos do setor de construção no Reino Unido, disse que o setor está sob um forte dilema após o anúncio de fortes restrições sobre viagens e negócios no país, a fim de combater o surto do vírus. Leia mais aqui

JLG paralisa produção nos EUA e na Europa

A JLG anunciou a suspensão da produção na América do Norte e na Europa, mas ao mesmo tempo aumentou a produção na China. A empresa disse que planeja fechar as operações de fabricação nos Estados Unidos e no México de 30 de março a 10 de abril, com planos de reabrir em 13 de abril. Na França, as operações da fabricante serão suspensas até o dia 6 de abril. Leia mais aqui.

Wacker Neuson adianta paradas programadas

O Grupo Wacker Neuson tomou a decisão de reduzir seus programas de produção desde o fim da semana passada. “A propagação global do COVID-19 está demonstrando consequências significativas na vida pública, assim como na economia mundial. Os estados e as instituições estão impondo medidas de proteção cada vez mais drásticas. Tudo isto trouxe consigo crescentes impactos nas cadeias de suprimentos do Grupo”, afirmou a empresa em comunicado. Leia mais aqui.

Setor de infraestrutura envia pauta ao governo da Colômbia

A Câmara Colombiana de Infraestrutura (CCI) fez um chamado ao governo do país para que a atividade seja excetuada, ou ao menos bem regulada, nas normas excepcionais expedidas diante da conjuntura da crise do Coronavírus. “A atual conjuntura poderia derivar na declaração de eventos de força maior nos contratos, com a consequente afetação na dinâmica da execução dos projetos”, advertiu a entidade em comunicado. Leia mais aqui

Ammann adota fabricação ‘flexível’ (23 de março)

A Ammann anunciou que suas entregas de peças e produtos até agora se mantiveram em curso, apesar do surto mundial do Coronavírus. Afirmando que “continua aberta para os negócios”, a empresa disse que sua fábrica em Xangai, China, voltou às operações depois de ter ficado fechada por semanas em resposta à pandemia. Não obstante, a fabricante com sede na Suíça disse que sua experiência não é diferente de outras empresas que estão enfrentando obstáculos na produção.

Aggreko toma precauções (23 de março)

A Aggreko informou que não fechou seus escritórios e armazéns ao redor do mundo, mesmo que um número crescente de seus funcionários esteja trabalhando de casa. A empresa afirma que está em posição financeira sólida, com liquidez imediata de cerca de US$ 703 milhões, e vem tomando medidas de precaução econômica, como redução de custos, congelamento de contratações, restrições de viagem e limitação o gasto de capital da frota aos pedidos garantidos, de maneira a satisfazer a demanda conhecida. Leia mais aqui.

Vinci diz que projetos na França estão suspensos (23 de março)

O Grupo Vinci, matriz da Vinci Construction, informou que uma grande quantidade de projetos na França estão paralisados desde o dia 16 de março, devido às precauções contra o Coronavírus. Leia mais aqui

Putzmeister Brasil mantém operação remota

A Putzmeister Brasil anunciou que continua trabalhando com seu departamento comercial e fornecimento de peças de reposição, mesmo em meio à crise do Coronavírus. No entanto, a empresa afirma que os atendimentos estão sendo feitos exclusivamente por vias remotas. Leia mais aqui

Epiroc Chile envia comunicado sobre crise (20 de março)

A Epiroc Chile enviou um comunicado referente às medidas que está tomando para enfrentar a crise do Coronavírus. “Nossa principal prioridade é salvaguardar a disponibilidade e a cadeia de suprimentos, e para isso nosso Centro de Distribuição e a área comercial estão funcionando normalmente para atender as solicitações”, disse a empresa. Leia mais aqui

Construção considerada essencial em muitas regiões dos Estados Unidos (20 de março)

Em meio às precauções com relação ao Coronavírus, a construção nos EUA continua por enquanto na maioria do país, e pode continuar assim indefinidamente, se os funcionários do setor conseguirem persuadir o governo para incluí-la entre os negócios considerados “essenciais” nacionalmente. Leia mais aqui.  

Declaração do Grupo KHL sobre o Coronavírus (20 de março)

A KHL se compromete a produzir e entregar notícias continuamente sobre os eventos à medida que se desenvolvam, e apresenta um boletim de frequência diária, Construction & Coronavírus, para cobrir o surto e seu impacto na construção. Para receber a newsletter clique aqui. Para ler o comunicado completo, clique aqui.

Juntos nos recuperaremos (20 de março)

A Vinci Construction afirmou que todas as suas empresas estão tomando medidas para conter a pandemia de Covid-19. Em um comunicado publicado em sua página nas redes sociais, a empresa disse que “nos países onde se decretou o bloqueio, nossas empresas implementaram imediatamente o trabalho remoto para os empregados cuja atividade pode ser realizada assim”.

Além disso, a empresa assegurou que “junto com nossos empregados, clientes, sócios e subcontratados, demonstraremos nossa capacidade de recuperação”.

A gigante da construção disse que a saúde e a segurança de todos estão entre suas principais prioridades, e que suas subsidiárias cumprirão estritamente as recomendações do governo.

Wirtgen adia seus Technology Days (20 de março)

Originalmente programados pata acontecer em 24 e 25 de setembro de 2020, os Technology Days do Grupo Wirtgen passarão para 15 e 16 de abril de 2021, nas instalações da marca Benninghoven em Wittlich, Alemanha.

Em um comunicado, a empresa disse que “o Grupo Wirtgen está monitorando de perto os desenvolvimentos atuais em relação ao Coronavírus. A saúde de nossos clientes, sócios e empregados é nossa principal prioridade, pelo que é extremamente importante para nós que manejemos essa situação de maneira responsável”.

Palfinger aberta para negócios (20 de março)

A Palfinger North America permanecerá “aberta para negócios” durante o surto de Coronavírus, mas tomou medidas para ajudar a proteger a saúde de seu pessoal e dos clientes, assim como para garantir o funcionamento contínuo de suas operações.

Bechtel diz que não há um enfoque único para a segurança (20 de março)

A empreiteira global com sede nos EUA Bechtel enviou a seguinte declaração à KHL: “Nossa máxima prioridade é a segurança de nossos colegas. Tomamos uma série de precauções prescritas pela Organização Mundial de Saúde, dos Centros de Controle de Doenças e Enfermidades dos EUA e as agências locais próximas aos locais de trabalho e escritórios nossos. Nossos colegas trabalham em diferentes ambientes do mundo, em edifícios corporativos e canteiros de obras, e nenhuma solução única garantirá a segurança de todos. Este é um desafio global que muda rapidamente, e estamos trabalhando com nossos clientes para monitorar cuidadosamente nossos projetos em busca de possíveis impactos. À medida que mudem as condições, não hesitaremos em tomar medidas adicionais para proteger nossos colegas”.

Palazzani fecha fábrica (20 de março)

A Palazzani, fabricante italiana de plataforma de elevação sobre esteiras, seguiu o exemplo de outros fabricantes de fechar suas operações. A empresa disse que três ou quatro empregados estão no local para terminar alguns produtos de exportação, mas os demais já estão em casa. Também há problemas com os fornecedores locais, que se encontram na mesma situação, e portanto, não podem entregar componentes.

“Tempos difíceis para os fornecedores de construção” (20 de março)

O diretor gerente da empresa inglesas O’Donovan Waste Control admite que “os grandes desafios” estão por vir para os proprietários de pequenas e médias empresas, devido ao Coronavírus. Instou as empresas do Reino a aproveitar ao máximo qualquer apoio financeiro que seja disponibilizado durante a crise. Leia mais aqui.

Medidas de resiliência empresarial da SNC-Lavalin (20 de março)

A empreiteira canadense SNC-Lavalin Group atualizou a posição da empresa com as medidas que vem tomando num grande “programa de resiliência empresarial” relativo ao Coronavírus. Leia mais aqui.

Fábrica da Volvo em Curitiba fechará por quatro semanas.

A fábrica da Volvo em Curitiba estará fechada por quatro semanas a partir de 30 de março, devido ao Coronavírus. A medida anunciada pela empresa sueca vale para todas as divisões produtivas que aí operam: caminhões, ônibus, motores, caixas de câmbio e cabines. A produção de equipamentos de construção funciona em outra unidade. Leia mais aqui

JLG continua a produção (19 de março)

“Durante este tempo de incerteza, a segurança e o bem estar dos membros de nossa equipe continua sendo nossa principal prioridade. Como organização, tomamos muitas medidas preventivas para proteger o pessoal e as instalações, limitar a potencial propagação do vírus e mitigar o impacto em nosso negócio durante essa situação de rápida evolução. Neste momento, a produção continua avançando em nossas instalações. Continuaremos monitorando a situação para que possamos tomar decisões informadas no melhor interesse dos integrantes da nossa equipe, negócios e comunidades”.  

FIIC adia Assembleia Geral (19 de março)

A Federação Interamericana da Indústria da Construção (FIIC), que congrega todas as câmaras da construção da América Latina, lançou um comunicado anunciando que “devido à complexa situação sanitária que estamos vivendo em nível internacional, informamos que, tendo em consideração a saúde de nossos associados e a progressão do vírus COVID-19, o Comitê Executivo da FIIC decidiu, em conjunto com a Câmara Mexicana da Indústria da Construção (CMIC), anfitriã do evento, adiar a Assembleia Geral Ordinária e o LXXXII Conselho Diretivo da FIIC, que aconteceriam de 22 a 25 de abril na cidade de Guadalajara, México”.

Argentina construirá oito hospitais de emergência (18 de marzo)

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou a construção de oito hospitais modulares de emergência para poder fazer frente à propagação do Coronavírus no país. A doença já infectou mais de 80 pessoas e já deixou duas mortes. Leia mais aqui

Ritchie Bros digitaliza operações devido ao vírus (19 de março)

A empresa de leilões de máquinas Ritchie Bros espera um aumento na participação de leilões online devido às preocupações com aglomerações de pessoas em todo o mundo. Como resultado, está realizando alterações na sua plataforma de leilão digital. Leia a notícia completa aqui.

Haulotte paralisa produção na França (18 de março)

A Haulotte anunciou o fechamento temporário de suas três instalações de fabricação na França, em L’Horme, Loire; Creusot, Saona e Loira e Reims, Marne. Mas disse que as atividades de distribuição e serviço continuarão. Leia a notícia completa aqui.

Teck anuncia suspensão de obra na mina de Quebrada Blanca 2 (18 de março)

A mineradora canadense Teck Resources anunciou a suspensão temporária das atividades de construção de seu projeto Quebrada Blanca 2, como medida preventiva ante a propagação do Coronavírus na região chilena de Tarapacá, no norte do Chile. Leia mais aqui.

JCB detém a produção no Reino Unido (18 de março)

JCB Loadall Business Unit 5

A JCB parou de produzir em todas as suas fábricas no Reino Unido, em resposta à pandemia de Covid19. Segundo a empresa, há “uma redução sem precedentes na demanda mundial”. Leia mais aqui.

Cancelada conferência anual da SC&RA (18 de março)

A direção da Associação de Transportistas Especializados e Riggers dos EUA (SC&RA) votou pelo cancelamento de sua Conferência Anual, que ia ser realizada de 14 a 18 de abril em Amelia Island, Flórida.

“Com base nos acontecimentos das últimas semanas, e antevendo o que mais pode acontecer, nossa principal prioridade é a saúde e a segurança de nossos membros e nosso pessoal”, disse Joel Dandrea, diretor executivo da associação.

A recuperação econômica pós-pandemia pode ser “robusta” (18 de março)

A recuperação econômica dos efeitos negativos da pandemia de Coronavírus pode ser sólida, segundo o Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento (BERD), que já lançou um pacote de solidariedade emergencial de US$ 1,1 bilhão para apoiar empresas nos países onde tem operação. Leia mais aqui.

Terex emite declaración sobre o COVID-19 (18 de março)

A Terex emitiu um comunicado com relação ao COVID-19, indicando que a produção ainda continua, mas que foram tomadas atitudes para garantir a segurança de todos os membros da equipe, clientes e comunidades.

“Na Terex, nossa principal prioridade é a segurança. Como organização global, temos fábricas e suporte em muitas partes do mundo, incluindo alguns muito afetados pelo surto, como China, Itália e locais no estado de Washington nos EUA. Sabemos que nossos clientes e fornecedores também estão monitorando de perto o provável impacto do vírus sobre seus negócios. Embora o ritmo de mudança da situação esteja acelerado, continuamos produzindo os equipamentos e atendendo as necessidades dos nossos clientes, fornecedores e as comunidades onde vivemos e trabalhamos”.

A declaração completa pode ser lida aqui

O governo dos Estados Unidos cogita um plano de estímulos econômicos sem precedentes (17-18 de março)

O surto de Coronavírus continua piorando nos EUA, o que levou o Congresso e a Casa Branca a considerar o pacote de estímulo mais significativo na história moderna do país, a fim de dar resposta aos efeitos econômicos da pandemia em indivíduos e setores econômicos, incluído aí a construção.

Leia mais aqui.

A associação de empreiteiras francesas pede uma paralisação de 10 dias (17-18 de março)

A Federation Française du Bâtiment solicitou uma paralisação do setor de construção no país, para permitir que o setor prepare medidas de segurança para seus trabalhadores.

Comentário da Off-Highwy Research sobre a China (18 de março)

“A China está lentamente voltando à normalidade. As fábricas estão voltando à produção total e existe a expectativa de que as restrições de viagem começarão a diminuir em breve. O governo já está dando muitos passos para estimular a economia, como relaxar as regras de crédito e permitir que os governos provinciais emitam mais títulos de dívida”.

Edições digitais de todas as revistas da KHL

No caso de que a chegada de suas revistas do Grupo KHL em versão impressa seja um problema, lembre-se que pode se cadastrar para receber sem qualquer custo algumas edições digitais. Visite aqui para ampliar sua assinatura com produtos digitais, ou assine pela primeira vez.

Comentário da Loxam sobre o COVID-19 (17 de março)

Em seus resultados anuais publicados no dia 17 de março, a Loxam disse que administrará a situação com uma “distribuição inusual no inverno”.

Resumo dos eventos de construção afetados (18 de março)

Smopyc

Os seguintes eventos relacionados com a construção foram já afetados pela crise de saúde. Verifique os detalhes no site de cada evento: Norwegian Offshore Lifting Conference, Prêmios ESTA (adiado para outubro), prêmios IAPA e Cúpula da IPAF (adiados para 8 de outubro), SmopyC (adiada para 23 e 26 de setembro), Samoter (adiada para 21 -25 de outubro), Boecker Crane Days, Hannover Messe, Hire20 Expo e conferência na Austrália, os prêmios à excelência de locação do Reino Unido (adiado para setembro), a AGM da Federação Nacional de Empresas de Demolição do Reino Unido e o almoço de entrega de prêmios.

Vendas da Komatsu na China (18 de março)

A Komatsu revelou que as vendas de escavadeiras (classe 6t ou maiores) na China caíram 35% interanuais em janeiro, e 67% em fevereiro.

Volvo destaca o impacto financeiro (17 de março)

Volvo

Declaração do Grupo Volvo: “As consequências do surto de Covid-19 estão afetando o Grupo Volvo, e existe um risco considerável de um impacto financeiro importante a partir de meados de março”. Leia mais aqui

Manitou fecha operação na França (17 de março)

A fabricante francesa de manipuladores telescópicos e plataformas aéreas disse que suas operações na França foram fechadas no dia 17 de março e assim ficarão até o fim do mês. Continuam funcionando as áreas de peças de reposição, atendimento ao cliente e algumas funções centrais. Leia mais aqui.

Paralisada a construção do metrô de Quito (17 de março)

O trabalho de construção subterrânea do metrô de Quito, no Equador, foi suspenso até que se tomem medidas para garantir a segurança dos 2 mil trabalhadores do projeto. Leia mais aqui.

Câmara Chilena da Construção orienta precauções (17 de março)

Chilean Construction Chamber Logo

“Diante da rápida propagação do vírus Covid-19, a associação chama todos os chilenos a serem particularmente responsáveis com o cuidado, e assim evitar colocar em risco a saúde de outras pessoas, em especial aqueles que são parte de grupos de risco”, disse a CChC em comunicado dirigido às empresas associadas. Leia mais aqui.

Durante Rentals fecha instalações por uma semana (17 de março)

A locadora de equipamentos com sede em Nova York fechará suas 10 instalações como medida de precaução contra a propagação do vírus.

Canteiros de obra afetados pelo surto de Coronavírus (17 de março)

O setor de construção se vê cada dia mais afetado pelo Coronavírus Covid-19, mas os projetos ainda estão sendo executados na maioria dos países do mundo, embora isso possa mudar.

Um panorama geral dos efeitos do Coronavírus no setor

Na Itália, a associação de empreiteiras ANCE pediu o fechamento de todos os canteiros de obra, e as duas principais organizações de construtoras do Reino Unido disseram que a construção provavelmente será afetada “dramática e gravemente”, e que os canteiros de obra terão que se fechar.

As locadoras da Europa, particularmente na Itália e na França, estão começando a enfrentar problemas com os equipamentos que permaneceram nos canteiros de obra já fechados.

Uma locadora dos EUA disse à KHL que havia começado a ver algumas suspensões de projetos a curto prazo, por uma semana ou duas, e que antecipava que os projetos seriam desacelerados, mas não totalmente fechados.

A construção continua na maior parte dos EUA, mas não em Boston, Massachussets, a primeira cidade importante a suspender o trabalho devido às preocupações sobre o surto de Coronavírus.

Segundo um informe da NBCBoston.com, o prefeito de Boston, Marty Walsh, ordenou a suspensão de todos os trabalhos de construção na cidade, a partir de terça dia 17 de março. Espera-se que isto dure por pelo menos 14 dias. “Queremos ter a certeza de que esses trabalhadores estejam seguros”, afirmou Walsh.

Segundo ele, há dezenas de milhares de projetos de construção em andamento na cidade, e acrescentou: “Estamos em meio a um boom neste momento… A construção é o núcleo da nossa economia aqui em Boston”. Não obstante, continuou dizendo que “o Coronavírus é um dos maiores desafios de saúde pública que nossa cidade já enfrentou”.

New Rochelle, um subúrbio da cidade de Nova York, é atualmente o único outro lugar que tem uma suspensão da construção. As autoridades ali têm um movimento limitado entre os cidadãos como medida de precaução contra a propagação do vírus.

No Reino Unido, a Associação de Empresas da Engenharia Civil e o Build UK emitiram uma declaração conjunta, afirmando que “embora a prioridade na semana passada foi a de manter abertos e operacionais os projetos de construção críticos do negócio, sempre que seja possível, é provável que isso mude nas próximas semanas”.

O comunicado acrescenta que se o governo decidir pôr o país em bloqueio e restringir o movimento de cidadãos britânicos, as decisões serão tomadas pelas empresas individualmente mas os canteiros terão que fechar.

Um porta-voz da Willmott Dixon, uma empresa de serviços imobiliários e de construção do Reino Unido, disse: “Estamos preparando nosso pessoal para o trabalho flexível, tanto no canteiro como em suas casas, e assegurando que sigamos operando como um negócio eficaz ao mesmo tempo que apoiamos os integrantes da cadeia de fornecedores”. As ações, diz a empresa, incluem cancelamento de todos os eventos críticos não comerciais e as reuniões de pessoas, e sempre que for possível serão preferidas as videoconferências em lugar de reuniões presenciais.

Ricardo Viaggi, secretário geral da associação europeia de fabricantes de equipamentos de construção, CECE, disse que “pessoalmente, acredito que os canteiros de obra serão severamente afetados, sobretudo porque o distanciamento e outras precauções são muito difíceis de implementar em lugares onde as interações e a cooperação entre pessoas é regular e fundamentalmente importante”.

“Esta é a razão”, diz o CECE, “pela qual demos crédito ao chamado dos empresários do país até aqui mais afetado, a Itália, para que as atividades de construção sejam incluídas nas medidas de mitigação, como flexibilizar prazos de entrega e garantia salarial de trabalhadores”.

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Inscreva-se grátis

Newsletters

O Informativo Semanal de Construção conta com as últimas notícias da indústria mundial, proporcionando uma grande quantidade de informação aos profi ssionais da construção.

Vá a Newsletters