Venda de cimento no Brasil cai 10% no 1T

By Fausto Oliveira11 May 2017

127256 itacamba cemento

As vendas de cimento no Brasil caíram 10,1% entre janeiro e abril de 2017, com relação ao mesmo período do ano passado, ficando em 16,9 milhões de toneladas. O dado é do Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC).

De acordo com a entidade, as vendas do principal insumo de construção este ano cairão no país, entre 5% e 7%. Se isso acontecer como se prevê, se acumulará uma nova perda sobre a queda de 11,8% em 2016 na comparação com o ano anterior, sempre levando-se em conta as vendas domésticas de cimento.

Hoje em dia, com o cenário de lentidão do mercado de construção na maior economia da América Latina, a capacidade ociosa da indústria de cimento está em 44%. Espera-se que isto cresça, chegando mesmo a 50% de capacidade ociosa até o fim do ano.

De acordo com o SNIC, o pior momento da história da indústria cimenteira nacional havia sido em 1983, quando então a capacidade ociosa da indústria era de 43%.

 

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Um ponto fora da curva…
O Brasil, na contramão de muitos países que se viram seriamente afetados pela crise sanitária mundial, se estabelece dia após dia como potência econômica no que tange a indústria e tal propensão se fortalece com o número de obras que se difundem por todo território nacional.
Energia do futuro
Como grupos geradores e sistemas de armazenamento baseados em bateria podem substituir a energia a diesel.
Construção centro-americana
A pandemia e economias fortemente dependentes tornam a recuperação desta região mais complexa.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL