Terminal Gás Sul realiza towing de dutos submarinos

Em março, o Consórcio concluiu a maior operação de shore approach já registrada na América do Sul.

O Consórcio Gás Sul, formado pelas empresas Tenenge e OEC - Engenharia e Construção, concluiu mais uma etapa importante na construção do Terminal Gás Sul, na Baía de Babitonga, Santa Catarina.

Foto: OEC

No último dia 25 de maio foi finalizado o transporte e instalação do duto submarino de 20 polegadas, utilizando a metodologia de towing, também conhecido como surface tow. O método consiste no transporte e instalação de trechos de dutos submarinos (strings) que, após serem rebocados com auxílio de flutuadores, são assentados no fundo da vala com o processo de enchimento dos flutuadores com água.

No projeto do Terminal Gás Sul foram instalados dois strings. O primeiro deles possui 560 metros de comprimento e pesa 287 toneladas, enquanto o segundo tem 323 metros e pesa 164 toneladas. Esses strings foram lançados da terra para o mar por meio de roletes instalados na faixa do duto OSPAR, localizado na cidade de Itapoá. Em seguida, foram rebocados pela Baía até São Francisco do Sul, onde foram afundados e instalados na vala.

A operação do string I teve início no dia 27 de abril com o lançamento, reboque da coluna e o fechamento do tie-in - coluna do HDD e o string I, com o afundamento sendo realizado quatro dias depois. Já a operação do string II teve início em 25 de maio com o lançamento, reboque da coluna e o fechamento do tie-in – coluna do string I e o string II, com o afundamento ocorrendo no dia 26 de maio.

TGS - O Terminal Gás Sul vai fornecer 15 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, representando um aumento de mais de três vezes no total disponível atualmente no estado de Santa Catarina. O Terminal está localizado a 300 metros da costa da cidade de São Francisco do Sul, e inclui infraestrutura para receber, armazenar, regaseificar e distribuir o gás natural que chegará na forma de GNL (Gás Natural Liquefeito) pelo mar através de navios metaneiros e será transferido pelo sistema ship to ship para uma FSRU (unidade flutuante de armazenamento e regaseificação) com capacidade de armazenar 160 mil metros cúbicos de GNL, que, por sua vez, será interligada por 33 km de dutos de 20 polegadas com o GASBOL (Gasoduto Bolívia-Brasil).

CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristiá[email protected]
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL