Tecnológicas e versáteis

By Juliana De Andrade02 August 2016

Si bien el mercado latinoamericano de equipos de construcción cayó en los últimos dos años, presiona

Si bien el mercado latinoamericano de equipos de construcción cayó en los últimos dos años, presionado principalmente por Brasil, el segmento de excavadoras no ha presentado una baja muy acentuada

Ainda que o mercado latino-americano de equipamentos de construção tenha caído nos últimos anos, pressionado principalmente pelo Brasil, o segmento de escavadeiras não apresentou uma queda muito acentuada, e este ano mostrou inclusive mais estabilidade.

Esse fenômeno acontece por que se trata de um dos produtos mais importantes do mercado de máquinas de construção no mundo, já que é impossível executar uma obra sem seu uso.

Na América Latina não é diferente. Na maioria dos países da região, essa foi uma das poucas linhas que se recuperaram e inclusive cresceram, com respeito ao período pré-crise de 2009. Nos últimos cinco anos o mercado demandou mais de30 mil escavadeiras, e dentro deste mercado, a maior fatia está na classe de 19 a 24 toneladas.

Segundo comenta Mauricio Brones, especialista da Caterpillar para aplicações em escavadeiras, ainda que neste momento o mercado de construção e infraestrutura esteja operando em baixa, ajuda muito o fato de que a escavadeira seja um equipamento tão versátil que possa ser utilizado em um número maior de aplicações que normalmente podem ser feitas com outras máquinas, como por exemplo as carregadeiras de rodas, tratores de esteiras e moto-escrêiperes. “Isso foi positivo para os fabricantes tradicionais. O cliente agora é mais criterioso na compra, pois sabe que não vale a pena optar por uma máquina que não vai oferecer o melhor retorno sobre o investimento”, sinaliza.

Novas tecnologias

Tendo em conta que, especialmente em tempos de crise, torna-se muito mais importante optar por um equipamento mais versátil, os fabricantes estão agora muito preocupados em agregar tecnologia a seus produtos, garantindo que o equipamento vai poder operar em diferentes condições e exigências de trabalho.

Luciano Rocha, diretor da Volvo Construction Equipment Latin America para a região de fala hispânica, comenta que a marca oferece uma ampla gama composta por escavadeiras de esteiras, sobre rodas e compactas, com pesos operacionais entre 14 e 90 toneladas, entre as quais se destaca a EC220DL, uma das líderes em sua categoria, graças ao nível de desenvolvimento tecnológico incorporado a esse produto.

Com peso operacional de 22,2 toneladas, o equipamento possui uma lança de 5,7 metros de comprimento e um braço de 2,9 metros, ambos com tecnologia heavy duty, que segundo a companhia, garante a confiança e sua disponibilidade mecânica. Como a segurança é a pedra fundamental dentro da Volvo, todas as escavadeiras da marca possuem uma cabine ROPS reforçada em sua estrutura com um elemento essencial que é a chapa perfurada superior anti-escorregamento, além de um sistema elétrico único com gerenciamento de níveis, códigos de erros, modo de trabalho, fluxo e pressão, entregando ao operador condições gerais de gerenciamento.

Equipada com um motor Volvo D6, a EC220DL permite o trabalho em rotações baixas com a correspondente redução no consumo de combustível.

Por sua vez a Case Construction oferece na América Latina 14 modelos de escavadeiras de entre 2 e 80 toneladas de peso operacional, com versões exclusivas como a Mass Excavator, para escavações pesadas.

Um exemplo é a CX700B de 70 toneladas, que garante um baixo consumo de combustível em relação ao seu tamanho. Equipada com a nova cabine da Série B, que tem mais espaço para o operador e isolamento acústico e vibracional. Além disso, o usuário pode escolher entre uma variedade de modos de aplicação como o Super Energy, que dá prioridade para a velocidade quando é necessário, e o Hard Work, que otimiza a produtividade e a eficiência do combustível. A marca garante 5 mil horas de trabalho entre as manutenções, diminuindo sensivelmente as perdas causadas pela ociosidade do equipamento e custos de manutenção.

A marca também está atualmente desenvolvendo um novo sistema hidráulico que permite diminuir o consumo de combustível em 14% e aumentar a produtividade em 8%. Segundo Carlos Franca, Gerente de Marketing da Case Construction Equipment para América Latina “a melhoria contínua é muito importante para nós da Case”.

A SDLG por sua vez reforçou sua linha de escavadeiras com o lançamento de uma nova máquina de grandes proporções, a LG6300E. Disponível em todo o território latino-americano excluindo Brasil, o novo equipamento é parte de uma estratégia da marca que pretende aumentar o alcance de sua linha de equipamentos de construção na região ao ampliar as possibilidades de aplicação e os segmentos de atuação em um único dispositivo.

A LG6300E, de 30 toneladas de peso operacional, foi projetada para serviços pesados, por isso as partes sujeitas a mais esforços são produzidas em ferro fundido para garantir sua resistência e uma maior vida útil. Conta com sistema hidráulico que inclui funções como somo de fluxos e regeneração que permitem mais eficiência e rapidez, além disso, dispõe de uma tecnologia de controle eletrônico que pode se adequar a diferentes operações com mais eficiência energética. Seu chassi mais longo também proporciona boa manobrabilidade e estabilidade.

“A América Latina é um mercado muito importante e que possui muitas obras em andamento, ou planejadas que precisam de um equipamento deste tamanho”, afirma Babliton Cardoso, diretor da SDLG Latin América.

Tecnologia x Investimento

Outro fator importante a levar em consideração na aquisição de uma escavadeira é o retorno do investimento. Quanta tecnologia deve-se agregar ao equipamento para garantir isso?

A Caterpillar desenvolveu uma nova linha de escavadeiras para atender as necessidades individuais de cada cliente, pensando sempre em um rápido retorno sobre o investimento. A companhia recentemente anunciou a nova 320D2 GC, que segundo o especialista da companhia, Mauricio Briones, “será o modelo favorito da maioria dos clientes em função das vantagens e dos benefícios que oferece”.

O conceito de máquina GC nasceu de um estudo de satisfação dos clientes, que concluiu que eles procuram preço mais atrativo, baixo consumo de combustível, alta disponibilidade mecânica e confiabilidade na operação. Segundo Briones, a 320D2 GC oferece tudo isso, graças ao fato de estar equipada com o motor C4.4, com sistema eletrônico de injeção que permite um consumo médio de 13 a 15 litros por hora. “Para isso, o sistema de injeção foi totalmente projetado e desenvolvido para o combustível de baixa qualidade disponível na América Latina”, agrega.

Pensando em inovação e sendo cuidadosamente estratégica, a JCB acaba de lançar no Brasil uma série de tecnologias aplicadas às suas escavadeiras. A marca que está incorporando seus novos motores JCB Dieselmax de 85 HP (aspirado) e 92 HP (turbo), que entregam alto torque e baixa rotação, garantindo que o equipamento chegue a sua máxima força com um baixo consumo de combustível.

Outra característica da marca é o Livelink, uma ferramenta de monitoramento remoto, que permite a gestão da operação e o controle das manutenções preventivas, o que aumenta a eficiência da máquina ao diminuir as paradas desnecessárias.

Enquanto isso, a chinesa Sany anunciou recentemente uma novidade em suas escavadeiras, o novo motor Isuzu, com bombas de saída de combustível variáveis, com capacidade mínima de 242 litros por minuto e um sistema inteligente com diagnóstico de falhas.

Os equipamentos da marca a partir de agora estarão munidos de um sistema avançado de fluxo hidráulico positivo, o que, segundo a empresa, oferece mais eficiência na operação, agilidade, estabilidade e menores custos de manutenção, o que se converte em maior retorno do investimento.

Gradall prova sua tradição

A Gradall Industries, Inc. produziu em junho sua máquina de número 20 mil, uma Discovery Series D154, equipamento que foi especialmente pintado de branco e azul para a campanha “I Make America”, organizada pela Associação dos Fabricantes de Equipamentos (AEM, por sua sigla em inglês).

As máquinas da companhia, que contam com um chassi de caminhão, foram criadas no período de recessão em 1946 como uma solução econômica para os governos que necessitavam máquinas multiuso e de baixo custo para reparações viárias.

Liebherr aposta na renovação de equipamentos

A Liebherr apresentou durante a feria Bauma 2016, em Munique, na Alemanha, uma nova série de escavadeiras sobre esteiras, cujos motores a diesel cumprem as diretrizes de emissões Stage IIIA e Tier 3.

Com estreia mundial, o equipamento destacado foi a R 922, de 22 toneladas, que possui uma lança monobloca de 5,7 m e um braço de 2,9 m. Seu carro inferior LC tem uma largura de 2.300 mm. Equipada com um motor de 110 kW / 150 HP de potência, a escavadeira foi desenvolvida especialmente para trabalhar em aplicações de movimento de terra, como canalizações.

O lançamento da R 922 vem acompanhado de uma renovação de todos os modelos de escavadeiras sobre esteiras entre 20 t e 25 t, além do próximo lançamento dos modelos R 920 e R 924.

Economia comprovada

É durante a operação que se prova quando realmente a máquina pode entregar em termos de rendimento e economia.

No final de 2015 a empreiteira brasileira Hidropav adquiriu uma escavadeira Link-Belt 210X2, que esteve operando nas obras da ponte Itapaiúna, em São Paulo, como parte do Complexo Chucri Zaidan, que contempla a construção de um novo sistema viário na capital paulista.

Segundo Sinésio de Freitas Ferreira, presidente da companhia, a máquina gerou uma economia de até 18% em termos de consumo de combustível.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
A evolução do manipulador telescópico da Skyjack
Skyjack produz uma linha completa de telehandlers com sete modelos
Eletrificação das máquinas de acesso está superando o ímpeto regulatório
Impulso em direção às máquinas de construção elétrica começou com a regulamentação governamental
Dados que impulsionam as máquinas
Como os fluxos de dados de monitoramento podem reduzir custos e emissões de carbono e talvez um dia permitir que as máquinas funcionem por conta própria
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL