Túnel Santos Guarujá atrai 18 empresas

By Fausto Oliveira17 March 2014

Santos Guarujá tunnel

Santos Guarujá tunnel

Dezoito empresas separadas em cinco consórcios estão na disputa pela obra do túnel submarino Santos Guarujá. A licitação do túnel que vai conectar as duas cidades do litoral paulista está em fase de pré-qualificação. O valor do contrato é de pouco mais de US$ 766 milhões, o maior da história da companhia estadual Dersa.

Odebrecht, Queiroz Galvao e OAS estão juntas à holandesa Strukton Civiel Projetcen.

Camargo Corrêa, a también brasileira Christiani-Nielsen Engenharia e a espanhola Ferrovial compõem o outro consórcio.

Andrade Gutierrez e CR Almeida se uniram à coerana Daewoo Engineering & Construtcion e à espanhla OHL.

Constran e Mendes Júnior se associaram às italianas Salini Impregilo e Grandi Lavori Fincosit, consórcio também está a holandesa Mammoet Maritime.

Finalmente, Construcap e Encalso se uniram à española FCC para disputar a obra do túnel.

A mandante do projeto, a Dersa, receberá de cada consórcio propostas técnicas e certificados econômicos que comprovem sua capacidade financeira de se responsabilizar pelo projeto. O túnel Santos Guarujá terá financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento, razão pela qual a licitação seguirá as regras da instituição.

Entre as especificações técnicas do projeto, estão uma extensão de 1700 metros de túnel entre as duas cidades e 21 metros de profundidade no ponto mais profundo. Vizinhas, Santos e Guarujá são separadas por um canal de pouca distância, mas hoje quem vai de uma a outra de carro precisa percorrer 43 quilômetros.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Um ponto fora da curva…
O Brasil, na contramão de muitos países que se viram seriamente afetados pela crise sanitária mundial, se estabelece dia após dia como potência econômica no que tange a indústria e tal propensão se fortalece com o número de obras que se difundem por todo território nacional.
Energia do futuro
Como grupos geradores e sistemas de armazenamento baseados em bateria podem substituir a energia a diesel.
Construção centro-americana
A pandemia e economias fortemente dependentes tornam a recuperação desta região mais complexa.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL