Solução permite usar CO2 capturado para produzir concreto

By Fausto Oliveira21 March 2018

Planta de cimento da Argos teve emissões mineralizadas e usadas na produção de concreto.

carbon cure argos1

Funcionários da Argos que trabalharam no projeto.

Sob a liderança da empresa canadense CarbonCure, especializada em soluções ambientais para emissões de dióxido de carbono, um grupo de outras quatro empresas se uniu para realizar um feito histórico na indústria global: a captura bem-sucedida de Co2 de um forno cimenteiro da Cementos Argos, no Alabama, EUA, e sua posterior utilização na produção de concreto em uma central, também da Argos, em outro lugar dos EUA.

A solução apresentada pelo grupo de empresas representa a primeira a conectar todos os pontos da cadeia de produção do setor de cimento e concreto. Basicamente, montou-se um sistema de recolhimento do dióxido de carbono emitido pela planta cimenteira de Roberta, no Alabama, que foi congelado por método de criogenia e, uma vez transportado a Atlanta, a concreteira da Argos em Glenwood o utilizou na produção de concreto.

O concreto feito com os restos de CO2 do forno de cimento já foi utilizado com sucesso num projeto de construção local em Atlanta.

A Cementos Argos participou nas duas pontas do sistema, gerando as emissões que foram capituradas, e no final com a utilização do CO2 em sua central de produção de concreto. A Sustaimable Energy Solutions (SES) foi a responsável pelo sistema de captura do carvão por criogenia, a Praxair foi a responsável pelo transporte do material, e a própria CarbonCure instalou em Atlanta um sistema de utilização do gás para produzir concreto, fechando o ciclo.

calera plant argos 2

A fábrica de Roberta, nos EUA.

A CarbonCure tem tecnologias próprias que permitem uma mineralização do dióxido de carbono emitido por indústrias, permitindo sua utilização através de métodos também desenvolvidos pela empresa. Segundo a companhia, cerca de 100 empresas fornecedoras de concreto já utilizam algumas de suas tecnologias para dar sustentabilidade ao processo de produção do concreto.

Agora, espera-se que este novo desenvolvimento que abarca todos os pontos da cadeia aumente a capacidade da indústria de reduzir dramaticamente suas emissões. De acordo com a empresa desenvolvedora do sistema, estima-se que as oportunidades geradas só na indústria de concreto através da utilização de CO2 tenham um valor potencial de US$ 400 bilhões.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Um ponto fora da curva…
O Brasil, na contramão de muitos países que se viram seriamente afetados pela crise sanitária mundial, se estabelece dia após dia como potência econômica no que tange a indústria e tal propensão se fortalece com o número de obras que se difundem por todo território nacional.
Energia do futuro
Como grupos geradores e sistemas de armazenamento baseados em bateria podem substituir a energia a diesel.
Construção centro-americana
A pandemia e economias fortemente dependentes tornam a recuperação desta região mais complexa.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL