Resultados do Grupo Manitou de 2023 batem recorde

América Latina acompanhou os bons resultados do grupo, com crescimento de 35% em relação a 2022

No Brasil, o crescimento em 2023 foi de 38% e de 35% em toda LATAM. “O grande destaque foi a nomeação de novos distribuidores e o lançamento da marca GEHL em todos os países da América Latina”, afirma Marcelo Bracco, diretor geral da Manitou para a América Latina.

Foto: Manitou

Michel Denis, Presidente e CEO, declarou: “2023 foi um ano de maior desenvolvimento comercial e forte crescimento da lucratividade. O baixo desempenho de 2022 foi completamente apagado. O Grupo apresenta seu recorde histórico de receita e seu nível mais alto de lucro operacional recorrente em 15 anos. O desenvolvimento de nossa lucratividade em 2023 é o resultado de um trabalho substantivo iniciado no começo de 2022 para reagir à explosão da inflação após a eclosão da guerra na Ucrânia. Os aumentos nos preços de venda compensaram gradualmente a inflação nas matérias-primas e despesas, e as tensões na cadeia de suprimentos encontradas desde a pandemia da Covid diminuíram, dando lugar a melhorias na eficiência industrial.

A melhoria desses parâmetros e a deflação antecipada de nossa carteira de pedidos nos levaram a retornar aos modos de operação que conhecíamos antes do pico de inflação de 2022, como prazos de entrega próximos de nossas metas, bem como os prazos de entrega próximos de nossas metas.

Quer ver mais sobre construção?
Inscrever-se para
Informe Construção

Para 2024, prevemos receitas estáveis em comparação com 2023. A desaceleração dos mercados europeus, especialmente no setor de construção, deve ser compensada pelo dinamismo do mercado norte-americano. Essa polarização dos mercados afetará nossos locais de produção de diferentes maneiras, com alguns permanecendo com taxas de produção recordes e outros desacelerando em comparação com 2023.

Essa perspectiva nos leva a esperar que o lucro operacional recorrente para 2024 seja superior a 6,5% das vendas.”

Análise dos negócios por divisão

A divisão de Produtos registrou receitas de 2.472 milhões de euros, um aumento de 25% em 2022 (+27% em escopo e taxas de câmbio constantes). A divisão se beneficiou da política de aumentos nos preços de venda implementada desde 2022 para enfrentar a inflação nos preços das matérias-primas, de taxas de produção mais altas e de melhorias constantes na fluidez da cadeia de suprimentos.

A margem da divisão sobre o custo das vendas foi de € 377,8 milhões, um aumento de 85% em comparação com 2022. Essa variação é explicada pelo aumento da atividade e por uma taxa de margem que melhorou em 4,9 pontos, graças à política de preços implementada para compensar o aumento dos preços das matérias-primas, que deteriorou fortemente as margens da divisão em 2022. Os custos de P&D aumentaram em 5,1 milhões de euros, afetados pela inflação, mas também por um aumento nos recursos para continuar a implantação de programas de inovação, em particular o desenvolvimento de linhas elétricas, a fim de atingir os objetivos da trajetória de baixo carbono do Grupo. Os custos de estrutura também aumentaram em 20,1% (+25,5 milhões de euros). Esse aumento foi relativamente mais lento do que o aumento das vendas e é explicado pelo aumento dos preços e dos recursos para apoiar o crescimento e a estruturação da divisão.

Como resultado, o lucro operacional recorrente da divisão de Produtos está aumentando em 139,9 milhões de euros (+320%) para 183,6 milhões de euros (7,4% das vendas), em comparação com 43,7 milhões de euros em 2022 (2,2% das vendas).

A divisão de Serviços e Soluções registrou um crescimento de receita de 2% no ano (+3% em escopo e taxas de câmbio constantes). A divisão foi impulsionada por sua atividade de peças de reposição, com uma melhora gradual na cadeia de suprimentos. A margem sobre custo de vendas aumentou em € 1,7 milhão (+1,6%) para € 109,9 milhões. Essa mudança é atribuída principalmente ao aumento das vendas. A taxa de margem durante o período foi praticamente estável, graças a uma política de preços que limitou o impacto da inflação. As despesas administrativas, comerciais, de marketing e de serviços aumentaram 22,4% (+15,0 milhões de euros) em um ambiente inflacionário. A divisão fortaleceu suas equipes de pós-venda, a capacidade de suas plataformas de logística e continuou a reforçar suas ofertas de serviços.

Como resultado, a lucratividade da divisão foi de 28,0 milhões de euros (7,0% das vendas), uma queda de 13,0 milhões de euros em comparação com 2022 (41,0 milhões de euros, ou 10,5% das vendas).

BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristiá[email protected]
Simon Kelly Gerente de vendas Tel: 44 (0) 1892 786223 E-mail: [email protected]
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL