Queda de ponte vai atrasar projeto em dois anos

By Construção Latino-Americana19 January 2018

Ponte em construção caiu na Colômbia esta semana. 

El pilar que sostiene el puente se derrumbó.

Enquanto as autoridades e técnicos avaliam as causas que teriam provocado a queda de uma parte da ponte Chirajara, em construção na Colômbia, as obras no corredor viário entre Villavicencio e Bogotá continuarão. O ministro dos Transportes, Germán Cardona, disse ao jornal local Portafolio que o dinheiro para a reconstrução está assegurado, e que “a empresa concessionária (Coviandes) tem todas as apólices de seguro e garantias para assumir o custo da ponte, incluindo o apoio às famílias”.

Mas, obviamente, o acidente vai atrasar, em ao menos dois anos, a chegada da rodovia a seu destino final em Llano. Entre idas e vindas, esta é uma obra que já tem 24 anos em execução, e além da estrutura que caiu, há outras 44 pontes no projeto. Ao todo, a rodovia conta com 30 quilômetros de pista dupla e 18 túneis, além das pontes já mencionadas.

Segundo Juan Martín Caicedo Ferrer, presidente da Câmara Colombiana de Infraestrutura (CCI), grande parte da rodovia vai ser entregue antes de meados deste ano. O colapso de uma parte da ponte impedirá a entrega total, o que segundo ele significa gastar mais um ano em estudos e um ano em obras na ponte que caiu.

O presidente da entidade afirmou que a ponte seria construída para criar uma alternativa reta a um caminho já existente, pero muito mais longo, entre os dois pontos. Assim, o uso da rodovia existente deverá seguir sem afetação aos usuários.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Por que é essencial digitalizar o setor da construção mexicana?
Coluna de Luis Herrera, chefe de vendas para a América Latina e Espanha, Procore
A magnitude e fomento do conceito ESG e da sustentabilidade
O que antes era tendência, agora é realidade. Considerando os indicadores dos três pilares (meio ambiente, social e governança corporativa), e a inerente preocupação - devida – das empresas, não há como negar que estratégias ESG trazem diversos benefícios para a percepção de valor, real, das companhias.
Compactação: declives suaves
Características excepcionais para um embalador de rolos seguro e eficiente
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL