Por um sólido concreto

By Fausto Oliveira01 August 2017

Porque o uso de bons vibradores internos muda a qualidade do concreto vertido. 

Oztec

Os vibradores Oztec têm a cabeça RubberHead, patenteada, que protege os vergalhões de aço na consolidação.

Trata-se de um momento muito delicado de qualquer operação de concretagem. Mesmo que seja uma laje simples de pouco requisito estrutural, a existência de bolhas e vazios no concreto depois que endurece sempre será um fator de redução de sua resistência.

A situação é mais relevante e preocupante se falamos de uma rodovia de tráfego pesado, ou de estacas que sustentam uma edificação. Nestes casos, quando a mistura de concreto segue requisitos de projeto muito definidos quanto à sua resistência à compressão (FCK), a existência de vazios após o endurecimento pode trazer consequências desastrosas. O concreto em questão não apresentará o FCK requerido, apresentará fissuras e rompimentos em pouco tempo de uso e demandará uma cara manutenção em menos tempo do que o previsto no projeto.

Daí a importância da consolidação, o processo mediante o qual se introduzem os vibradores de concreto fresco para que, movendo-o internamente, se provoque o estouro das bolhas de ar (muitas vezes produzidas pela evaporação da água que não chegou a se misturar ao cimento).

Um processo que pode ser de simples realização, mas que por sua importância não pode ser ignorado, ainda mais sabendo-se que a cura do concreto lançado não é o hábito mais comum em muitos canteiros de obra dos países latino-americanos.

Com a vibração interna, se reduz a evaporação da água não misturada, que é a raiz do problema. A resistência pode aumentar entre 3% e 5% por cada ponto porcentual de ar removido. Conscientes disso, uma variedade enorme de fabricantes de equipamentos leves de construção e ferramentas gerais aposta na provisão de vibradores interno para complementar sua oferta. Aqui reunimos algumas das últimas novidades.

Inovações

A fabricante norte-americana Wyco, um dos principais nomes na indústria da vibração interna, aposta na oferta de seus vibradores com uma cabeça de contornos retos, ao contrário do formato mais comum, que é a forma cilíndrica.

A Wyco Square Head equipa os vibradores internos da marca, e com ela a empresa afirma que a consolidação pode ocorrer 50% mais rápido nos primeiros segundos dentro do concreto fresco. Isso se deve, de acordo com a empresa, principalmente em concretos de mais consistência.

A explicação para isso é que quanto mais consistente seja a mistura, mais provável é que uma forma cilíndrica deixe por trás de si um vazio quando gire, podendo chegar a criar um buraco na mistura, e ficar girando dentro dele, em vez de ajudar a mistura a se livrar das bolhas. A forma poligonal da Wyco Square Head reduz este efeito ao projetar o movimento contrário de concreto para o lado da cabeça, não para trás.

Outro fabricante que aposta tudo na cabeça dos vibradores que produz é a Oztec, também dos Estados Unidos. A empresa patenteou um sistema chamado de RubberHead, que consiste em uma cobertura de borracha de forma poligonal sobre a cabeça do vibrador. As vantagens deste sistema têm a ver principalmente com a proteção dos vergalhões de aço. Estando coberta com borracha, a cabeça protege o aço e por consequência evita o dano de seus possíveis golpes contra os vergalhões.

Por sua vez, a marca sueca Atlas Copco tem em seu vasto portfólio uma interessante oferta de vibradores pneumáticos. Em lugar de utilizar uma fonte de energia elétrica, usa compressores de ar. Devido a sua especialidade em compressão de ar, seu sistema de vibração interna pneumática se beneficia tecnologicamente. Sua proposta para esta forma de trabalhar é pôr vários vibradores trabalhando simultaneamente em um só compressor. Uma solução que prevê mais produtividade e agilidade na consolidação.

Da Espanha, outra empresa totalmente especializada na vibração interna oferece um portfólio completo destes equipamentos. Trata-se da ENAR, que produz vibradores elétricos, a gasolina, pneumáticos, pistolas (agulhas de vibração com motor interno), motores e conversores elétricos e eletrônicos que servem como unidades de potência e estabilização para vibradores de sua própria manufatura e de outras empresas.

Entre seus vários produtos, um interessante sistema de conversão eletrônica portátil chamado Spyder Pro é capaz de operar uma vibração interna elétrica assegurando uma melhor estabilidade de amplitude e força da órbita de movimento. Conectando a rede elétrica à mangueira que sustenta a cabeça, o Spyder Pro mantém seu sistema dentro de uma caixa hermética à prova de imersão. Também oferece proteção extra contra poeira e água. Sua característica principal é seu conversor superdimensionado, que neutraliza os efeitos de variações de tensão provenientes da rede elétrica ou geradores.

A Wacker Neuson, tradicional fabricante alemão de uma grande variedade de equipamentos e ferramentas leves, é outro provedor que se preocupa em disputar espaço no mercado de vibração interna de concreto lançado. Oferece ao mercado duas linhas do equipamento. A linha HMS, que é de vibradores modulares, e a linha IRFU, de alta frequência com conversor integrado.

A primeira tem o clássico formato de uma unidade de potência que se acopla à mangueira com a cabeça, a diferença é que as combinações de seus módulos podem ser muitas: há dois motores Wacker e um Honda (a gasolina e não portátil) para esta linha, e um total de 14 modelos de eixo flexível e 12 de cabeças, compatíveis com estes motores. Desta maneira, a linha HMS oferece uma versatilidade que cobre praticamente todos os requisitos de consolidação.

A linha IRFU oferece mobilidade e facilidade de operação. Sem maiores problemas, a ideia aqui é a de um produto pronto para uso, bastando apenas conectá-lo à rede elétrica. É o tipo de equipamento para pequenas obras residenciais onde não faz sentido investir em mais do que um bom grupo de pedreiros. Estes vibradores são divididos em 11 modelos, todos com seu conversor de tensão integrado.

Outro fabricante de máquinas para concreto que tem vibradores em sua oferta é a alemã Weber MT, que tem sua unidade de produção no Brasil para atender a América Latina já há 20 anos.

A marca oferece duas opções de motor, VA 25 e VA 38, que são diferentes pelo diâmetro da mangueira com que trabalham (25mm e 38mm). Separadamente, como forma de permitir compatibilidade com seus modelos e motor e outros, a Weber MT oferece quatro modelos de mangueira com cabeça para imersão, que podem funcionar em unidades de potência movidas a eletricidade, gasolina ou diesel. E tem também seu modelo único de vibrador pneumático, que se acopla a compressores externos e podem vir com mangueiras de até 10 metros.

A norte-americana Minnich Manufacturing recentemente apresentou seus novos vibradores de concreto do tipo mochila. Com modelos de 35cc e 50cc, os equipamentos estão projetados para maximizar a comodidade do operador, a mobilidade e a produtividade durante a consolidação do concreto.

Cada modelo está equipado com motor Honda de 4 tempos. Por sua vez, a versão 35cc tem um carburador de diafragma para o funcionamento em qualquer posição, sem bloqueio.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
As 50 maiores construtoras da América Latina - versão 2021
Esta lista apresenta uma queda de 15,2% na receita de 2020 em relação ao CLA50 do ano passado.
Grupo Burger: impulsionando o crescimento
Stacy Burger comenta sobre o crescimento do Grupo Burger e os desafios futuros.
Locar: Solidez e boa gestão
Amilcar Spinetti Filho conversou com a CLA sobre a estabilização do mercado e crescimento futuro.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL