Pleno bombeamento

By Cristián Peters05 July 2017

Fabricantes de bombas continuam avaliando aperfeiçoamentos adicionais na busca de melhorar sua oferta.

É um setor que está preparado para a locação, inclusive em uma região onde este mercado ainda está em etapa de amadurecimento. Com isto em mente, os fabricantes de bombas continuam avaliando aperfeiçoamentos adicionais na busca de melhorar sua oferta, colocando a serviço de seus clientes não apenas manutenções mais simples e períodos entre revisões mais prolongados, mas também interessantes tecnologias que se traduzem em acionamentos e supervisão remotos, maior capacidade de produção e menor consumo de combustível. 

Sólidos sob controle 

“Nossa linha de bombas submersíveis é muito variada”, afirma Alexis González, gerente regional para América do Sul da Gorman Rupp. Para aplicações de construção, a empresa conta com suas conhecidas motobombas, que podem ser a diesel ou gasolina, e dentre elas basicamente há três variantes: autoignição, ignição assistida e submersíveis. “Falando especificamente de seu uso no mercado de construção, temos a linha de bombas submersíveis com motores elétricos e uma exclusiva linha destas com motor hidráulico, que maneja sólidos grandes, especial para aquelas aplicações onde necessitamos portabilidade e manobrabilidade, e também com a capacidade de trabalho em seco”, agrega. 

A linha de equipamentos mais recente da empresa norte-americana é a bomba de ignição assistida PAH, ou Prime Air Plus, uma bomba centrífuga com capacidade de manejo de sólidos de até 4” de diâmetro esférico, capacidade de trabalho em seco e manejo de caudais de até 950 lps. “É uma série de bombas muito robusta, amplamente usada em construção e mineração por sua versatilidade e resistência ao uso e abuso no terreno de trabalho. É uma bomba que liga sozinha e tem capacidade enorme de manejo de ar, tornando o tempo de ligar muito curto e permitindo trabalhar em limpeza de fossas, lagoas e tanques, assim como by-pass de tubulações, entre outras aplicações”, diz González. 

O executivo comenta que “nossa estratégia de vendas está baseada na distribuição, para poder atender nossos clientes ali onde eles estão, mantendo nos canteiros um estoque de peças, e uma especial ênfase na capacitação contínua, além de dispor de jornadas periódicas de treinamento em nossas sedes”. 

González comenta também que o mercado de locação está em crescimento para a Gorman Rupp na América Latina, mas adverte que “na nossa região muitas vezes os clientes que constroem adotam as bombas como parte essencial de sua operação, e ter um equipamento confiável e de baixa manutenção lhes permite tomar conta destes aspectos sem precisar de um departamento exclusivo para as bombas, amortizando o investimento em pouco tempo e mantendo o bem de capital, por isso a decisão inicial do quê comprar ou locar vira prioritária, porque muitas vezes podemos estar incorporando problemas alheios ao nosso núcleo de produção econômica”. 

Presença local 

A Xylem é a única empresa de tecnologia de água com presença em toda a América Latina, tendo recentemente ampliado suas capacidades de locação e serviço de bombas de desaguadouro com a abertura de três novos centros, que vieram a se somar aos seis centros de locação de bombas de desaguadouro que a companhia já tinha aberto na região nos últimos anos. “Atualmente, contamos com escritórios no México, Panamá, Colômbia, Peru, Chile, Argentina e Brasil, além de um escritório em Miami que atende a América Central, Caribe, Venezuela e Equador”, diz Jorge Arria, gerente de desenvolvimento de negócios para a divisão de dewatering da Xylem na América Latina. 

A Xylem tem uma forte presença no mercado de construção, através de sua ampla frota de locação e venda de bombas que inclui, segundo especifica Arria, uma ampla gama de tecnologias e soluções. “Especificamente, vemos uma forte demanda por nossas bombas Godwin Dri-Prime, recomendadas para aplicações onde a eletricidade não esteja disponível, assim como bombas hidráulicas Godwin e bombas elétricas submersíveis Flygt”, afirma. 

Recentemente, a empresa lançou seu equipamento Flygt 2190 HT com um Ponto de Melhor Eficiência (Best Efficiency Point – BEP) de 33 litros por segundo a 44 metros de cabeça. Além disso, “o Flygt já está disponível em aço inoxidável em versões MT e HT, o que torna estas bombas mais duradouras em ambientes ácidos”, explica. 

Suporte 

A Thompron Pump tem longa trajetória no mercado latino-americano e hoje conta com distribuição em ao menos seis países da região, e de acordo com Bobby Zitzka, gerente de vendas nacionais para a Thompson Pump & Manufacturing, a empresa designou um gerente reginal para prestar apoio e identificar novas oportunidades. 

Para a Thompson Pump o mercado de locação da América Latina representa uma grande oportunidade. “Nossos equipamentos são muito especializados e nem sempre as empreiteiras os necessitam para cada trabalho que realizam. Por isso mesmo, eles querem ter a segurança de que mesmo que deixem de usá-los por um período a máquina vai continuar funcionando, evitando paradas. Com as bombas, é importante compreender todos os fatores que podem influir no rendimento. As empreiteiras querem recorrer a um especialista, em razão disso os nossos sócios de locação estão ampliando suas frotas para dar atendimento a estas necessidades”, afirma Zitzka. 

As bombas de água continuam muito populares na América Latina e oferecem uma opção econômica para mover água nos canteiros de obra. “Também estamos vendo mais e mais clientes que demandam bombas de secagem que por sua confiabilidade lhes permite reutilizar com pouca manutenção. Isto é especialmente útil quando se bombeiam as águas residuais ou quando se necessita desviar um fluxo constante de água. Além disso, as bombas assistidas por vácuo e as bombas rotatórias estão sendo utilizadas à medida que mais empreiteiras se convencem da economia de tempo e outros benefícios que se alcançam ao desaguar um poço”, diz. 

Além de proporcionar bombas robustas para a construção cotidiana, a Thompson oferece equipamentos de alta qualidade e com frequência muito especializados. “Recentemente desenvolvemos bombas rotatórias com excelente capacidade de manejo de ar, ideal para a desidratação temporária em canteiros de obra. Em áreas completamente diferentes como a mineração, tivemos que bombear materiais muito cáusticos a grandes alturas e longas distâncias, pelo que a solução pedia, em seu extremo, bombas CD4MCu, impulsionadas por motores capazes de produzir mais de 300 cavalos de força”, afirma Zitzka. 

Em silêncio 

Para a BBA Pumps, os grandes avanços de eus equipamentos, segundo o gerente de produto e marketing Henno Schothorst, vão no sentido do desenvolvimento de bombas móveis, que estão equipadas com carcaças cada vez mais silenciosas e com um impacto ambiental mínimo. Isto se deve em parte à legislação europeia, que em matéria de emissões é cada vez mais estrita, e segundo a qual as máquinas a diesel vão passar ao nível 5 de emissões a partir de 2019.

Mas a companhia está consciente de que os mercados fora da Europa também terão que se adaptar às novas regulações. Aqueles países em que as soluções ambientalmente sustentáveis tinham menos prioridades também começarão a submeter-se a requisitos mais estritos de emissões nos próximos anos. 

Schothorst comenta que os equipamentos mais demandados para os trabalhos de construção são as bombas de desaguamento PT150 Wellpoint, e para o desaguamento de águas residuais a BA150E. 

A BBA Pump tem alguns distribuidores na América Latina, enquanto que para o resto dos países da região a empresa atende diretamente, segundo Henno Schothorst, o gerente de produto e marketing da empresa. 

Aquisição 

A fabricante sueca de maquinário Atlas Copco anunciou a aquisição da empresa de locação de bombas brasileira Itubombas. 

A Itubombas é baseada no município paulista de Itu. A empresa loca bombas centrífugas elétricas e a diesel, e entre seus principais clientes estão empresas dos setores de petróleo e gás, construção e mineração no país. 

A empresa brasileira tem cerca de 40 pessoas trabalhando, e obteve receitas de cerca de R$ 18

milhões em 2016. A partir de agora, ela será parte da divisão de rental da área de construction technique da Atlas Copco. 

A Atlas Copco atualmente conta com centros de negócios na Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Peru e Venezuela. Naqueles países onde a empresa não opera diretamente, o faz através de distribuidores. 

Em sua linha de bombas submersíveis, a Atlas Copco destaca o lançamento dos modelos WEDA +, os quais, segundo a empresa, apresentam maiores níveis de eficiência e menores dimensões que os modelos de características similares. 

Tecnologia e controle 

Em termos de tecnologia e controle dos equipamentos, Henno Schothorst da BBA Pumps destaca o painel de controle LC30 para as bombas diesel de controle automático produzidas pela empresa, que dentre suas funções contém um controle automático de liga/desliga por meio de flutuadores. O LC30 tem uma tela de interface de LCD. 

Por sua vez, a Thompson Pumps acaba de lançar o novo painel de controle RECON2000T, que permite controlar e monitorar a bomba remotamente e reduz o tempo e a mão de obra necessários no lugar. O painel permite operar a bomba, registrar dados, variar a velocidade e supervisionar o rendimento a partir de um telefone inteligente, portátil, computador de escritório ou qualquer outro dispositivo com acesso à internet. Se há um problema com o equipamento ou o motor, o RECON2000T pode inclusive ser configurado para notificar tal situação ao operador em seu dispositivo ativado pela internet. 

“A América Latina mostrou muito interesse em nossos produtos, especialmente em aplicações mineradoras, onde nem sempre é fácil chegar a áreas remotas onde se usam as bombas. Também é bom desde a perspectiva de um gerente de locação devido às capacidades incorporadas de geolocalização e outras eficiências trazidas por uma locadora”, assegura Bobby Zitzka, da Thompson Pump. 

Em se tratando de monitoramento remoto, Jorge Arria, da Xylem destaca a Godwin Field Smart Technology (FTS), um sistema de monitoramento e controle remoto que provê às empreiteiras que trabalham em localidades remotas com dados de operação de bomba cruciais que podem reduzir ou eliminar significativamente a necessidade de pessoal de monitoramento manual. Os clientes podem monitorar e controlar o funcionamento de uma bomba localizada em qualquer parte do mundo, entregando visibilidade em tempo real de parâmetros críticos de desempenho e proporcionando a tranquilidade desejada.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Dicas para maior eficiência de equipamentos
Quatro dicas testadas ao longo do tempo para aumentar o tempo de atividade
AMMANN: Soluções competitivas e integradas
Com uma linhagem familiar de sucesso, a Ammann se destaca no cenário internacional desde 1869. Hans-Christian Schneider, atual CEO da Ammann, é a sexta geração a administrar a empresa que mantém sua curva de crescimento e notoriedade.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Matt Burk Gerente de vendasr Tel: +1 312 496 3314 E-mail: matt.burk@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL