Pensando grande

By Cristián Peters01 June 2011

Equipamientos compactos

Equipamientos compactos

Este ano serão vendidos 110 mil mini escavadeiras nos maiores mercados internacionais, 14.500 unidades a mais que as vendidas em 2010. Desse total, espera-se que cerca de 37% (ao redor de 41 mil unidades) sejam solicitadas somente pelo mercado chinês.

Também está previsto um aumento nas vendas de mini carregadeiras na China, Europa Oriental, América do Norte, Japão e Índia, com uma projeção para este ano de cerca de 36 mil unidades, a maior parte delas (29.500 - ao redor de 82%) serão vendidas no mercado norte-americano, conforme previsões.

A enxurrada de novas máquinas lançadas nos últimos seis meses é prova da popularidade dos equipamentos compactos de construção. Mais de 70 novos modelos de carregadeiras e escavadeiras compactas se apresentam neste informe, todos eles incorporados ao mercado no último semestre com o objetivo de oferecer mais opções de tamanho, assim como uma maior produtividade, eficiência e rendimento geral.

A Caterpillar, por exemplo, lançou uma nova série D de mini escavadeiras hidráulicas, que se destacam por ser mais versáteis e potentes que suas predecessoras da série C. As novas 303.5D CR, 304D CR, 305D CR e 305.5D CR levam o nome do próprio peso operacional, que vai de 3,5 toneladas a 5,5 toneladas.

Los modelos 303.5D CR e 304D CR são máquinas de giro zero, que mantém o rádio da parte superior do corpo dentro da largura das pistas, enquanto os modelos 305D CR e CR 305.5D são máquinas de raio compacto que limitam o swing da parte superior do corpo a 5,5 polegadas (140mm) ou menos.

A maior máquina dos novos modelos, a 305.5D CR, pode cavar até 3,9 m quando está equipada com um braço longo e até 3,5 m com um braço standard, enquanto a lança independente da rotação, em todos os modelos, permite uma escavação junto a paredes e obstáculos.

A companhia também ampliou a linha de mini escavadeiras de menos de três toneladas com três novos equipamentos construídos por Wacker Neuson na fábrica de Linz, na Áustria, sob as especificações da Caterpillar.

A nova linha de modelos inclui a menor escavadeira que a empresa produziu, a 300.9D de 0,9 toneladas. Impulsada por um motor de 13,7 kW e com uma largura total de apenas 730mm (28,7 polegadas), a máquina é capaz de passar através de uma porta standard, proporcionando um fácil acesso aos lugares fechados.

Além da 300.9D, a Caterpillar lançou ao mercado as novas escavadeiras de 1,5 e 2,7 toneladas, justamente para satisfazer a demanda de mais opções de tamanho no crescente mercado das mini escavadeiras.

"Sabemos que muitos clientes estão procurando mais opções deste tipo de tamanho e a aliança com Wacker Neuson dará maiores alternativas para ajudá-los a crescer em seus negócios", disse Mary Bell, vice-presidente de produtos de construção de Caterpillar, agregando que no final deste ano espera-se a chegada de novos modelos à linha.

Por sua vez, os fabricantes japoneses de mini escavadeiras também tem estado trabalhando neste desafio, com empreses como Komatsu, Kubota, Hitachi e Yanmar lançando novos modelos ao mercado.

A Komatsu apresentou em fevereiro a nova PC22MR-3, uma mini escavadeira que substituirá o modelo PC20MR-2. Com um peso operacional de 2,3 toneladas, o equipamento conta com um design de cauda curta para operar em pequenos espaços. O Sistema de Monitoramento Satelital da Komatsu é algo standard.

A Kubota, no entanto, colocou no mercado duas mini escavadeiras de classes 1 e 2, a KK016-4 e a KX019-4, máquinas que tem o objetivo de substituir os modelos KX36-3 e KX41-3S. Ambos os modelos tem larguras variáveis de pista e câmbios automáticos como padrão.

Hitachi, por sua vez, apresentou em março uma inovadora mini escavadeira elétrica na feira Samoter, Itália. Desenhada para aplicações de terraplanagem em lugares sensíveis ao ruído como interiores, zonas urbanas densamente povoadas ou operações durante a noite, a Volterra ZE22U, de 2,7 toneladas, somente produz ruído devido ao sistema hidráulico e não gera emissões.

O motor de 12 kW demora entre três e quatro horas em carregar e pode funcionar durante 6 horas antes de pedir para recarregar. Equipada com uma pá de 500 mm, pode cavar até 1,6m.

Yanmar também apresentou um modelo novo na própria feira Samoter, a Vi033 de 3,4 toneladas. O equipamento, que possui um motor Yanmar de 18,1 kW, pode cavar até 3 m e conta com um raio de giro traseiro de 765 mm.

Também nova para o mercado das mini escavadeiras é a E26da Bobcat, de 2,6 toneladas, um equipamento compacto com um giro traseiro de cauda mínimo que foi apresentada em março na ConExpo, nos Estados Unidos, e que estará no mercado em julho deste ano, substituindo os modelos 324 e 425.

O sistema hidráulico do equipamento oferece uma força de pá de 4.991 ft/lbs (6,8 kN) e pode cavar até 2,6 m com um braço standard ou 2,9 m usando a opção mais longa.

A Bobcat este ano também apresentou três novas carregadeiras compactas para a série 700 - a carregadeira sobre esteiras T770, a mini carregadeira S770 e a carregadeira sobre rodas A770. Segundo a companhia, os novos equipamentos oferecem maiores capacidades nominais de funcionamento e maior potência hidráulica e de motor, o que permite aos usuários trabalhar nas aplicações mais exigentes.

Os modelos S770 e T770 tem uma capacidade nominal de operação de 1,6 toneladas, enquanto o A770 conta com 1,5 toneladas.

Também a Hidromek se incorporou ao mercado dos compactos, com o lançamento do menor equipamento da família de retroescavadeiras, a 62SS. Com um peso de 3,6 toneladas e com um motor Kubota de 59 hp (44 kW), a máquina pode ser acoplada com martelos hidráulicos, furadeiras, ferramentas agrícolas e uma variedade de diferentes tamanhos de cubos.

O tamanho compacto da 62SS e sua capacidade de girar sobre o próprio eixo, fazem que este equipamento seja adequado para trabalhar em construções urbanas e aplicações agrícolas, onde com frequência o espaço é limitado.

Uma maior manobrabilidade é uma das características centrais de grande parte dos novos equipamentos compactos no mercado, mas os clientes também estão exigindo uma maior velocidade de deslocamento.

Nesse contexto, é que a John Deere trouxe uma nova opção de duas velocidades nas mini carregadeiras 318D e 320D.

A nova alternativa, que estará disponível ao final deste ano, aumenta a velocidade em 62%, desde 6,8 mph (11 km/h) até 11 mph (17,7 km/h). O desenho busca proporcionar uma segunda velocidade para uma variedade de trabalhos, incluindo estradas, pontes e trabalhos urbanos.

A Liugong também lançou, na ConExpo, uma mini carregadeira mais rápida, a 365ª. Com um motor Yanmar de 67,3 hp (502 kW), o novo equipamento pode chegar até uma velocidade de 7,6 mph (12,2 km/h).

O 365 tem uma carga nominal de 1.750 libras (796 kg) com um tempo de ciclo, segundo o fabricante, de apenas 8,7 segundos. A carregadeira está desenhada para realizar múltiplas tarefas, oferecendo 3000 psi (207 bar) de pressão hidráulica para acionar uma variedade de acessórios.

Outras incorporações ao mercado dos equipamentos compactos veio da mão da Case, que em fevereiro lançou uma nova família de mini carregadeiras e carregadeiras. A série Alpha da companhia exemplifica a tendência crescente dos fabricantes de oferecer modelos com elevação radial e vertical que permitam aos compradores eleger a melhor opção de acordo com seus objetivos.

Os braços de elevação radial oferecem maior força de pá e são mais adequados para trabalhos de nivelação e escavação, no entanto, os de elevação vertical são ideais para o manejo de materiais e a carga traseira, dado que o braço carregador se eleva de maneira reta, dando uma boa extensão da parte superior da trajetória de subida.

A Case também lançou seis mini carregadeiras sobre rodas de elevação radial (SR130, SR150, SR175, SR200, SR220 e SR250) e duas carregadeiras compactas sobre esteiras (TR270 e TR320). Também há quatro modelos de elevação vertical, as mini carregadeiras SV250, SV185 e SV300 e a carregadeira compacta sobre rodas TV380.

As capacidades de operação nominal variam de 590 kg na SR130 a 1,4 toneladas na SV300, enquanto as carregadeiras sobre esteiras contam com uma capacidade nominal de operação que vai de 1,2 a 1,7 toneladas.

"Nossa nova série Alpha de mini carregadeiras entrega uma força de arranque de pá, de até 8.585 libras. A SR175 tem mais do que o dobro da força de arranque do cubo que o atual modelo de maior venda neste tipo de tamanho", afirmou o gerente de marketing da Case, Curtis Goettel.

A nova série da Case coincidiu com o lançamento dos novos modelos compactos de sua empresa irmã, a New Holland. A nova série 200 da companhia inclui sete mini carregadeiras, cinco das quais são de elevação vertical, enquanto que as outras duas são de elevação radial.

As máquinas compactas de elevação radial, L213 e L215 contam com uma capacidade nominal de operação de 1.300 lbs (590 kg) e 1.500 (680 kg), respectivamente, com uma força de arranque de pá de 4.150 lbs (18,5 kN).

No entanto, os equipamentos de elevação vertical L218, L220, L223, L225 e L230, incorporam o desenho Super Boom da companhia, o que permite carregar material ao centro de um caminhão, enquanto o ângulo de derramamento de 53° permite ao operador esvaziar o cubo mais rápido, incrementando o ciclo e a produtividade.

A Terex também ampliou sua oferta de equipamentos compactos com a introdução de uma nova linha de mini carregadeiras, quatro de elevação radial (TSR50, TSR60, TSR70 y TSR80) e outras quatro de elevação vertical (TSV50, TSV60, TSV70 y TSV80).

Os modelos possuem motores desde 37,5 kW até 62,2 kW. A empresa tem se destacado com relação à altura dos equipamentos, 265 mm, e os ângulos posteriores de partida das máquinas, de 26° a 29°, dependendo do modelo.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Um ponto fora da curva…
O Brasil, na contramão de muitos países que se viram seriamente afetados pela crise sanitária mundial, se estabelece dia após dia como potência econômica no que tange a indústria e tal propensão se fortalece com o número de obras que se difundem por todo território nacional.
Energia do futuro
Como grupos geradores e sistemas de armazenamento baseados em bateria podem substituir a energia a diesel.
Construção centro-americana
A pandemia e economias fortemente dependentes tornam a recuperação desta região mais complexa.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL