Os combustíveis do futuro são neutros em CO₂

By Cristián Peters02 August 2022

Em muitos mercados, a eliminação do carvão como combustível está iminente, e os sistemas movidos a petróleo também estão cada vez mais sujeitos a regulamentações e restrições. Com tecnologias da Benninghoven, as entidades exploradoras podem se preparar para o futuro e assegurar a continuidade do funcionamento de suas usinas. Os queimadores mistos EVO JET, que podem usar combustíveis renováveis como Biomass to Liquid (BtL) e pó de madeira, contribuem para isso. Ambos apresentam um balanço de CO2 neutro.

Combustíveis neutros em CO2 ao invés de fósseis

Uso de combustibles renovables en la actualidad: Los quemadores EVO JET de Benninghoven también pueden quemar biomasa licuada o madera pulverizada. Uso atual de combustíveis renováveis: Os queimadores Benninghoven EVO JET também podem queimar biomassa liquefeita ou madeira pulverizada (Foto: Wirtgen).

Acordos climáticos e regulamentações mais rigorosas por parte de governos e autoridades em todo o mundo também estão apresentando à indústria do asfalto novos desafios para reduzir os gases de efeito estufa, como o CO2. Para as entidades exploradoras de usinas de asfalto, é importante reduzir as emissões e, assim, contribuir para assegurar a continuidade das operações. Quando se trata de misturar asfalto de uma forma mais sustentável e limpa, a simples conversão de petróleo ou carvão pulverizado para gás presta um contributo importante: o gás natural ou gás liquefeito reduz as emissões de CO2 em metade.

O balanço é ainda mais favorável para os combustíveis renováveis pó de madeira e biomassa liquefeita (Biomass to Liquid): eles apresentam um balanço neutro em CO2. Os combustíveis do futuro também são atrativos no que respeita à sua disponibilidade, uma vez que os combustíveis fósseis não só são finitos, como sua disponibilidade está se tornando cada vez menor. Isso torna ainda mais importante para as entidades exploradoras de usinas estarem equipadas com as tecnologias apropriadas para o uso de combustíveis alternativos e, assim, para o futuro.

Os queimadores a pó de madeira apresentam um balanço neutro em CO2

A madeira é uma matéria-prima renovável que pode ser gerida de forma sustentável e, portanto, enquanto combustível, apresenta um balanço neutro em CO2. Com o queimador a pó de madeira EVO JET, a Benninghoven implementou o pó de madeira como combustível em usinas de asfalto — e, mais uma vez, ampliou o portfólio de sua própria tecnologia de queimadores. Para as entidades exploradoras, o uso de queimadores a pó de madeira é uma forma sustentável de preparar suas usinas para o futuro.

Steven Mac Nelly, director de Investigación y Desarrollo de Benninghoven. Steven Mac Nelly, Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Benninghoven (Foo: Wirtgen)

Os engenheiros de desenvolvimento da Benninghoven determinaram o tamanho de partícula ideal para o pó de madeira, que é obtido predominantemente a partir de resíduos e desperdícios de madeira. A curva granulométrica ideal do combustível é importante para a geometria da chama do queimador — e, portanto, para a eficácia do aquecimento de mineral branco ou material reciclado. O queimador a pó de madeira EVO JET já está sendo usado de forma confiável por vários clientes da Benninghoven.

Queimadores a BtL para o uso de biomassa como alternativa sustentável

Um desenvolvimento significativo no mercado de energia é o uso de Biomass to Liquid (BtL), em português “biomassa liquefeita”. O BtL pode ser produzido a partir de resíduos vegetais como palha, madeira ou plantas energéticas, como milho e colza. A Benninghoven também oferece uma solução inovadora para o uso de biomassa como combustível: os queimadores a BtL EVO JET. Tal como o pó de madeira, a Biomass to Liquid também é considerada neutra em CO2. Os queimadores a BtL da Benninghoven — como todos os modelos EVO JET — também podem ser operados com outros combustíveis, tais como petróleo, carvão pulverizado e gás. Isso significa que os novos queimadores da Benninghoven facultam às entidades exploradoras a opção de continuar usando combustíveis fósseis, mas com a possibilidade de mudar para combustíveis renováveis em um futuro próximo — um investimento com o futuro em mente.

A Benninghoven desenvolve tecnologias com zero emissões

Desde cedo, a Benninghoven se manteve atenta aos desafios de médio e longo prazo enfrentados pela indústria do asfalto e se focou no desenvolvimento de soluções adequadas. “Nesse contexto, há uma pergunta que se destaca: O hidrogênio, cuja combustão exige zero emissões, é o combustível do futuro? No caso dos combustíveis, além da disponibilidade, a principal questão consiste na economia direta de energia. A curto prazo, com os queimadores a BtL e a pó de madeira (além do gás), oferecemos soluções que já permitem economizar grandes quantidades de CO2 e outras emissões”, explica Steven Mac Nelly, Diretor de Desenvolvimento & Construção na Benninghoven.

A Benninghoven segue um processo claramente definido para novos ou futuros desenvolvimentos. Isso também se aplica à tecnologia de queimadores, que é uma das principais competências da empresa. A equipe de desenvolvimento tem acesso a uma infraestrutura de última geração, que inclui desde programas de simulação modernos até bancos de ensaio para queimadores.

O desenvolvimento de combustíveis sustentáveis é um componente essencial, que permite ao especialista em usinas de asfalto oferecer soluções para uma produção de asfalto sustentável, limpa e eficiente. Isso também inclui as tecnologias de gerador de gás quente e o sistema REVOC da Benninghoven, que permitem atingir taxas de reciclagem elevadas com baixas emissões

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Por que é essencial digitalizar o setor da construção mexicana?
Coluna de Luis Herrera, chefe de vendas para a América Latina e Espanha, Procore
A magnitude e fomento do conceito ESG e da sustentabilidade
O que antes era tendência, agora é realidade. Considerando os indicadores dos três pilares (meio ambiente, social e governança corporativa), e a inerente preocupação - devida – das empresas, não há como negar que estratégias ESG trazem diversos benefícios para a percepção de valor, real, das companhias.
Compactação: declives suaves
Características excepcionais para um embalador de rolos seguro e eficiente
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL