Linha 17 – Ouro, em São Paulo, tem obras paralisadas novamente

By Juliana De Andrade19 January 2016

Linha 17 Ouro

Linha 17 Ouro

As obras do monotrilho que sairia da linha 1 Azul do Metrô e passaria pelo Aeroporto de Congonhas seguindo até o Morumbi, conhecida como Linha 17-Ouro, foram novamente paralisadas por uma decisão judicial, desta vez por tempo indeterminado.

A intervenção é fruto de uma disputa entre a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e as empreiteiras que construíam a linha 17-Ouro. As empresas Andrade Gutierrez e CR, que compõem o consórcio responsável, acusam o Metrô de descumprir com os termos do contrato. O Metrô, por sua vez, afirma que as empresas abandonaram os trabalhos nos canteiros de obras.

No passado, dois trechos da obra que compreende 17,4 quilômetros de linhas e 18 estações a um custo de US$1,3 bilhão, tiveram suas construções congeladas. Agora, a ruptura dos acordos foi revelada explicando que o governo rescindiu os contratos porque as empresas abandonaram a obra, descumprindo os termos estabelecidos.

O Metrô divulgou que as empreiteiras podem ser multadas em mais de US$ 25 milhões e o consórcio que ficou em segundo lugar na licitação deverá assumir novamente as construções. As duas empresas, porém, reagiram com uma nota na qual afirmam que o Metrô não havia entregue projetos executivos essenciais para o andamento das obras e de não liberar as áreas previstas para receber os canteiros. O que impediu a possibilidade de qualquer planejamento nos prazos. Além disso, afirmam que impetraram uma ação judicial pedindo o rompimento dos contratos alegando que os atrasos geraram gastos extras.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Um ponto fora da curva…
O Brasil, na contramão de muitos países que se viram seriamente afetados pela crise sanitária mundial, se estabelece dia após dia como potência econômica no que tange a indústria e tal propensão se fortalece com o número de obras que se difundem por todo território nacional.
Energia do futuro
Como grupos geradores e sistemas de armazenamento baseados em bateria podem substituir a energia a diesel.
Construção centro-americana
A pandemia e economias fortemente dependentes tornam a recuperação desta região mais complexa.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL