Lançada a terceira versão do Prêmio Mujer Construye

By Cristián Peters Quiroga14 March 2023

Iniciativa é organizada pela Comissão de Mulheres do CChC.

Com o objetivo de continuar promovendo a participação das mulheres no setor da construção, esta segunda-feira o presidente do CChC, Juan Armando Vicuña, vice-presidente do CChC, Jacqueline Gálvez, gerente geral do CChC , Paula Urenda , junto com a Ministra da Mulher e Igualdade de Gênero, Antonia Orellana e representantes da imobiliária Boetsch, lançaram oficialmente a terceira edição do Prêmio Mujer Construye.

Premio mujer en construcción

Na sua nova versão, a iniciativa, que é organizada pela Comissão de Mulheres do CChC, convida empresas associadas e não associadas a participar neste concurso de forma a tornar visível o contributo feminino em trabalhos e boas práticas organizacionais em equidade de género.

Na ocasião, a Ministra da Mulher e Igualdade de Gênero, Antonia Orellana, pôde conversar com as trabalhadoras do projeto Parque Central Los Reyes, localizado na comuna de Santiago, que conta com um grande número de mulheres que trabalham na obra .

“Para nós, a participação igualitária das mulheres em todos os setores tem vários motivos, o primeiro relacionado à igualdade de direitos. As mulheres constituem mais de metade da população e não há razão para não podermos estar onde queremos expressar a nossa carreira profissional (...) A segunda é porque foi amplamente demonstrado que a diversidade no local de trabalho é um importante motor produtividade e crescimento económico, as equipas e a participação equitativa das mulheres nas várias áreas da economia”, referiu a secretária de Estado.

Ao exposto, acrescentou que “no país 6 em cada 10 agregados familiares são chefiados por uma mulher solteira, chefe do agregado familiar. Um bom emprego, como os da construção civil que têm bons salários em relação à média do país, que dão continuidade ao emprego, que dão oportunidades de certificação são essenciais para um dos nossos principais objetivos como Ministério, que é uma vida livre de violência.”

Por sua vez, o presidente nacional do CChC, Juan Armando Vicuña, pediu às construtoras que indiquem seus trabalhadores nesta terceira versão do Prêmio Mujer Construye: “Queremos mais mulheres porque trazem novos talentos. Quanto mais mulheres houver no emprego formal, mais e melhores talentos teremos para desenvolver como país. Melhoram o ambiente de trabalho porque, assim como conseguem focar na execução de uma tarefa, são capazes de olhar além e se preocupar com as pessoas e seu bem-estar. E eles fortalecem as equipes. Na verdade, times diversificados são mais criativos, mais colaborativos e mais produtivos”, disse Vicuña.

Cabe destacar que esta convocatória contará com a colaboração da Fundação RONDA Chile, entidade com ampla experiência em transformação cultural e que, neste caso, desenvolverá a metodologia, revisará e avaliará as candidaturas para garantir um processo transparente e rigoroso.

Especificamente, o prêmio visa reconhecer duas categorias:

Prática de destaque: boas práticas que geram maior igualdade entre mulheres e homens em todas as áreas de gestão da empresa e nos processos de gestão de pessoas: recrutamento e seleção, treinamento, desenvolvimento de carreira, remuneração, políticas de corresponsabilidade, adaptabilidade e segurança. Da mesma forma, serão reconhecidas as empresas que promovem um ambiente de trabalho de respeito para todas as pessoas que trabalham na organização, além de incentivar sua inovação permanente.

Mujeres en obra: busca reconhecer as trabalhadoras que se destacam pelo desempenho em obras de construção civil, que refletem o esforço do trabalho e a realidade que muitas mulheres do setor vivenciam.

O período de inscrição para o Prêmio Mujer Construye será até 31 de março. Para mais informações sobre o processo e as regras do concurso, visite premiomujerconstruye.cl

Mulher em construção:

A incorporação de mais mulheres à força de trabalho tem se mostrado um impacto positivo no desenvolvimento social e produtivo do país. Um exemplo disso é que, de acordo com o relatório Aumento da participação feminina no mercado de trabalho da Clapes UC (2020), cada ponto de aumento na participação da mulher no mercado de trabalho se traduz em um aumento do PIB de 0,5%.

Além do mais:

A construção é um grande empregador, contribuindo com 8,5% da força de trabalho total do país.

Por cada 100 trabalhadores da construção civil, apenas 9 são mulheres (INE, agosto de 2022).

70% deles trabalham como diaristas ou auxiliares, 10,6% em cargos administrativos e 4,52% em cargos de chefia.

dados CChC

Em 2022, 21% dos empregos nas empresas associadas ao CChC são ocupados por mulheres. O número representa um aumento de mais de 10 pontos percentuais em relação a 2016.

Pela primeira vez em sua história, a Diretoria Nacional conta com representação feminina na vice-presidência.

Das 18 presidências em nível nacional, ⅓ são ocupadas por mulheres (6 presidentes).

● Hoje, o Conselho Nacional do CChC é composto por 8 mulheres.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
O céu é o limite: o que há de mais moderno em tecnologia de drones
Os drones são cada vez mais aceitos como parte do processo de construção e suas aplicações para o setor estão em constante evolução
Case CE en Conexpo 2023
Case Construction Equipment exhibió nuevos equipos, asociaciones y soluciones en ConExpo-Con/Agg 2023, entre el 14 al 18 de marzo, en Las Vegas, Estados Unidos.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Matt Burk Gerente de vendasr Tel: +1 312 496 3314 E-mail: matt.burk@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL