Investimento em infraestrutura é a pauta principal para 2023

A continuidade de investimentos em infraestrutura é fundamental para fazer o Brasil avançar em 2023 e as notícias, nesse caso, são bastante positivas.

O destaque fica com a iniciativa privada. Dados do veículo Valor mostram que a ofensiva dos investidores será fundamental nos próximos anos.

A publicação lembra que as concessões de portos, rodovias, aeroportos e ferrovias, entre outras, geraram R$ 73 bilhões na ampliação e modernização da infraestrutura desses segmentos desde 2019, quando o processo foi acelerado. Outros R$ 18 bilhões foram para os cofres governamentais, resultado do pagamento de outorgas.

O peso da iniciativa privada no período de 2010 a 2021 é impressionante. Em 2010, os investimentos em infraestrutura representaram 2,46% do PIB e a participação pública foi de 57,3% do total. Cinco anos depois, há uma virada e a iniciativa privada respondeu por 60,3% dos investimentos, que representaram 2,14% do PIB. Em 2020, a iniciativa privada subiu sua participação para 62,9% e, em 2021, aumentou de novo para 66,4%.

Na área ferroviária, por exemplo, as iniciativas estão casadas com o escoamento da produção agrícola brasileira. E também na área de rodovias, onde somente a concessão da Via Dutra responde por um trânsito de caminhões que movimenta boa parte do PIB brasileiro. A concessionária que administra a rodovia investirá quase R$ 15 bilhões ao longo dos 30 anos da renovação da concessão.

Crédito: Freepik/ Freepik

Na área pública, os especialistas sinalizam para investimentos entre R$ 25 bilhões e R$ 30 bilhões em obras de infraestrutura prioritárias, segundo o jornal Estado de S. Paulo. Os mais otimistas falam em investimentos públicos de até R$ 100 bilhões ainda em 2023. E seriam três frentes de busca de financiamento: a PEC da transição, as emendas parlamentares ao Orçamento de 2023 e uma proposta de emenda constitucional que reverte os recursos arrecadados em leilões na área de transportes para reinvestimentos no próprio segmento.

Segundo Roberto Guimarães, diretor de planejamento e economia da Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), a iniciativa de investir em infraestrutura é viável e é possível mudar as regras de teto de gastos com responsabilidade fiscal, reduzindo gastos do governo e aumentando investimentos. Guimarães também aposta em parcerias público-privadas (PPP) como uma solução, de acordo com a entrevista que deu ao site BN Americas.

Esse também é o nosso ponto de vista: reforçamos a importância dos investimentos privados – que esperamos seja crescente – e ressaltamos a participação pública em infraestrutura, sempre responsável e mantendo o dinamismo que vimos nos últimos quatro anos, com um Ministério da Infraestrutura altamente posicionado a favor do país.

CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristiá[email protected]
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL