Grandes investimentos

By Fausto Oliveira29 March 2016

Pavimentadoras de concreto, que en realidad son equipos multi propósito, requieren gran capital, per

Pavimentadoras de concreto, que en realidad son equipos multi propósito, requieren gran capital, pero ofrecen alto retorno

A discussão técnica entre engenheiros a respeito as diversas vantagens entre a pavimentação com concreto em relação à feita com asfalto costuma desconsiderar um dado interessante. Enquanto as máquinas distribuidoras de asfalto são especificadas unicamente para pavimentação, os equipamentos utilizados para fazer pavimentos de concreto são, em geral, multi-propósito.

E este fator pode ser decisivo na hora de calcular custos e benefícios, levando à consideração estratégica o uso deste tipo de máquinas que, ainda que sejam conhecidos no mercado como pavimentadoras, podem abrir portas de serviço muito mais amplas que apenas os contratos viários.

Conforme se faz mais comum na região incluir o benefício tecnológico no cálculo estratégico das construtoras, mais se nota que a entrada destas pavimentadoras de concreto (que em inglês são conhecidas pelo nome mais amplo de slipform) cresce na América Latina.

Todas as opções de maquinário multi-propósito para pavimentar ou moldar perfis de concreto pressupõem um grande investimento, e por isso a resistência do mercado pode ser alta, às vezes privilegiando equipamentos de menor sofisticação, ou mesmo o trabalho manual. Não obstante, há empresas que confiam no longo prazo e têm mais foco na produtividade.

Rio de Janeiro

Na cidade das próximas Olimpíadas, uma importante obra rodoviária atualmente está em curso com uma dessas máquinas, uma Wirtgen SP1200. É o projeto Transbrasil, que intervém em 33 quilômetros da Avenida Brasil, a maior via do Rio.

A Avenida Brasil é a maior conexão da cidade com a região metropolitana e, além disso, é trecho da BR-101, que vem do Sul e perpassa o estado do RJ rumo ao Nordeste.

Desde fevereiro do ano passado, o Consórcio Transbrasil utiliza uma Wirtgen SP1200 de sua propriedade para esta pavimentação. O trabalho é a criação de um corredor central com 7,5 metros em cada sentido, para ônibus.

Com 60% de avanço e prevendo a entrega dos trabalhos na segunda metade de 2017, a obra é feita inteiramente à noite, a fim de não fechar completamente o tráfego.

“O concreto tem um custo de aplicação mais alto, mas se ele é colocado de maneira apropriada vai durar três vezes mais do que o asfalto”, diz o gerente regional do Grupo Wirtgen no Rio de Janeiro, Guilherme Rodrigues.

O especialista da marca alemã explica que pelas características do subsolo da região onde se faz o serviço, o consórcio teve que realizar obras prévias de reforço estrutural, concretando a sub-base. Apenas então se pôde iniciar o pavimento em concreto.

Simplicidade

A operação de um equipamento multi-propósito para pavimentações e diferentes perfis de concreto costuma ser complicada. Por isso, outro importante fabricante destas máquinas, a norte-americana Power Curbers, valoriza sua oferta pela fácil operação e manutenção de seus equipamentos.

A aposta é acertada, sobretudo se se considera que uma das características da região é não contar com operadores qualificados, e também que certos serviços são realizados em áreas remotas. E graças a isso, a Power Curbers viu um aumento na sua participação de mercado em países como Equador, Chile, México e Brasil, e isso não apenas para a execução de vias.

A Power Curber 5700-C é uma pavimentadora capaz de produzir os mais variados resultados, dependendo dos acessórios de acabamento para o concreto que se usam. É uma boa opção para contratos que envolvam construção de calçadas, barreiras separadoras de rodovias, canais e desaguadouros para áreas urbanas, entre outros formatos.

Esta máquina foi a opção da Power Curbers para exibir ao público latino-americano na primeira CONEXPO Latin America, realizada em Santiago do Chile em outubro de 2015.

Evidentemente, o investimento inicial em adquirir uma máquina desta categoria é alto. Mas segundo a empresa, pode-se recuperá-lo relativamente logo graças à ampla quantidade de serviços que ela oferece, além da pavimentação rodoviária.

O mesmo vale para outro grande nome deste segmento da indústria de máquinas, a também norte-americana GOMACO.

O mais recente lançamento da marca se deu na feira World of Concrete, em fevereiro em Las Vegas, EUA. Se trata da pavimentadora GP3, equipamento que a GOMACO está promovendo como “a pavimentadora mais inteligente do mundo”.

A dita inteligência do equipamento está no fato de que esta é a primeira máquina da empresa que conta com a possibilidade de pavimentação em múltiplas larguras. A largura máxima é de 9,14 metros, mas o interessante é que com seu sistema Smart Frame Widening ela pode modificar a largura de pavimentação durante o processo de distribuição do concreto. Graças a um sistema de abertura instalado em cada lado da máquina, a GP3 permite a ampliação de cada extremidade em 2,13 metros, automaticamente.

Além disso, a GP3 tem o sistema Smart Leg Positioning, novidade que permite controle total sobre a direção das quatro esteiras do equipamento, aumentando a precisão em situações de curva ou inclinações, por exemplo. Finalmente, sensores postos nos comandos hidráulicos das quatro esteiras auxiliam o condutor da máquina a dirigi-la com precisão que, segundo a GOMACO, é inédita.

Todos estes sistemas são controlados pelo software de comando remoto da GOMACO, o G+, a poderosa ferramenta digital da marca norte-americana para seus equipamentos.


Novo ator virá ao mercado regional

O nome Guntert & Zimmermann pode não ser dos mais conhecidos na América Latina, mas este fabricante norte-americano está no mercado desde 1942, sendo que em 1956 introduziu seu primeiro modelo de pavimentadora de concreto multi-propósito em seu país.

A companhia lançou, também na World of Concrete de fevereiro, um modelo que segundo seus executivos se adapta às necessidades da região latino-americana. Se trata da S400, máquina compacta que a empresa afirma ser capaz de fazer tudo o que as versões maiores podem fazer: rodovias, rampas, barreiras, pistas de aeroporto, além de moldes em espaços confinados.

O equipamento tem largura de trabalho de entre 2 e 5,3 metros, sem extensões. Com extensões opcionais, pode chegar aos 7,5 metros, o que a coloca no rango das pavimentadoras de pistas de duas faixas.

A S400 pode vir de fábrica com um colocador mecânico de vergalhões (dowel bar) no pavimento, e o sistema de vibração do concreto pode tanto ser elétrico como hidráulico. Por seu tamanho compacto, investimento inicial menor e versatilidade, a S400 da Guntert & Zimmermann pode ser uma escolha inteligente para determinados projetos.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Movimento elétrico
Os tempos modernos trazem consigo inúmeras inovações. No artigo de Luciana Guimarães, a CLA revê algumas novidades sobre a terraplenagem.
Considerações sobre lança articulada
Orçamentos, tarefas específicas, detalhes técnicos são alguns dos aspectos a serem considerados na compra de uma plataforma
Acess M20: Para cima
Alguns podem considerar 2020 uma anomalia que dificilmente se repetirá. Quanto ao accessM20, também pode ser visto como um sinal dos tempos.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL