Grandes construtoras perderam 85% em três anos

By Fausto Oliveira03 July 2019

Levantamento feito por jornal dá o tamanho do efeito da Lava Jato sobre o setor de construção pesada.

Odebrecht

Toda a cadeia produtiva foi afetada.

A receita líquida total das grandes construtoras brasileiras despencou severamente, nada menos do que 85%, em apenas três anos. Tudo como resultado da operação Lava Jato e suas restrições judiciais à contratação pública.

De acordo com o jornal Valor Econômico, a receita somada das principais empresas do ramo no país em 2015 havia sido de R$ 71 bilhões. Em 2018, este mesmo número caiu para R$ 10,6 bilhões. Entre as empresas objeto do levantamento, estão a Odebrecht, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Queiroz Galvão, Galvão engenharia, UTC e Constran.

A queda poderia ser ainda pior se a OAS tivesse divulgado balanço em 2018, o que não fez. Certamente, a empresa teve perdas no mínimo similares em termos de volume de negócios.

A paralisia da construção pesada no Brasil levou à destruição de cerca de 1 milhão de empregos no setor. Considerando-se que a perda total de empregos com a crise no país foi de cerca de 2,6 milhões, a construção representou em torno de 40% da redução total de postos de trabalho.

As grandes construtoras brasileiras sempre foram as responsáveis por firmar os mais significativos contratos com o governo, dado que eram as únicas capazes de realizar obras da magnitude de uma hidroelétrica ou um sistema de metrô, entre outras similares. Mas quando obtinham estes contratos, mobilizavam uma importante cadeia de empresas subcontratadas, que se responsabilizavam por etapas definidas de cada obra.

Com seu impedimento legal, toda a cadeia se viu afetada, e o resultado foi a paralisia que hoje se verifica na infraestrutura em todo o país.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
O fino das margens
Mesmo pequenas mudanças valema pena para os fabricantes de produtos de britagem e peneiramento.
Desafios de gestão e desenvolvimento
O estoque de equipamentos e produtos é um fator crítico em uma operação, e a pandemia tornou tudo mais difícil.
Perú se recupera e mostra sua força
Good news in the construction industry, which reached pre-pandemic levels in April.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL