Governo e montadoras ajustam prorrogação dos incentivos para caminhões

Medida provisória (MP) nº 1.175, estabelece o programa de descontos para compra de veículos leves, pesados e comerciais no país

O programa de incentivo à compra de veículos zero quilômetro pode ter alterações em seu texto no que diz respeito ao segmento de caminhões.

Em junho, diversas montadoras aderiram ao programa de incentivo do governo. Foto: Volvo

Na última sexta-feira, 14, o vice-presidente Geraldo Alckmin afirmou que está em estudo a prorrogação do tempo de concessão dos descontos para além dos quatro meses previstos na medida provisória 1175.

O programa de incentivo para aumentar a venda de veículos 0-km, ou seja, da Medida Provisória 1175/23 e estabelece um sistema de desconto de preços patrocinado pelo Governo Federal.

Conforme a MP, o programa de incentivo tem prazo de 120 dias. No caso de caminhões, haverá uma injeção de valores de R$ 700 milhões.

“Estamos estudando a prorrogação, talvez tornar os descontos algo permanente”, disse Alckmin durante visita à fábrica da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo (SP).

O vice-presidente não entrou em detalhes a respeito de como o Estado pretende estender os incentivos. De qualquer forma, a medida pode acelerar as vendas de caminhões dentro do escopo do programa, assim como ocorreu com o segmento de automóveis.

Os descontos para caminhões e ônibus variam de R$ 33.600 até R$ 99.400. A depender do peso do caminhão ou a capacidade de passageiros do ônibus

Até o fim da primeira semana de julho, o programa de incentivos para o setor de pesados havia consumido R$ 240 milhões - R$ 100 milhões para caminhões e R$ 140 milhões, para ônibus - do total de R$ 1 bilhão colocado à disposição pela MP.

CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristiá[email protected]
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL