Financiamento chinês supera os do BIRD e BID

By Fausto Oliveira27 February 2015

xi jinping américa latina

xi jinping américa latina

Um estudo do centro de pesquisas Diálogo Interamericano, que tem sede nos Estados Unidos, vem acompanhando a evolução dos financiamentos chineses na América Latina desde o ano de 2005. Seu mais recente relatório é relativo ao ano passado, quando o país asiático emprestou à região mais capital do que os bancos Mundial e Interamericano de Desenvolvimento juntos.

O total do financiamento chinês oferecido aos governos latino-americanos em 2014 foi de US$ 22,1 bilhões, enquanto o BIRD e o BID juntos emprestaram US$ 20 bilhões ao longo do ano à América Latina.

Em 2014, o Brasil foi o país que mais recebeu fundos chineses, com US$ 8,6 bilhões, seguido pela Argentina com US$ 7 bilhões, Venezuela com US$ 5,7 bilhões e o Equador, com US$ 820 milhões.

Mas ao considerar os empréstimos desde o ano de 2005, quando a análise começou, a Venezuela tomou emprestado, de longe, a maior proporção do financiamento chinês à região, com um total de US$ 53,6 bilhões, sendo seguida pelo Brasil, com US$ 22 bilhões, Argentina com US$ 19 bilhões e Equador, com US$ 10,8 bilhões.

De acordo com o centro de pesquisas, o governo chinês financia majoritariamente as atividades de extração de minérios e construção de infraestrutura na região latino-americana. Os pesquisadores confirmam o que muitos comentam: a China faz de seus aportes financeiros uma ferramenta diplomática que serve para aumentar sua influência política nas Américas.

Dos US$ 119 bilhões emprestados pela China à América Latina desde 2005, a maior proporção proveio do Banco Chinês para o Desenvolvimento (US$ 83 bilhões), enquanto o banco de comércio internacional Eximbank aportou US$ 20,9 bilhões do total.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Perspectivas econômicas e de construção para a América Central
Scott Hazelton, da IHS Markits, fornece uma análise profunda da situação atual nos países da América Central.
Escavadeiras: Novas energias
Grandes equipamentos estão procurando maneiras de se tornar mais eficientes, produtivas e com menor impacto sobre o meio ambiente.
Versatilidade de carga
Compactas ou enormes, estas máquinas estão ganhando terreno nos principais locais de terraplenagem ao redor do mundo.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Matt Burk Gerente de vendasr Tel: +1 312 496 3314 E-mail: matt.burk@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL