Construção venezuelana em apuros

By Cristián Peters Quiroga24 January 2023

A indústria comemora nove anos de declínio. Enrique Madureri , presidente da Câmara Venezuelana da Construção, refere-se ao momento complexo do setor.

Enrique Madureri, presidente de la Cámara Venezolana de la Construcción. Enrique Madureri , presidente da Câmara Venezuelana da Construção.
Como foi o ano de 2022 para o mercado de construção em seu país?

Nossa economia teve uma leve ativação, mas o setor da construção continua sem reagir, estando em declínio há nove (9) anos.

Outros setores chegaram ao fundo do poço e posteriormente conseguiram se reativar graças à liberação de algumas restrições econômicas, pois podem ser realizados no comércio com remessas sem depender do banco nacional, no entanto, esse não é o caso da construção.

Vivemos uma agonia imparável nos últimos anos, agravando esta situação com dois anos de pandemia que acabaram por paralisar a atividade.

Os fatores que influenciaram essa queda e que foram relatados pelas empresas em nossa pesquisa trimestral são a falta de financiamento, o marco regulatório, a insegurança jurídica, a precariedade dos serviços, a escassez de materiais, etc., onde mostra que o principal player na construção civil é o Estado.

Ao Estado não cabe apenas a geração de políticas públicas adequadas em benefício dos cidadãos e do desenvolvimento econômico e social do país, mas também, atualmente, é o proprietário de grande parte dos produtores de materiais e insumos de construção, como : cimento, ferro, aço, alumínio, pedreiras, petroquímica, etc.

Nesse entendimento e na ausência de uma mudança de direção na gestão que permita a incorporação da iniciativa privada, a construção civil fechou 2022 sem atividade, sem investimento, sem produção, com mão de obra ociosa que migra para outros setores e profissionais que oferecem seus conhecimentos e expertise em outros países.

Houve algum marco notável?

Há realmente muito pouco que pode ser mostrado. Não houve investimento na execução das obras e nem na manutenção das existentes, o que se evidencia nas infra-estruturas deterioradas e serviços públicos ineficientes, questão que condiciona qualquer oportunidade de crescimento, desenvolvimento económico e social do país.

Como você visualiza 2023 e quais desafios este ano apresentará?

Enquanto não houver descentralização dos serviços e forem tomadas medidas que permitam a incorporação de outros atores como o setor privado na cadeia produtiva, não teremos uma reativação significativa que se traduza em melhor qualidade de vida para a população.

Depois da grande paralisação que o setor da construção e as suas empresas sofreram nos últimos anos, a falta de financiamento é um dos principais desafios a enfrentar.

Estadio García Carneiro, ubicado en Macuto, estado de La Guaira. Estádio García Carneiro, localizado em Macuto, estado de La Guaira.

Na Venezuela existem construtoras com uma longa história e profissionais altamente qualificados dispostos a continuar construindo o país. No entanto, são necessárias regras de jogo claras que permitam o retorno dos investimentos nacionais e internacionais para a construção e reabilitação das infraestruturas que a população exige.

Isso permitirá novos mecanismos de financiamento para o setor, hoje totalmente dependente das receitas do petróleo.

Que tendências atuais na indústria da construção - como o uso de tecnologias avançadas ou a adoção de práticas sustentáveis - estão em voga no país?

El sector construcción venezolano ha permanecido en un letargo en los últimos nueve años, donde ante una paralización de aproximadamente el 98% es muy poco lo que nos hemos podido incorporar a las nuevas tendencias tecnológicas que permiten el desarrollo armónico, moderno, competitivo y sustentable de as cidades. No entanto, o CVC há alguns anos vem promovendo e capacitando alunos e profissionais da área, no conhecimento e aplicação do Building Information Modeling (BIM), que é uma metodologia de trabalho colaborativo, baseada na utilização de um modelo tridimensional. digital que permite a produção e armazenamento da informação necessária para gerir, em cada momento, a execução da obra, otimizando processos e minimizando derrapagens de custos.

Durante a última década, a metodologia BIM foi progressivamente implementada em diferentes países, sendo para alguns deles obrigatória em projetos públicos. Sem dúvida, é uma ferramenta tecnológica que aos poucos foi incorporada aos processos de nossas empresas do setor de construção.

O que a Câmara faz para promover as melhores práticas e a melhoria contínua do setor?

Na Câmara Venezuelana da Construção desenvolvemos constantemente programas, planos, projetos e propostas em benefício do setor, de suas empresas e de seus trabalhadores.

- Atualmente, promovemos o Plano Nacional de Manutenção , elaborado pela CVC, que identifica os investimentos que devem ser feitos na reabilitação das infraestruturas existentes nos setores prioritários do país, tais como: energia, água e saneamento, saúde e transportes.

- Propostas sobre o quadro legal que afeta o setor da construção, de forma a reativar a construção privada no setor imobiliário e garantir a transparência, a livre concorrência e a participação nacional na contratação de obras públicas.

- Promovemos os modelos de Associações Público-Privadas de construção, gestão e manutenção de infraestruturas e serviços públicos como política pública promotora da atividade e geradora de bem-estar para a sociedade. Reativação do Sistema Elétrico Nacional por meio da aplicação deste modelo em usinas termelétricas estratégicas.

- Foi lançado o “IPA”: Informações sobre Projetos Autorizados por Prefeituras , que é um banco de dados de projetos privados autorizados pelas prefeituras dos municípios de Baruta, Chacao, El Hatillo e Sucre da Área Metropolitana de Caracas. É um sistema georreferenciado que gera indicadores e estatísticas.

- O Dual Training é um programa de formação de pessoal da empresa na área da construção. Atualmente temos 20 ofícios disponibilizados na plataforma, que contribuem para o aprimoramento profissional dos trabalhadores, aumentam a produtividade das empresas do setor e aumentam a qualidade dos processos construtivos nas obras.

- Criação do Fórum BIM Venezuela para a padronização desta metodologia de trabalho colaborativo no planejamento, conceituação, desenho, monitoramento e gestão de projetos, a fim de otimizar os processos de construção. Digitalização da construção. Novas tecnologias.

- Proposta de novo Acordo Coletivo de Trabalho da Indústria da Construção (CCTIC), em aliança com as centrais sindicais

- Participação nos comitês técnicos da Fondonorma, entidade responsável pelos procedimentos de qualidade na Venezuela, para adaptação e atualização de regulamentos e busca de sua aplicação.

Qual é a sua perspectiva para os próximos anos?

Estamos otimistas em pensar que essa paralisia que o setor da construção apresenta atualmente será revertida nos próximos anos. Há uma necessidade crescente em termos de serviços públicos: eletricidade, água e saneamento, saúde, educação, estradas e transportes (terrestres, aéreos e marítimos), que devem ser atendidos para gerar bem-estar à população.

A participação do setor privado nesta mudança é decisiva, não só incorporando novas fontes de financiamento, mas também aportando sua expertise na construção, manutenção e gestão da infraestrutura, garantindo bens e serviços de qualidade com a aplicação de novas tecnologias que permitem um desenvolvimento produtivo, competitivo e sustentável do país.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
AMMANN: Soluções competitivas e integradas
Com uma linhagem familiar de sucesso, a Ammann se destaca no cenário internacional desde 1869. Hans-Christian Schneider, atual CEO da Ammann, é a sexta geração a administrar a empresa que mantém sua curva de crescimento e notoriedade.
Por que a medição de tráfego é importante?
Como o fornecedor de infra-estrutura Caltrans leva o monitoramento de tráfego para o próximo nível com as Estatísticas KiTraffic da Kistler
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Matt Burk Gerente de vendasr Tel: +1 312 496 3314 E-mail: matt.burk@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL