Construção civil registrou aumento de mulheres na área

By Luciana Guimaraes12 April 2022

O setor da construção civil sempre foi conhecido pela baixa participação de mulheres. No entanto, aos poucos, este cenário vem mudando.

Pelo menos é o que mostra o Painel da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). De acordo com dados divulgados em 2020 pelo Ministério do Trabalho, a participação de mulheres com carteira assinada na área aumentou 5,5%, em relação ao ano anterior.

Foto: Rido // AdobeStock

Em fevereiro de 2022, o Sistema Confea (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia) /Crea (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) e Mútua também comemoraram o número de profissionais mulheres inscritas: 200 mil engenheiras, agrônomas, meteorologistas, geógrafas, geólogas, enfim, todas as mulheres representadas nas profissões que compõem o Sistema.

A engenheira e diretora de normas técnicas da ABECE (Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural), Suely Bueno, que atua na área de projetos, conta que há muito tempo tem havido um aumento de mulheres no seu setor. “Há reuniões que fazemos em determinados projetos, em que 100% dos participantes são mulheres. Na área de projetos, não há a menor dúvida de que tenha ocorrido esse aumento expressivo. No escritório do qual sou sócia, que já tem 60 anos de história, hoje a maior parte da equipe é de mulheres. Já na parte de obras, da construção civil, vemos muitas mulheres na parte gerencial. Mas também é possível perceber um aumento de mulheres na prestação de serviços, colocando o gesso ou assentando alvenaria, por exemplo”, comenta.

Sobretudo, este aumento acompanha o interesse feminino pelos cursos de engenharia. “Elas perceberam que não existem barreiras para ser engenheiras. A partir do instante em que as mulheres foram entrando na faculdade e se formando, elas foram naturalmente sendo contratadas. Quando eu entrei na faculdade, em 1971, havia 600 vagas para todas as especialidades de engenharia. Na época, havia 24 meninas e o restante eram todos meninos. Obviamente, iriam contratar mais homens para o mercado de trabalho. Hoje, acredito que este número de mulheres seja bem maior. Então, é natural que haja mais contratadas”, aponta Suely.

Mulheres nas áreas de engenharia, tecnologia e exatas

Para incentivar a participação feminina nas áreas de engenharia, tecnologia e exatas, as estudantes Mariah Eduarda Furman, do curso de Engenharia de Produção (Universidade Positivo); Gabriele De Medeiros Scarante, do curso de Física (PUC-PR); e Isabela Semeniuk, do curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia (Universidade Positivo); criaram o projeto “A Derivada Feminina”. Por meio das redes sociais, as alunas compartilham notícias e conteúdos relacionados à presença e ao interesse de mulheres por estes cursos. Além disso, as estudantes sempre procuram mostrar exemplos de figuras femininas que se destacaram nestes setores.

Nós preparamos uma reportagem especial que aborda essas mudanças no setor, que pode ser conferida aqui. 

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Como o planejamento da elevação está integrado à segurança e aos negócios?
Hannah Sundermeyer conversa com especialistas em engenharia sobre o estado atual do planejamento de elevadores
Construção de Rodovias: O caminho para o futuro
As equipes de pesquisa e desenvolvimento de equipamentos para construção de estradas estão se concentrando na autonomia, energia e maior integração digital.
Preparação para a M&T a todo vapor
Após ser adiada devido à pandemia, a indústria de construção latino-americana se reunirá novamente no Brasil no final de agosto.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL