Construção argentina cai forte

By Gabriel Lira12 March 2019

Apesar de um número muito negativo em dezembro, expectativa é de que a partir de agora haja recuperação.

construcción argentina

Em janeiro, a atividade de construção na Argentina caiu nada menos do que 15,7% em relação mesmo mês do ano passado. Os números foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estadística y Censos (INDEC), embora a variação dessazonalizada tenha sido positiva em 4,4%.

Assim, dos 13 insumos para a construção pesquisados, apenas dois mostraram crescimento interanual: o concreto usinado (1,5% de crescimento) e o gesso (5,7%). Dentre os 11 insumos de construção que registraram queda interanual, oito deles tiveram quedas menores em janeiro do que em dezembro.

Ainda que as expectativas continuem sendo desfavoráveis para a indústria, houve um leve otimismo com relação ao que se pensava em dezembro. As perspectivas de queda na atividade baixaram de 50% a 40%, enquanto no volume de obras públicas a perspectiva de redução da atividade reduziu de 59,1% a 56,4%.

Apesar das más notícias, o INDEC nota que o licenciamento para novas obras privadas costuma antecipar a dinâmica que terá o setor dentro de um prazo de cerca de seis meses no futuro. Neste sentido, destaca-se que em janeiro autorizaram-se a construção de 615 mil metros quadrados, ou seja, um crescimento possível de 7,4% em relação a 2018.

“Os dados de janeiro na construção reforçam a hipótese de que a recessão deve ter tocado seu ponto mais baixo em novembro, e que a partir de dezembro a economia já entraria em fase de recuperação”, afirma o documento do INDEC.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Por que é essencial digitalizar o setor da construção mexicana?
Coluna de Luis Herrera, chefe de vendas para a América Latina e Espanha, Procore
A magnitude e fomento do conceito ESG e da sustentabilidade
O que antes era tendência, agora é realidade. Considerando os indicadores dos três pilares (meio ambiente, social e governança corporativa), e a inerente preocupação - devida – das empresas, não há como negar que estratégias ESG trazem diversos benefícios para a percepção de valor, real, das companhias.
Compactação: declives suaves
Características excepcionais para um embalador de rolos seguro e eficiente
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL