Confiança da Construção sobe 0,9 ponto em fevereiro

By Luciana Guimaraes03 March 2022

O Índice de Confiança da Construção (ICST), do FGV IBRE, subiu 0,9 ponto em fevereiro, para 93,7 pontos. A alta mensal não recuperou a perda de janeiro e manteve o indicador abaixo do patamar de neutralidade. Em médias móveis trimestrais, o índice recuou 0,5 ponto.

“Entre janeiro e fevereiro, não houve grandes mudanças no cenário setorial, assim, a alta da confiança no mês surpreende por refletir expectativas de curto prazo mais favoráveis. Houve a percepção de que o pessimismo do mês anterior foi exagerado e agora o indicador retoma um patamar que aponta cautela com a evolução da demanda nos próximos meses. O fato é que as empresas vivem um cenário de muita incerteza: juros e custos em elevação aumentam a imprevisibilidade para o setor. Provavelmente ao longo do ano, essas oscilações da confiança deverão ser recorrentes”, observou Ana Maria Castelo, Coordenadora de Projetos da Construção do FGV IBRE.

Em fevereiro, a alta do ICST resultou na melhora das expectativas em relação aos próximos meses, enquanto a avaliação sobre o momento atual piorou. O Índice de Situação Atual (ISA-CST) caiu 0,8 ponto, para 89,9 pontos, menor nível desde julho do ano passado (89,4 pontos). A queda do ISA-CST foi influenciada principalmente pela piora do indicador de carteira de contratos, que recuou 1,4 ponto, para 90,0 pontos, menor desde junho de 2021 (86,6 pontos). Já o indicador que mede a situação atual dos negócios variou 0,2 ponto negativo, para 89,9 pontos.

O Índice de Expectativas (IE-CST) avançou 2,7 pontos, para 97,7 pontos, a primeira alta do ano, que não foi suficiente para devolver toda a queda registrada nem janeiro. Esse resultado se deve à melhora das perspectivas sobre a demanda nos próximos meses. O Indicador que mede a demanda prevista subiu 4,7 pontos, para 101,1 pontos, e o indicador que mede a tendência dos negócios nos próximos seis meses variou 0,6 ponto, para 94,2 pontos.

O Nível de Utilização da Capacidade (NUCI) da Construção aumentou 0,3 ponto percentual (p.p.), para 75,2%. O Nuci de Mão de Obra e Nuci de Máquinas e Equipamento contribuíram positivamente, com variações de 0,3 e 0,5 p.p., para 76,6 %e 69,2%.

Dificuldades com os custos voltam a subir

Depois da alcançar um percentual recorde de assinalações em agosto de 2021 (40,3%), as dificuldades com o custo das matérias-primas começaram a se reduzir, o que refletiu a desaceleração das altas dos preços dos insumos – as assinalações caíram para 26,9% em janeiro. “No entanto, o movimento voltou a se inverter e a preocupar as empresas – em fevereiro, 31,9% das empresas apontaram custos como uma importante limitação, percentual muito próximo ao de demanda insuficiente (32,5%)”, observou Ana Castelo.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Construção de Rodovias: O caminho para o futuro
As equipes de pesquisa e desenvolvimento de equipamentos para construção de estradas estão se concentrando na autonomia, energia e maior integração digital.
Preparação para a M&T a todo vapor
Após ser adiada devido à pandemia, a indústria de construção latino-americana se reunirá novamente no Brasil no final de agosto.
Colômbia: Pavimentando o futuro
O país está finalizando seu programa de projetos 4G enquanto dá os primeiros passos nas Concessões do Bicentenário.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL