Com orçamento mais que o dobro do original, estádios da Copa do Mundo atrasam

By Fausto Oliveira28 January 2014

Arena Amazonia stadium in Manaus, Brazil

Arena Amazonia stadium in Manaus, Brazil

Faltando pouco mais de quatro meses para a Copa do Mundo, apenas sete dos 12 estádios prometidos para o evento estão concluídos. E de acordo com as cifras oficiais da FIFA, o orçamento de construção das arenas saltou de US$ 1,1 bilhão em 2007 para uma estimativa de gasto total de US$ 3,6 bilhões.

A cifra menor foi uma estimativa feita pela FIFA no ano de 2007, quando o Brasil adquiriu o direito de receber o evento mais importante do futebol mundial. Mas o relatório da própria entidade que foi divulgado pela imprensa nacional nos últimos dias traz a estimativa de que o custo total das obras dos estádios tenha um aumento que mais que duplica o valor inicial.

Porém, a preocupação do momento está mais forte com a entrega das obras. Os estádios das seguintes cidades ainda não estão prontos: Manaus, Porto Alegre, Cuiabá, Curitiba e São Paulo.

Esse último sofreu atrasos devido ao acidente com um guindaste de que deixou dois trabalhadores mortos. A Arena Corinthians apresentava mais de 90% de avanço nessa época, mas com a interrupção das obras a inauguração se adiou.

Curitiba

A Arena da Baixada, em Curitiba, é de longe o estádio que mais preocupação desperta pelos atrasos na construção. A obra ainda não tem o gramado sobre o campo, cadeiras, cobertura e o revestimento na parte externa da estrutura.

Recentemente, os representantes da FIFA deixaram claro para as autoridades do Paraná que o estádio por ser excluído da Copa. Seria a primeira vez que um estádio sede da Copa do Mundo ficaria de fora do evento.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Por que é essencial digitalizar o setor da construção mexicana?
Coluna de Luis Herrera, chefe de vendas para a América Latina e Espanha, Procore
A magnitude e fomento do conceito ESG e da sustentabilidade
O que antes era tendência, agora é realidade. Considerando os indicadores dos três pilares (meio ambiente, social e governança corporativa), e a inerente preocupação - devida – das empresas, não há como negar que estratégias ESG trazem diversos benefícios para a percepção de valor, real, das companhias.
Compactação: declives suaves
Características excepcionais para um embalador de rolos seguro e eficiente
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL