Colômbia mostra resultados obtidos na pandemia

16 February 2021

A Colômbia deu início ou continuidade à grande maioria das obras que estavam em carteira para 2020, apesar dos problemas gerados pela pandemia.

O ano passado passou, e as economias começam a se levantar do tombo. A Colômbia não fica para trás e logo que começaram a se aliviar as medidas de confinamento, 898 obras privadas retomaram no país, o que se soma a 79 projetos de infraestrutura anunciados pelo presidente Iván Duque como parte do pacote Compromiso por Colombia.

“Não foi um ano fácil, mas também trouxe aprendizados e conquistas... pensamos na direção do futuro, porque o setor de infraestrutura é um pilar para a reativação da economia”, disse Ángela María Orozco, ministra dos Transportes do país.

Em 2020, o Instituto Nacional de Vías do país investiu mais de US$ 700 milhões em obras e deu andamento a 164 iniciativas de infraestrutura. A mais importante delas foi o Túnel de la Línea, que depois de dez anos de obras e paralisações, foi finalmente inaugurado em setembro. Ao mesmo tempo, o órgão inaugurou mais de 70 quilômetros de novas pistas em um trecho da Ruta del Sol II, com investimento de cerca de US$ 120 milhões.

E assim as iniciativas e projetos continuam. Entre outros avanços na parte de rodovias, foi lançado um pacote de 28 projetos de conclusão, por US$ 600 milhões, abrangendo mais de 2,9 mil km de novas pistas e pavimentação de outros 400 km, a serem entregues em 2021. O programa de concessões 4G, em julho, viu o projeto Girardot Honda Puerto Salgar entregar 190 quilômetros de autoestrada com investimento de cerca de US$ 500 milhões. O governo afirma que 13 dos 29 projetos do 4G têm mais de 50% de avanço, visto que mesmo com a pandemia os trabalhos foram mantidos.

O fechamento de aeroportos também ensejou obras em novas pistas, torres de controle e outros melhoramentos. Foram entregues obras dos aeroportos de Letícia, Pasto, Armenia, Popayán, san Andrés, Valledupar e no aeroporto internacional de Bogotá.