Cimenteiras colombianas multadas por suposto cartel

By Fausto Oliveira24 April 2018

Órgão de controle da concorrência viu paralelismo consciente de preços entre 2010 e 2012.

A Superintendência de Indústria e Comércio da Colômbia confirmou que vai aplicar sanções às três principais cimenteiras do país – Argos, Cemex Colômbia e Holcim Colômbia -, devido a suposta combinação de preços de cimento Portland Tipo 1 entre os anos de 2010 e 2012.

Argos e Cemex foram multadas em cerca de US$ 26,6 milhões. A Holcim Colômbia recebeu multa de cerca de US$ 19,4 milhões.

Além disso, os executivos da Holcim Colômbia foram multados em cerca de US$ 166 mil, e três executivos da Argos estão multados também em US$ 161 mil. Em ambos os casos os números são a soma das multas individuais.

A Cementos Argos respondeu à decisão do órgão de maneira enfática, rejeitando a aplicação de sanções por cartelização. “Não compartilhamos do sentido da decisão e a rejeitamos enfaticamente. Confiando na objetividade, a responsabilidade e no bom funcionamento das instituições, interporemos uma ação de nulidade e restabelecimento do direito ante o Tribunal Contencioso Administrativo, com a finalidade de que esta entidade valorize os sólidos argumentos apresentados pela Argos e proceda em direito com a nulidade da resolução da Superintendência”, afirmou a companhia em comunicado.

A Cemex Colômbia, por sua vez, decidiu não apresentar recurso e pagou sua multa. O que não significa que esteja em conformidade com a decisão da Superintendência. A Cemex afirma que ao longo do processo todos os seus estudos, investigações internas e argumentos jurídicos foram ignorados pelas entidades de controle, que não levaram em conta o que afirmava a companhia.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Um ponto fora da curva…
O Brasil, na contramão de muitos países que se viram seriamente afetados pela crise sanitária mundial, se estabelece dia após dia como potência econômica no que tange a indústria e tal propensão se fortalece com o número de obras que se difundem por todo território nacional.
Energia do futuro
Como grupos geradores e sistemas de armazenamento baseados em bateria podem substituir a energia a diesel.
Construção centro-americana
A pandemia e economias fortemente dependentes tornam a recuperação desta região mais complexa.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL