Cepal piora prognósticos latino-americanos

By Cristián Peters18 December 2015

Banderas Latinoamericanas

Banderas Latinoamericanas

Impactadas por um cenário externo complexo, as economias da América Latina e Caribe em 2015 experimentaram uma média de queda de 0,4%, isso foi o que a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) anunciou em suas últimas projeções entregues essa semana. Cabe recordar que em outubro, a organização havia advertido uma queda de 0,3% na região.

Ainda assim, as projeções para 2016 também caíram, dado que segundo a Cepal, as economias latino-americanas e caribenhas somente se expandiriam em uma média de 0,2%, menos que o 0,7% projetado no balanço anterior.

“É necessário retomar o crescimento e reverter o ciclo contrativo de investimento em contexto de lenta recuperação mundial e queda no comércio”, declarou Alicia Bárcena, secretária executiva da Cepal, ao apresentar seu informe anual “Balanço Preliminar das Economias da América Latina e Caribe 2015”.

Segundo o informe, a região deverá enfrentar em 2016 diversos cenários e riscos da economia mundial, que sem dúvida condicionarão seu desempenho econômico. Na frente externa se prevê que o crescimento global se mantenha lenta e chegue a 2,9%, enquanto que persiste a incerteza sobre a China –um dos principais sócios comerciais da região- país que continuará desacelerado em até 6,4%. Outro fator a considerar é que os preços das matérias primas que a região exporta se manterão baixos, o que voltaria a mostrar que em 2016 haverá um deterioro em seus termos de intercambio.

Em matéria financeira, a Cepal explica que no próximo ano persistirão a volatilidade e a incerteza observadas em 2015, com o que algumas economias emergentes seguirão tendo dificuldades para obter recursos nos mercados internacionais. A isso se soma a persistente apreciação do dólar e o aumento da taxa de juros nos EUA.

Projeção por país

Enquanto a América Central crescerá em torno de 4,3% em 2016, a América do Sul anotará uma contração de -0,8%, principalmente pelos retrocessos esperados no Brasil (-0,2%) e Venezuela (-7%). Já o Caribe anglo-saxão crescerá 1,6%. Segundo as projeções, o Panamá liderará o crescimento regional no próximo ano com uma expansão de 6,2%, seguido pela Dominica e República Dominicana (5,2%), San Kitts e Nevis (4,7%) e Bolívia (4,5%). Se prevê que a Nicarágua cresça 4,3%, enquanto que Cuba 4,2%, a Guatemala 4%, Peru 3,4%, Costa Rica e Honduras 3,3%, Colômbia e Paraguai 3%, México 2,6%, Haiti 2,5%, El Salvador 2,4%, Chile 2,1%, Uruguai 1,5%, Argentina 0,8% e Equador 0,3%.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
As 50 principais
Um crescimento substancial nunca antes visto foi notado pelas principais empresas de construção da América Latina
Os 200 principais
Lista exclusiva da International Construction dos 200 maiores empreiteiros do mundo por vendas revela que a indústria parece ter colocado o impacto da pandemia no passado
A evolução do manipulador telescópico da Skyjack
Skyjack produz uma linha completa de telehandlers com sete modelos
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL