Brasil retoma sua obra pública mais cara

By Fausto Oliveira12 May 2014

Sao Francisco

Sao Francisco

O governo federal retomou os trabalhos de uma das maiores e mais caras obras públicas da história do país: a transposição do rio São Francisco. O projeto de levar águas do Velho Chico a todos os estados do Nordeste esteve paralisado pelos últimos anos devido a uma grande quantidade de problemas contratuais com construtoras e imperfeições dos projetos de engenharia.

As obras da transposição começaram em 2007. O ambicioso projeto (que aliás é discutido no Brasil desde o século 19 como solução para a seca tradicional do Nordeste) prevê a construção de dois canais que saem do São Francisco. O eixo Norte tem 402 quilômetros de extensão, enquanto o eixo Leste tem 220 quilômetros, o que dá uma obra de 622 quilômetros de canais.

Todo o trabalho esteve paralisado nos últimos dois anos para uma revisão de quase todos os contratos, o que exigiu do governo um imenso esforço e elevou os custos do projeto dos R$ 4,7 bilhões iniciais para R$ 8,2 bilhões. A transposição se tornou a obra pública mais cara do Brasil, atualmente.

Obviamente, a parte dos canais que chegou a ser entregue hoje em dia está danificada, com muitas rachaduras e fendas na estrutura de concreto exposta ao sol por anos sem manutenção.

Mas o governo diz que isso é passado, segundo a imprensa. De acordo com o Ministério da Integração Nacional, os dois eixos somados se encontram hoje com 57,8% de avanço na sua construção. O número de trabalhadores hoje é de mais de 10 mil, e deverá subir a 11 mil até o fim do ano, segundo o governo.

Se até hoje nenhum trecho foi inaugurado e as reparações se fazem necessárias no que já foi construído, ainda assim o governo já pensa em expandir a obra e incluir dois eixos mais, o Sul e o Oeste. Não se sabe se isso será possível. Tampouco há uma data prevista para entrega dos dois eixos originais.

A principal dificuldade técnica do projeto está na construção de estações de energia e bombeamento de água ao longo de tantos quilômetros em dois canais. Mas além disso, o projeto prevê também a construção de 36 barragens, 63 pontes, 35 passarelas e 165 pontos de tomada de água do rio.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Por que é essencial digitalizar o setor da construção mexicana?
Coluna de Luis Herrera, chefe de vendas para a América Latina e Espanha, Procore
A magnitude e fomento do conceito ESG e da sustentabilidade
O que antes era tendência, agora é realidade. Considerando os indicadores dos três pilares (meio ambiente, social e governança corporativa), e a inerente preocupação - devida – das empresas, não há como negar que estratégias ESG trazem diversos benefícios para a percepção de valor, real, das companhias.
Compactação: declives suaves
Características excepcionais para um embalador de rolos seguro e eficiente
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Wil Holloway Gerente de vendasr Tel: +1 312 9292563 E-mail: wil.holloway@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL