Brasil espera ser um país multimodal

A criação do Pro Trilhos, para estimular a abertura de ferrovias e a entrada de mais operadores no setor, as renovações antecipadas e o programa de concessões vão transformar o Brasil em uma nação multimodal, com uma matriz de transporte mais equilibrada, sustentável e barata. A avaliação é do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, durante palestra de abertura do Seminário Pro Trilhos, realizado na última terça-feira (15) em São Paulo.

O evento reuniu representantes de empresas que já receberam autorização federal para implentarem seus projetos de estradas de ferro no país, além de responsáveis por concessões ferroviárias e integrantes de entidades internacionais convidadas a apresentar a experiência adotada por seus países na gestão de ferrovias. Conforme explicou o ministro, o regime de autorizações ferroviárias previsto no Marco Legal das Ferrovias resultará, dentro de poucos anos, no aumento da participação do modal na logística nacional de transportes.

Tarcísio: transporte ferroviário deve representar 40% do transporte de cargas em 2035 - Foto: Ricardo Botelho/MInfra

“O Brasil agora vai ser um país ferroviário, um país multimodal, e o reflexo é ter uma matriz de transporte mais equilibrada, mais sustentável e mais barata. O Brasil vai ser eficiente do ponto de vista logístico, com frete mais baixo e com produtor mais competitivo”, disse o ministro. Atualmente, as ferrovias transportam aproximadamente 20% das cargas brasileiras. A expectativa é que o percentual chegue a 40% até 2035.

Investimentos

Tarcísio explicou que, desde setembro, o Ministério da Infraestrutura recebeu, no âmbito do programa Pro Trilhos, 80 pedidos de abertura de empreendimentos ferroviários privados pelo país. Desse total, 27 tiveram a tramitação concluída, resultando em assinatura de contratos, os quais possibilitarão aos proponentes buscar os devidos licenciamentos, desenvolver projetos de engenharia e partir para a construção das novas ferrovias.

As empresas, ao longo deste ano, devem se concentrar em viabilizar a execução dos projetos autorizados. “Só com esses 27 projetos já autorizados, estamos falando em mais de R$ 133 bilhões em investimentos previstos e quase 10 mil quilômetros de novos trilhos somados à malha ferroviária existente no país para facilitar o escoamento de cargas minerais, agrícolas e conteinerizadas”, disse o ministro.

CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristiá[email protected]
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL