Brasil: Anos dinâmicos

By Cristián Peters Quiroga22 December 2021

O mercado brasileiro de equipamentos pode crescer entre 8% e 10% em 2022. O mercado brasileiro de equipamentos pode crescer entre 8% e 10% em 2022.

O dinamismo que o setor de construção experimentou no Brasil tem, obviamente, um efeito colateral importante sobre os fabricantes de equipamentos, que em termos gerais tiveram uma recuperação em 2021, senão robusta, com alguns deles até planejando investimentos importantes em suas instalações locais.

Já a Construção Latino-Americana informou oportunamente sobre as projeções de um aumento na venda de equipamentos no país. De acordo com o Estudo Sobratema do Mercado Brasileiro de Equipamentos de Construção, a venda de máquinas para a linha amarela está estimada em 24.414 unidades neste ano, um crescimento de 25% em relação a 2020.

Alisson Brandes JCB Alisson Brandes, diretor de vendas e marketing da JCB Brasil.

Para Alisson Brandes, diretor de vendas e marketing da JCB Brasil, o ano que está terminando terá sido muito bom e ele até o chama de “surpreendente”. “Em 2020 crescemos pouco, muito afetados pela pandemia, mas em 2021 fecharemos com um crescimento de 50% em relação a 2020, acima do mercado. Poderíamos ter feito ainda mais se não fosse a crise de abastecimento de materiais, componentes e logística causada pela pandemia. A demanda por equipamentos no Brasil continua muito forte e temos uma carteira de pedidos forte. O desafio em 2021 foi aumentar a produção em meio a todas as dificuldades do cenário mundial de logística e abastecimento”, explica.

A cadeia de suprimentos também foi um desafio para Romanelli. “Um fator que freou ainda mais o crescimento da empresa foi a falta de suprimentos em todo o mundo e a falta de controle logístico, principalmente dos itens que trazemos da Europa para montar os equipamentos”, afirma Thiago Romanelli, coordenador comercial do negócio. “O ano de 2021 foi de grandes expectativas e alguns obstáculos. Começamos com o acelerador meticulosamente e com muito trabalho, nosso atual governo tem feito um ótimo trabalho na área de concessões, construção e desenvolvimento de rodovias, ferrovias, portos e outras obras de infraestrutura. Isso traz mudanças na economia e aumento da demanda por máquinas em nosso setor ”, resume.

Enio Pallaro Zoomlion Enio Pallaro, diretor comercial da Zoomlion Brasil.

nio Pallaro, Diretor Comercial da Zoomlion Brasil, comenta que 2021 foi um bom ano para a Zoomlion global, e a marca tem reportado um crescimento significativo na venda de equipamentos e na inauguração de algumas fábricas.

“No Brasil não poderíamos estar mais felizes. Reiniciamos as vendas de guindastes móveis, vendendo máquinas de 60 e 80 toneladas, e importamos novos modelos de alta tonelagem, como o guindaste AT de 300 toneladas. Iniciamos também, com grande sucesso, a comercialização de uma nova linha de produtos: plataformas aéreas, e dezenas de máquinas já entregues para grandes clientes no Brasil, além de ter uma carteira de pedidos de mais de US$ 2 milhões. Expandimos expressivamente nossos negócios e comunicação com o mercado, bem como aumentamos a gama de produtos disponíveis e nossa capacidade de prestação de serviços e peças de reposição. Encerraremos 2021 com uma equipe de vendas e pós-venda 10 vezes maior do que a que iniciamos no ano ”, afirma.

Anúncios de infraestrutura

Conforme detalhado no artigo central da edição, o Ministério da Infraestrutura está desenvolvendo importantes processos de projetos, situação que Romanelli resume em uma palavra: progresso. “O Brasil é um país continental com muito o que fazer. Essas concessões trarão muitos benefícios para a logística rodoviária, fluvial e aérea, e aumentarão o escoamento de produtos dentro e fora do país, o que tornará nossa economia mais competitiva ”, afirma o executivo.

Segundo Gilson Capato, diretor comercial da Volvo Construction Equipment Brasil, “a estratégia de privatização do governo federal é extremamente importante para o Brasil, pois existe uma grande lacuna na infraestrutura local. O governo instituiu o Programa de Empresas de Investimento (CPPI) e continua avaliando os projetos do Ministério da Infraestrutura. No entanto, essas obras para portos, aeroportos e outros projetos de infraestrutura são investimentos de longo prazo. Isso não acontece rapidamente. Agora, esperamos saber quais são os projetos e quando serão executados ”.

Gilson Capato, director comercial de Volvo Construction Equipment Brasil. Gilson Capato, diretor comercial da Volvo Construction Equipment Brasil.

Mas apesar desse cronograma acelerado de concessões, Pallaro alerta que as expectativas ainda não foram atendidas.

“Ainda estamos em uma realidade pandêmica e muitos clientes ainda têm medo de fazer grandes investimentos. Por sua vez, os bancos estão cada vez mais restringidos com concessões de crédito e agora a taxa básica de juros (SELIC) aumenta a cada mês, para conter a inflação. Este é um cenário muito desafiador, mas os investimentos comprometidos e a evolução dos investimentos apontam para uma recuperação significativa em 2022.”

“Temos muita certeza de que as concessões serão um motor para manter os patamares elevados do mercado no Brasil, não só para 2022, mas nos próximos anos, além de trazer benefícios muito importantes na ordem social com empregos e ampliação de serviços e abastecimento de água e esgoto para a população ”, afirma Brandes.

“Estimamos que em 2022 o mercado de equipamentos amarelos continue crescendo, pelo menos 15% em relação a 2021, fortemente impulsionado pelos setores de construção em geral, agricultura e aluguel, sendo este último o que mais cresceu em 2021 Na JCB Projetamos crescimento acima do mercado, como resultado de todos os preparos e investimentos que estamos fazendo na fábrica de Sorocaba ”, afirma o executivo.

Ano eleitoral

Em outubro de 2022 haverá eleições presidenciais no Brasil. Pode ser um processo um tanto complexo com o atual presidente, Jair Bolsonaro, gozando de baixíssima popularidade e com a opção do ex-presidente Lula da Silva, cada vez mais fortalecido.

Thiago Romanelli Thiago Romanelli destaca o perfil inovador da empresa, que se reflete em seus maquinários.

Independentemente de quem seja o próximo governante do maior país da América do Sul, o fato é que um ano eleitoral pode ser benéfico para a economia do país, dados os esforços dos governos para serem mais fortes do que nunca. E se Bolsonaro quiser ter uma alternativa real de ser reeleito, pode-se esperar um forte desdobramento em investimentos.

“Todos nós sabemos que os anos eleitorais no Brasil são anos de colheita no setor de infraestrutura, nesse período muitas obras e investimentos são realizados com o objetivo de fortalecer cada bancada partidária. Prevemos automaticamente um ano de grande crescimento e muito trabalho .”, afirma Romanelli.

Opinião semelhante é de Pallaro, que destaca que “o passado confirma que o ano eleitoral é bom para o nosso setor, com aumento dos gastos públicos. E nossas expectativas para 2022 continuam otimistas. “

Brandes confirma o impacto das eleições, e apesar de haver redução de licitações e licitações no setor público dado que alguns processos legislativos começam a desacelerar em meados de junho, “ainda temos muitos investimentos anunciados para o ano que vem eles não vão parar, então com certeza teremos um ano forte e ainda melhor que 2021, sem dúvida ”.

Capato, da Volvo, destaca que “acreditamos que o cenário continuará positivo, principalmente porque alguns dos vetores de expansão registrados em 2021 continuarão em 2022, como o crescimento dos setores de construção, aluguel e agronegócio. Mas provavelmente será uma evolução em ritmo mais lento do que este ano ”.

Embora o executivo não possa estimar as vendas de sua empresa por estar presente na bolsa, para o mercado total, ele prevê um crescimento entre 8% e 10% em 2022.

Novos investimentos

Em suma, as perspectivas são positivas para o setor, e é por isso que as empresas buscarão ganhar mais espaço no mercado por meio de novos desenvolvimentos, produtos e maior cobertura de serviços.

“Temos um perfil altamente inovador, estamos em constante evolução, sempre investindo e criando novos conceitos de máquinas para melhorar a qualidade do trabalho, tornar as operações mais fáceis e cada vez mais seguras para o operador”, afirma Romanelli.

Por sua vez, Pallaro comenta que a Zoomlion continuará com uma estratégia de desenvolvimento sustentável e planeja expandir maciçamente seus negócios em todo o mundo e “com certeza o Brasil receberá grande parte desses investimentos. Nossas ações estarão focadas na ampliação da gama de linhas de produtos oferecidas aqui. Expanda nossa gama de serviços e estoque de peças de reposição. Além de investir em formas de estar mais perto de nossos clientes, seja por meio da participação em eventos ou de um atendimento dedicado. A aposta na presença local, junto ao cliente e com um serviço pós-venda sólido é o mais importante da nossa estratégia comercial”, conclui.

A JCB anunciou recentemente investimentos de R$ 120 milhões (cerca de US$ 21,5 milhões) na fábrica instalada em Sorocaba no período de 2022 a 2025. “Procuramos embasar todo o aprendizado que tivemos ao longo da pandemia com a falta de componentes e logística , então os investimentos são voltados para trazer mais localização de componentes, melhoria dos processos de produção, ampliação da capacidade das linhas de produção, etc”, detalha Brandes.

“Não podemos deixar de citar os investimentos em novos produtos, pois teremos novidades no início de 2022, em um grande lançamento para toda a América Latina”, avança o executivo.

Embora Capato alerte que por questões estratégicas não pode dividir seus investimentos, ele comenta que o Grupo Volvo Latin America (caminhões, equipamentos de construção e ônibus) está no meio de um ciclo de investimentos de R$ 1 bilhão (cerca de US$ 175 milhões) para período de 2020 a 2023.

“A Volvo Construction Equipment, é um dos maiores fabricantes de equipamentos de construção do mundo, com foco em inovação, tecnologia e segurança. Temos estado na vanguarda nessas áreas e investimos continuamente para lançar os produtos mais avançados do mercado”, finaliza.

REVISTA
BOLETIM
Entregue diretamente na sua caixa de entrada, o Informativo Semanal da Construção traz a seleção das últimas notícias, lançamentos de produtos, reportagens e muito mais informações sobre o setor de infraestrutura na América Latina e no mundo.
Reportagens
Perspectivas econômicas e de construção para a América Central
Scott Hazelton, da IHS Markits, fornece uma análise profunda da situação atual nos países da América Central.
Escavadeiras: Novas energias
Grandes equipamentos estão procurando maneiras de se tornar mais eficientes, produtivas e com menor impacto sobre o meio ambiente.
Versatilidade de carga
Compactas ou enormes, estas máquinas estão ganhando terreno nos principais locais de terraplenagem ao redor do mundo.
CONECTAR-SE COM A EQUIPE
Cristian Peters
Cristián Peters Editor Tel: +56 977987493 E-mail: cristián.peters@khl.com
Matt Burk Gerente de vendasr Tel: +1 312 496 3314 E-mail: matt.burk@khl.com
CONECTAR-SE COM A MÍDIA SOCIAL